Header Ads

Entrevista: Elize Ryd (Amaranthe)

(Entrevista publicada originalmente no HMBR em 26/03/2013)


Recente sensação do heavy metal, Elize Ryd está mostrando dia após dia que não é só mais um rosto bonito. A moça tem talento, grau de estudo, participações importantes no currículo e potencial para permanecer um bom tempo na cena. É para nossa alegria musical que trago a entrevista que fiz com a vocalista do Amaranthe há não muito tempo atrás.


Bruna: Olá, Elize! Meu nome é Bruna, e antes de começar quero parabenizá-la pelo seu trabalho na cena female fronted. Por anos vi o surgimento de inúmeras bandas com cantoras, e acabou ficando mais difícil encontrar alguma com trabalho sólido tal como os nomes mais conhecidos, algo que você e o Amaranthe estão alcançando a passos largos. Como tem sido o feedback do público e até mesmo de outras bandas até agora?


Elize: Olá Bruna, e muito obrigado! O feedback tem sido incrível. Claro que sempre existem aqueles que não gostam do que você faz, e ser uma garota no heavy metal ainda irrita algumas pessoas. Mas muito mais pessoas estão respondendo de maneira extramamente positiva ao nosso trabalho, e isso é incrível.


Bruna: Em 2012, você estave no Wacken Open Air com Kamelot, cantando e incorporando a Mephisto Girl, e confesso que fiquei surpresa ao descobrir que você e ela eram a mesma pessoa! (risos) Na mesma edição do você subiu ao palco com o Amaranthe, o que fez você ser a protagonista e não apenas uma convidada. Como foi a sensação de passar por duas situações tão diferentes no mesmo festival?


ElizeEu me tornei parte do Amaranthe antes de entrar para o Kamelot. Pediram-me para acompanhar o Kamelot como corista em turnê pela primeira vez em 2009, e tenho acompanhando eles desde então. Recentemente a carreira do Amaranthe tem crescido mais e mais, e agora acontece que as duas bandas são convidadas para os mesmos festivais, por isso eu me apresentei com a minha banda e o Kamelot no Wacken em 2012.

Amaranthe ao vivo no Wacken Open Air

Bruna: Ainda sobre o Kamelot, você não parou de trabalhar com eles, apesar de ter a sua própria banda. Nós podemos ouvir você novo álbum (Silverthorn), vê-la ao vivo e no belo vídeo de Sacrimony (Angel of Afterlife). Como tem sido para você se manter em contato com uma banda feito eles?


ElizeTem sido ótimo! Eu tenho visto e feito muitas coisas junto com o Kamelot, eu os conheço como a minha família e sempre foi natural para mim acompanhá-los, tanto quanto eu puder.


Bruna: Mudando de assunto, vamos falar sobre o Amaranthe. O som da banda é ambicioso em muitas maneiras porque combina modernidade, heavy metal e variedade de ter três vozes diferentes. Imagino que esses fatores devem alimentar muito a criatividade.


ElizeSim, é muito divertido escrever para vozes diferentes, e isso desafiadoramente precisa de muita imaginação. Eu imagino isso como um musical com três personagens interpretando cada parte, representando diferentes imagens e expressões na música.


Bruna: E claro, falar sobre criatividade me remete aos teclados, que desempenham um papel muito importante no som da banda. Como nasceu a ideia de usá-los para criar a atmosfera moderna que tornou o Amaranthe famoso?


ElizeQueríamos algo mais na música, trazer um toque moderno, e Olof é além de guitarrista um grande pianista. Dessa forma ele também tem a chance de usar um segundo instrumento, enquanto produz a música.

Hunger: produção cinematográfica comum nos videos do Amaranthe

Bruna: Elize, você não é apenas cantora, você tem todo um conhecimento sobre o mundo das artes. Este conhecimento lhe ajudou de alguma forma na música?


ElizeEu tenho uma longa educação em teoria musical, canto, dança e teatro. Isso me ajudou muito a ser capaz de me expressar no palco, e nos vídeos. Para mim é mais importante para sentir as letras e o significado da música e transmití-los emocionalmente e visualmente para o público.


Bruna: Outra coisa que é parte de sua vida são as redes sociais. O uso massivo de ferramentas tais como Twitter e Facebook deu a oportunidade para nós (fãs) de chegarmos mais perto de nossos ídolos, e a prova viva disso é a sua página no Facebook. Como é a experiência de manter contato com seus fãs virtualmente? Você já recebeu uma mensagem estranha ou comovente de algum fã?


ElizeEu realmente aprecio os meus fãs e ser capaz de mostrar isso. Eu comecei uma página no Facebook só para eles onde pudéssemos compartilhar imagens, pensamentos e emoções. Muitas vezes eu recebo cartas de fãs escrevendo mensagens comoventes. Minha visão é a de conectar pessoas de todos os cantos do mundo e espalhar amor, esperança e felicidade para cada um.


Bruna: Eu sei que é uma coisa louca, mas significa muito quando vocês respondem nossos comentários. Nós nos sentimos incríveis.


Elize: Que bom :)


Bruna: Sempre que entrevisto alguém pela primeira vez, gosto de incluir esta pergunta: o que você está ouvindo mais atualmente? Pode ser heavy metal ou não.


Elize: Eu escuto Lana Del Rey, ela é meu ídolo no momento.


Dark Paradise: uma das músicas da Lana que eu (Bruna) gosto


Bruna: Então, é hora de encerrar a entrevista. Obrigada pela sua atenção, porque é incrível poder entrevistar uma das cantoras que rapidamente ganhou a minha simpatia. Desejo todo o sucesso para você com o Amaranthe e seus outros projetos. Deixe um recado para os leitores do nosso blog.


Elize: Cuidem-se e sejam valentes. ♥
Muito obrigada pela entrevista!


/ / Elize

Sobre Bruna

A loca de todas as coisas. Devota de Céline Dion. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts.™ Eu gosto de romances como eu gosto do meu café.

(Eu não tomo café)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.