Header Ads

Vale a pena ler de novo: resumo da semana 08/01 a 14/01


Não sei se você reparou, mas desde um tempo vem acontecendo um fenômeno curioso no mundo: o nerd deixou de ser motivo (completo) de bullying e preconceito, virou o novo cool e item de venda no mercado capitalista, que é assim mesmo, pega uma coisa legal e transforma em produto. Agora é chique ter camisa do Capitão América, boneco de Super Mario, torcer por times de CS:GO e criticar qualquer tentativa de produzirem conteúdo que não seja para o garoto branco heterossexual de classe média alta.

Mas o mundo nerd cresceu, tá crescendo, e tomando grandes proporções em relação ao mundo em geral, como dentro dele mesmo: tem gente que antes não gostava das nerdices e agora gosta (eu sou uma dessas), gente que não tinha voz (exemplo: nós mulheres) dentro da indústria do cinema, o que vem na medida do possível mudando com nomes feito Ava DuVernay e Kathleen Kennedy, Patty Jenkins, ou as várias novas crushs do coração nerd: Rey, Arlequina, Jyn Erso, Mulher Maravilha.

(Nunca deixando de lado as moças já na pista como Peggy Carter e Viúva Negra, claro)

Tivemos uma semana dessas. Movimentada no mundo nerd por vários detalhes que óbvio, nós vamos comentar:

A estreia de Assassin's Creed nos cinemas
É um momento histórico. O primeiro filme do que dizem ser uma trilogia chegou aos cinemas com Michael Fassbender & cia, não exatamente conquistou a crítica, mas também não chega a ser uma derrota total. Tá, ok, tudo bem, foi pré-indicado ao Framboesa de Ouro antes de ter estreado no Brasil (que veio com delay, mas nem todos os bugs corrigidos #pas), com quase 1 mês de bilheteria não chegou sequer aos 200 milhões de bilheteria global, mas... Vamos ver se pelo menos não vira a sofrência de um The King of Fighters da vida, né?

O lançamento do Nintendo Switch
Enfim! A Big N lançou oficialmente o tal do portátil no qual ela está depositando tantas esperanças, e que vamos ver se redime os erros do todo pecador Wii U. Eu já fiz um resumo das principais informações, o Waka fez um resumo dos jogos que já ganharam trailer e gravou um Redação inteiro comentando esse lineup de jogos do Switch... E sim, eu gravei um podcast comentando todo o lançamento, minhas impressões, e esse você confere pela semana.


Todo mundo quer aparecer em Guerra Infinita?
Foi uma coisa engraçada, isso. Semana passada saíram várias notícias quase que seguidas sobre gente sendo confirmada ou se confirmando em Vingadores: Guerra Infinita, depois vieram falar que o Doutor Estranho deve ter menos importância no filme por conflito de agenda do Cumberbatch pra participar das gravações... Doideira.

Eu adoro os Irmãos Russo, eles vêm fazendo um trabalho muito bom com a franquia Capitão América de tirar ele do status Ze Mané Estereotipado, e tornar num herói trágico que levanta muito essa discussão sobre segurança nacional e vigilantismo (vide Guerra Civil), mas sinceramente... Às vezes eu fico pensando no desafio de dois filmes dos Vingadores. Para os roteiristas Christopher Markus e Stephen McFeely também.

Tem toda uma questão de narrativa, escolher elenco, conexão, é o maior evento do MCU até hoje, muito maior que Guerra Civil. E ainda pode (quem sabe, eu acho/espero/torço) influenciar o futuro das séries na TV, caso a ABC deixe de ser idiota.

Orando pela série dos Inumanos
O que nos leva a esse assunto. Diferente da maioria, o anúncio da série dos Inumanos não me deixou muito feliz, pois tudo que vem da parte da ABC me causa nervoso e desgosto em algum momento da vida: Once Upon a Time, Agents of Shield, Agent Carter, Marvel's Most Wanted, Damage Control, a série do diretor de 12 Anos de Escravidão que não sai nunca...

Eu realmente não gosto da gestão da ABC. Por outro lado, ironia, passei a respeitar e gostar muito do que o CW vem fazendo com as séries da DC Comics...

... Mas voltando ao fucking foco. Tô torcendo e orando por The Inhumans ainda mais depois dos comentários do Jeph Loeb (cabeça da Marvel TV) sobre o fato de quem cancelou Agent Carter não foi a Marvel, mas a ABC. E considerando que a única série da Marvel ativa no canal, ainda é alvo de crítica/nunca se acertou com o público desde 20013/depois de quatro temporadas. 

Complicado.

Vamos falar de The Legend of Zelda: Breath of the Wild
Rápido, rasteiro e choroso: que trailer divino! Ainda não chegou o dia da franquia Zelda não entregar uma experiência que não seja emocional, uma viagem pra quem joga, e nesse novo jogo tem sido demais ver conhecidos como Darunia, Nabooru, um cenário familiar e ao mesmo tempo novo, com uma princesa Zelda linda que o Kotaku bem explicou como eu me senti. Plus, a trilha sonora é feita por uma mulher. Vamos clicar enquanto meu coração chora:


Colunas


Cinema

Games

Jogos de Luta

E-sports

Mobile

TV e Web

Colecionáveis

HQ e Mangá

Sobre Bruna

A loca de todas as coisas. Devota de Céline Dion. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts.™ Eu gosto de romances como eu gosto do meu café.

(Eu não tomo café)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.