Header Ads

Entrevista - Douglas Jen (SupreMa)

(Entrevista publicada originalmente no HMBR em 11/01/2014)


Na mais nova entrevista do site, eu trago para vocês um papo com uma das bandas que mais tem se destacado na cena brasileira atual: os paulistas do SupreMa. Com quase 10 anos de carreira a banda já tocou com nomes como Andre Matos, Evergrey e Primal Fear, e lançou em 2013 o CD “Traumatic Scenes”.


Bruna: Antes de tudo, olá! Espero que tudo esteja bem com vocês.
Douglas Jen: Olá pessoal! Estamos ótimos em uma grande fase da carreira, muito bom estar neste bate papo.


Bruna: O quão desafiante foi produzir o novo disco? Afinal, já se passaram alguns anos desde o registro anterior.
Douglas Jen: A produção do “Traumatic Scenes” foi realmente desafiador para nós principalmente porque no primeiro registro, o “Spyeyes”, a banda tinha um tecladista muito talentoso, o Guto Viegas, que era parte essencial das composições e desde quando ele acabou saindo da banda decidimos então seguir sem tecladista, ou seja, muito material que já havíamos composto tivemos que refazer para um formato de trio (bateria, guitarra e baixo). 

Ao final conseguimos deixar as músicas bem dinâmicas e pesadas sem perder a técnica e velocidade, ou seja, o talento da galera foi extraído ao máximo para conseguir ter um disco equilibrado e que soasse o tempo todo interessante. O Helmut Quacken colocou seu talento e os grooves e arranjos ficaram bem progressivos, e as linhas e baixo do Gabriel não deixou-nos sentir falta alguma de uma segunda guitarra ou teclado.

Ao final chegamos ao ponto que queríamos, os arranjos ficaram legais e os refrães grandiosos. É super interessante ver as resenhas internacionais pois cada jornalista destaca uma música diferente no “Traumatic Scenes”, e isso me deixa bem feliz porque o CD ficou equilibrado acima de tudo.


Bruna: O Traumatic Scenes é inspirado no filme “O Invisível”. O que vocês podem me dizer a respeito da relação entre a trama e as músicas do disco? Ele pode ser considerado um CD conceitual?
Douglas Jen: Isso, é um CD conceitual porém não se trata da narração exata do filme. Durante o filme ocorrem diversas situações e a história é bem forte, e ao decorrer do disco damos nossa versão para cada estágio da mente, sub consciente ou mesmo coisas paranormais que ocorrem no filme.

Falamos sobre visões, traumas, pesadelos, raiva, fúria, mas também sobre amor, memórias e cada coisa que está implícita no filme. Tudo está linkado, inclusive nosso cenário e os todos nossos vídeo clipes. Quem assistir ao filme, ao show, aos clipes e também ouvir o CD vai entender a interação de cada sutileza que tivemos o cuidado de demonstrar no “Traumatic Scenes”.


Bruna: A Power Prog tem um massivo esquema de divulgação de bandas, incluindo bandas brasileiras além do SupreMa, e outras delas menos conhecidas pela maioria do público. Como aconteceu o contato entre vocês e a gravadora?
Douglas Jen: Já tínhamos contato com algumas gravadoras que estavam esperando nosso trabalho quando ainda estávamos gravando. Quando lançamos o single “Nightmare” com o vídeo clipe, tivemos algumas ofertas de gravadoras europeias e americanas porém não fechamos nada na época porque queríamos ainda algumas condições a mais.

Com o disco pronto a nossa agencia que gerencia a carreira da banda, a Furia Music, apresentou a algumas gravadoras e a Power Prog abraçou imediatamente o nosso projeto. Eles foram bem receptivos ao som da banda e entenderam que não somos uma banda de fórmula pronta e colocamos a arte à frente de tudo, tentamos inovar em cada passo seja na composição de um novo verso, na criação de um cenário insano ou no roteiro de um vídeo clipe surreal.

Não queríamos também apenas lançar um disco apenas por lançar e distribuir de qualquer jeito, temos grandes planos principalmente para a Europa e não queríamos um disco jogado no catálogo apenas. Depois de conversas e definições de estratégias enfim lançamos o disco em 2013 e desde então temos trabalhado duro na promoção que recebeu notas altíssimas em sites europeus e tem chegado em várias partes do mundo recebendo ótimos comentários. 


Bruna: Muitos sites elogiaram o novo trabalho de vocês, com destaque para o Sea of Tranquillity, pois foi onde li a resenha semanas antes da nossa entrevista (risos). Qual foi a primeira resenha internacional que vocês descobriram e qual foi a reação da banda? 
Douglas Jen: Na verdade a gravadora enviou o disco a vários sites e revistas na Europa e ainda tem bastante resenha a sair por lá. Acabou que várias delas saíram quase que simultâneas e recebemos notas altíssimas em sites conceituados como "Stormbringer" (AT), "Power of Metal" (DK) e o "DangerDog" (EUR).

Nossa reação foi de surpresa por alguns comentários que nunca esperaríamos ouvir, com elogios que nós mesmos não havíamos prestado atenção no potencial de algumas músicas e ao mesmo tempo ficamos bem satisfeitos pois ouvimos alguns elogios que queríamos ouvir. A galera foi bem sensível ao entender a obra como um todo e a interação de todos os elementos.


Bruna: E como foi a reação do público brasileiro ao “Traumatic Scenes”? Resenhas, comentários dos fãs.
Douglas Jen: No Brasil recebemos ótimas críticas e notas altíssimas também como um 9 no Whiplash e um 9 no Metal Samsara. A mídia brasileira abraçou este novo trabalho e vemos que eles também tem se orgulhado de ter algo feito com tanto cuidado por uma banda brasileira. Os fãs estavam esperando este trabalho há anos e temos tido uma venda bem considerável do CD pois a galera que vai ao show não quer sair de lá sem comprar o CD, e os fã que ainda não viram o show ficam cativados pelos clipes e ao ouvir o álbum inteiro ficam “viciados”.

Digamos que o som do SupreMa pode não ser muito acessível numa primeira audição para algumas pessoas que não estão muito acostumados a um estilo mais trabalhado e técnico, porém depois de 2 ou 3 audições já entendem as músicas e não tiram o CD do play do carro. Temos recebido muitas mensagens principalmente pelo Facebook da galera que escuta o CD de ponta a ponta no repeat, isso para nós é o maior elogio e nossa maior satisfação, queremos fazer música com alma e vida própria, nada de modinhas ou fórmulas prontas.


Bruna: Vocês também estão preparando um novo vídeo. Como tem sido o processo em geral, desde a concepção da ideia até as partes práticas?
Douglas Jen: Sim, estamos preparando um vídeo clipe que é o trabalho mais detalhado e cuidadoso que já fizemos em toda carreira da banda, e estamos bem animados! O clipe da “Fury and Rage” teve suas primeiras reuniões ainda em março/2013 e desde então temos trabalhado no roteiro e tem 5 meses que ocorreram as primeiras filmagens.

Estamos trabalhando com a Nevasca Filmes que é uma gabaritada produtora que trabalha com inúmeros artistas e empresas mainstream como Naldo Benny, João Neto e Frederico, Rick Bonadio, Micael Borges, Manu Gavassi, The Vampire Diaries (RTA Global) e também já trabalharam na produção do programa Pânico na TV (RedeTV e Band).

É uma imensa satisfação trabalhar com caras deste nível e desde a primeira reunião quando apresentei as ideias do clipe e a letra e áudio da “Fury and Rage”, os diretores piraram e abraçaram a banda. Pensamos em mil coisas e eles estão fazendo tudo isso se tornar real.

Tivemos cuidado com cada parte da produção, desde as locações, maquiagem, figurino, escolha da atriz e os equipamentos de filmagem pois para superar o vídeo clipe da “Nightmare” (que chegou a ficar em 2º lugar na Rock Label TV da Suíça), teríamos que fazer algo realmente incrível. As locações são maravilhosas e as filmagens ficaram animais!! 

A atriz selecionada foi a Mayra Moura, que fez uma interpretação impecável da personagem “Serena”, tanto em seu lado cotidiano quando em seu lado possuído. É praticamente um curta metragem inserido dentro de um vídeo clipe de banda.  Não vemos a hora de poder publicar este vídeo clipe, nossos fãs vão se orgulhar do detalhismo e cuidado que tivemos.

A história como sempre é uma viagem surreal!  Em breve divulgaremos fotos do making of e também a data oficial do lançamento em www.suprema-online.com.


Bruna: E o que podemos esperar dele?
Douglas Jen: Com certeza um vídeo com uma produção realmente cuidadosa e com uma história insana. Não podemos revelar todo o roteiro, mas é uma viagem ao surreal, paranormal e sub consciente, principalmente quando “Serena” foge para sua casa e ao abrir a porta de seu lar, seu refúgio, ela cai em um mundo paralelo. Tem que prestar atenção do início ao fim para não perder um detalhe sequer, pois cada cena explica o que acontece no início do clipe.


Bruna: Agradeço muito pela oportunidade dessa entrevista, e antes de encerrar, peço que vocês deixem um recado para os leitores do site. E sucesso na divulgação do novo disco!
Douglas Jen: Obrigado pelo espaço! Estamos bem ansiosos para o lançamento do vídeo clipe, fiquem ligados no site e no Facebook da banda que postaremos algumas fotos de Making Of e videos em breve. Em 2014 o SupreMa volta à estrada para a continuação da “Traumatic Scenes Tour”. Nos vemos pelos palcos do Brasil à fora. Abraço a todos.



Sobre Bruna

A loca de todas as coisas. Devota de Céline Dion. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts.™ Eu gosto de romances como eu gosto do meu café.

(Eu não tomo café)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.