Header Ads

Redação: X Japan no Madson Square Garden parte 2

Na primeira parte desse momento especial, vimos como foi sobre o show no Madison Square Garden, desabafos pessoais dessa pessoa, partes interessantes de uma entrevista sobre o futuro show ainda na época da Comic Con. Hoje, terminaremos essa saga de dominação, com mais da entrevista e um pouco de uma sobre o show!



"Nós queremos ser muito mais agressivos, enquanto estivermos fazendo tour fora do Japão. O motivo de escolhermos o Madison Square Garden, é como se estivéssemos declarando: X Japan está aqui! Nós não somos um nome familiar por aqui, nome conhecido por muitos, porém, eu estou dando duro... Eu sei que não é fácil uma banda Asiática, trabalhar no mercado Ocidental, mas eu sempre penso que nada é impossível!"

É legal como Yoshiki é honesto com todos os detalhes e barreiras que eles podem enfrentar e, principalmente, como sua determinação sempre continua alta, firme e algumas vezes procrastinada.



Se você não sabem Yoshiki faz muitas coisas ao mesmo tempo, seu dia não se resume a ser líder do X Japan, Baterista, Pianista e Músico. O Sr. Hayashi também é dono de gravadora (você viu no video da biografia ;D), compõem trilhas para filmes japoneses, toca alguns projetos solos como o Violet UK, e mais.

"Nós tivemos muitos altos e baixos. Dois membros originais da banda morreram. Mas cruzamos os mares para tornar o X Japan um nome mais conhecido, para manter nosso sonho vivo. Novamente, eu sei que não é fácil, vivo em Los Angeles há mais de 15 anos e estou muito determinado em fazer isso acontecer."

Parecendo pouco, uma parceria com Stan Lee, sim O cara da Marvel, estão criando um super héroi: Blood Red Dragon.


Tocar no Madison Square Garden já era um plano em 2008 e apenas não ocorreu devido ao antigo Manager da banda. Na entrevista sobre o show, novamente fizeram questionamentos sobre a banda e o foco no Japão ou, o porque de não sair do Japão. Vamos agora à alguns trechos que mudem o foco e são interessantes

É comum vermos Yoshiki por vezes tocando com alguma proteção, muito no pescoço, e ele falou um pouco sobre sua condição.

Mesmo na turnê Yoshiki Classical, eu tenho visitado os médicos com frequencia. Na minha vida toda foram cinco injeções de cortisona no no meu cotovelo. Esse ano já foram seis no meu pulso direito [risos]. Acredito que meu corpo está se deteriorando, mas eu sei que é uma troca, eu sempre irei colocar tudo nos shows [...] seja ele mais rock ou no classical[...]. Eu sei que não vai durar muito tempo, pode ser um ano, dois anos, mas pode durar cinco anos,. Eu não estarie em turnê por 10 anos, não penso assim, farei o que posso. Meu médico recomendou-me utilizar uma munhequeira no pulso direito, e o colar cervical. Apenas utilizou quando não estou tocando, seja a bateria ou o piano.

Yoshiki também comentou sua felicidade em conhecer o KISS, uma das suas bandas favoritas e influencias do X Japan e gravar versões orquestrada das músicas deles.

Perguntado sobre o álbum com os clássicos em inglês, Yoshiki disse sobre as dificuldades que tiveram: primeiro o tsunami que arrasou o Japão e depois, a morte de Taiji Sawada. Sem condições de focarem em música, deram um tempo e agora em 2014, estão mais focados.

Obviamente, sendo japonês oriental do oriente, foi questionado se tinha algum anime ou mangá favorito, e adivinhem? Yoshiki parça, #tois

Gostei de Mazinger Z. Obviamente, Saint Seiya (Os Cavaleiros do Zodíaco). E como vocês chamam por aqui, Attack on Titans

Fechando com essa chave de ouro elevada ao oitavo sentido, aguardaremos novidades da banda, torcemos para que o álbum das baladas em inglês e o de inéditas também. Uma curiosidade, Yoshiki compõe em inglês, e depois traduz para o japonês!

Obviamente, encerra com todos chora

Sobre Wakashimazu

Gamer de nascimento, guitarrista por insistência, se divide em três para dar conta de dominar o mundo da música, dos jogos e dos otakus, enquanto lida com a caixinha de surpresas chamada de vida. Pode ser encontrado no Last FM, na Live ou no fórum!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.