Header Ads

Retrospectiva 2016: Foi um ano difícil, mas nós sobrevivemos


Você sabe tão bem quanto eu que 2016 foi marcante, mas não exatamente pelos melhores motivos do mundo. Na gringa, conflitos provocaram ondas de fugas, mortes e injustiças mil com os refugiados. A vitória do Trump. Atos de terrorismo. Politicagem tosca. Rússia sendo Rússia.

Na terra brasilis também foi complicado viver. Uma grave crise política, uma economia falida onde o crescimento recuou, postos de emprego são cortados até hoje, e a dificuldade de encontrar emprego é cada vez maior, deixando de fora em especial a parcela mais jovem da população, logo aquela que precisa do primeiro emprego, por exemplo. A violência em proporções de guerra civil, a saúde morta, servidores públicos abandonados, o avião da Chapecoense, e gente discutindo como se as bandeiras políticas valessem mais que o bem estar do povo.

No mundo nerd os sentimentos também foram divididos.

Nunca o cinema se dedicou tanto aos heróis, e tivemos o histórico Deadpool com conteúdo impróprio do jeito que deveria ser. Tom Cruise e Cobie Smulders dividiram o mesmo filme, imagina o coração como não aguentou? A Treta Civil não foi como na HQ, mas foi boa e no fim do dia quem venceu foram os Irmãos Russo, confirmando o seu talento de novo. Mas eu ainda prefiro O Soldado Invernal, pois esse filme é muito amorzinho.

Porém tivemos o fail de Batman vs Superman, e o bais ou benos que foi Esquadrão Suicida, e seria muito bom protegerem a Margot da Warner Karma Ruim Bros. Foi o ano da moda dos reviews antecipados, primeiras reações, gente julgando o sucesso dos filmes com base em tweets e vídeos de 30 segundos.

(Mas foi o ano que teve Scarlett Johansson pra caramba *faz dancinha da vitória*)

A coisa com os games foi boa também. Eu me apaixonei mesmo pelos indies. Teve ESL e Capcom Pro Tour LATAM no Brasil! Street Fighter V causou, Pokémon Sun & Moon fez história, Shenmue III e Marvel vs Capcom: Infinite viraram realidade, teve EVO, Capcom Cup, e eu nunca me liguei tanto nos e-sports como esse ano. Por outro lado, nunca a Nintendo cancelou tantos fan games na tentativa de forçar o público a comprar os games dela. #NãoVaiTerPas

E foi da TV que vieram as surpresas. Tivemos a digníssima Luke Cage, mas Agents of Shield matou meu interesse de desgosto e não consegui ver a quarta temporada. Já o crossover das séries da DC foi bem divertido, e assistir Supergirl é uma nova paixão, fico orgulhosa de ver o quanto a série cresceu em tão pouco tempo. Eu disse que Supergirl era importante. E enquanto a Sara for capitã em Legends of Tomorrow, conte comigo dando uma espiadinha nos episódios.

Mas também tivemos perdas. Muitas. A morte foi a grande celebridade, e 2017 será um lugar triste sem essas e tantas outras figuras:

Alan Rickman (o Severo Snape)
Prince
Carrie Fisher (nossa querida Princesa/General Leia)
David Bowie
Glenn Frey (vocalista/guitarrista do Eagles)
Miguel Rosemberg (a voz do Zé Colmeia e Sr. Burns)
Nick Menza (ex-bateirista do Megadeth)
Rubén Aguirre (nosso Professor Encanamento Girafales)
Silvio Navas (a voz do Darth Vader e Mumm-Rá)
Gene Wilder (o Willy Wonka original)
Steve Dillon (cocriador da HQ "Preacher')
Orival Pessinni (o Fofão)
Greg Lake (vocalista e baixista do King Crimson e Emerson, Lake & Palmer)

Tantas perdas mostraram que não tem diferença, mágoa, que resista a morte. Morreu, acabou. Você não pode mais dizer que sente muito, se importa, se arrepende, não pode lutar pelo sonho. Veja a história da Chape, por exemplo.

Mas 2016 foi o ano em que nasceu o Armadura Nerd. O Waka e eu tivemos um ano caótico, e então o site já virou xodó pelo que significou em pouco tempo no ar: uma válvula de escape, uma ideia maluca, o jornalismo dos dibres, da ousadia e alegria, das piadas Cazalbé, a chance de conquistar o mundo, começando por você.

Por isso em nome da tradição que vem desde o antigo site, vamos ter retrospectiva anual sim. Em formato podcast, pois é uma das nossas ideias em andamento/crescimento, e eu espero muito que ela divirta você ouvindo, tanto quanto eu me divirto gravando.

Solte o play, baixe o podcast no SoundCloud, compartilhe nas redes sociais e fique com a gente, pois 2017 não promete vida fácil, mas nós estamos aí na pista com você, pra deixar o caminho mais nerd, mais divertido e diferentão. Tenha um ótimo final de ano! ❤



Sobre Bruna

A loca de todas as coisas. Devota de Céline Dion. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts.™ Eu gosto de romances como eu gosto do meu café.

(Eu não tomo café)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.