Header Ads

Três motivos para gostar de Pokémon


Se você é uma Criança dos Anos 90™, sabe que dia é hoje (eu espero): É o Pokémon Day! Em 27 de fevereiro é comemorado o lançamento dos primeiros jogos da franquia -Red e Green- em 1996 para Game Boy, um dia histórico não só para os games, mas para o entretenimento em geral. E como não poderia deixar de ser, vamos de Cosmo Nerd pra falar dessa coisa tão querida.

Eu ainda gosto muito de Pokémon. Não tem como não gostar, mesmo que você perca a força da hype como era na infância porque poxa, tudo muda. Ainda rola aquele preconceito de "coisa do diabo" que o povo carrega lá dos anos 90, junta a falta de informação, o "eu sei do que eu tô falando e você não," e o circo tá formado, com as pessoas impedindo elas mesmas de conhecerem um universo tão legal.

Preconceito é uma bosta, nunca esqueça disso.

Mas a nossa missão é justamente essa: Levar conhecimento nerd para quem ainda não tem, e juntos vamos curtir os filmes/animes/jogos/etceteras que são puro amorzinho. Simbora com quatro motivos para gostar de Pokémon.

1) A mitologia é muito rica
Eu adoro escrever, e duas franquias reforçaram essa paixão: Saint Seiya e Pokémon. Com Seiya & cia eu aprendi a amar mitologia, todas elas, e Pokémon é bizarro (bizarro bom) em como se inspirou nas coisas que existem, criando a sua própria mitologia, que é rica demais. Sério. São detalhes incríveis.


Por exemplo, Sootopolis. A cidade de Hoenn fica dentro da cratera de um vulcão que nasceu no meio do oceano. Ele encheu de água da chuva por dentro e bam, Sootopolis. Para chegar lá você tem de encontrar uma cratera na Rota 126 e ter um pokémon que saiba dive, para poder mergulhar. Na cidade você praticamente só anda passando por escadas, muitas delas.

Mas a minha parte favorita, é: O estilo das construções é idêntico ao das ilhas gregas, com detalhes azuis e brancos, bastante água em volta.

 

Se a gente falar dos monstrinhos em si, aí a coisa piora (piora bom). Vou citar alguns exemplos, caso contrário ficamos aqui até o Pokémon Day do próximo ano (de verdade).


Os Espadas da Justiça são inspirados em Os Três Mosqueteiros, livro escrito por Alexandre Dumas que deu vida a tantos filmes e etc. Cobalion, o pokémon azul, representa Athos, o mosqueteiro mais velho e líder do grupo. Terrakion, o marrom, representa Porthos, o fisicamente mais forte. Virizion, o verde, representa Aramis, o mais romântico (e por assim dizer, feminino) do trio.

E o Keldeo?


Keldeo representa d'Artagnan, o quarto e mais novo dos mosqueteiros. Em Pokémon, ele é o quarto integrante dos Espadas, e também o mais novo. A sua cauda se parece com a famosa pena usada pelo d'Artagnan no chapéu.

Já os Forças da Natureza tem um visual estilo gênio que eu adoro, e as suas origens são inspiradas na mitologia japonesa:

- Tornadus é baseado em Fujin, deus dos ventos e o mais velho dos deuses xintoístas (kami);

 

Landorus é baseado em Inari Okami, deus da fertilidade, raposas, sucesso, e o principal dos kami;

 

- Thundurus é baseado em Raijin, deus dos raios e tempestades, com aparência que lembra um demônio.

 

Outros que eu não vou me aprofundar:

- Os dragões Zekrom e Reshiram representam o Yin Yang, e o dragão Kyurem o wuji, a ausência de Yin Yang;
- Os pássaros lendários Articuno, Zapdos e Moltres, são números ordinais em espanhol - Uno, dos, três;
- O Torterra, que eu amo, é baseado no mito da tartaruga que carrega o mundo das costas, a mesma que inspirou a série de livros Discworld, do Terry Pratchett;
- O Banette, que eu gosto pela bizarrice, é inspirado em bonecas vodu e ligado ao Mottanai, palavra budista antiga que fala da "ideia xintoísta de que os objetos têm almas."
- E ainda têm os Titãs Lendários -RegiceRegisteelRegirockRegigigas- cujo padrão dos olhos é similar ao braile.

A gente realmente precisa de um Cosmo Nerd sobre isso, hein?

2) O anime vacila, mas consegue divertir
Tem quem reclame sobre a chatice que Pokémon virou no anime, e tem quem reclame com razão.

Eu por exemplo, morro nos problemas de continuidade, e o povo até já desistiu de torcer pelo Ash na hora dele competir em alguma Liga. Clássico. Tem também quando um pokémon mais fraco no jogo que vence no anime, mas essa parte me divide, porque eu até gosto. E tem os personagens irritantes (oi, Iris), ou os tão bons que por que diabos o Ash larga eles no fim de cada temporada (saudades Dawn, Serena).

Mas até onde eu vi pela última vez (fim da temporada XY), insisto: o anime diverte. Tem as horas de misericórdia, que vergonha alheia, mas é maneiro demais ver o retorno da Dawn em Best Wishes, da Cynthia, o N, o menino tentando tirar foto das variações dos Sawsbuck. A Serena que merecia um spinoff só dela... Ou as horas em que o coração aperta.

A lista não é minha, mas reúne uns momentos choradeira clássicos:


E o momento mais lindo da história do anime. Que não precisou de uma única palavra:


3) É o marco de uma geração
A oferta de conteúdo nerd hoje em dia é ridícula de maior em relação a 1990, mas os anos 90 têm um charme muito doido. Dá uma saudade imensa, pois Pokémon e outros animes/tokusatsus marcaram a TV brasileira (ah, Manchete), coisa que dificilmente vai se repetir. Eu duvido muito, ainda mais agora que o mundo consome mais entretenimento americano, e o "geek" tomou o espaço do "otaku."

Apenas um Show, O Incrível Mundo de Gunmball não são ruins, mas falta uma sustância que mesmo com os defeitos, Pokémon sempre teve. Steven Universo e Hora de Aventura são incríveis ao melhor estilo Pokémon (até mais), mas o peso dos monstrinhos? Não dá pra repetir.

O mais perto de Pokémon é Yo-Kai-Watch, que eu gosto, mas não tem o mesmo feeling.


Resumindo
Pokémon me fez crescer como pessoa, gamer, e pessoa criativa, o que não tem preço. Defeito não vai faltar... Mas os prós superam os contras? Superam sim. Então pra mim é isso o que importa, porque eu odeio a tara sexual da internet em focar tanto nos defeitos, e esquecer de curtir o lado bom das coisas. Parece coisa de velha ranzinza e fofoqueira.

Eu sei que não faz sentido quando você pensa em bichos que lutam uns com os outros, tipo rinha de galo. Realmente é bizarro quando você aplica a lógica, mas escute: Nada em Pokémon existe para ter lógica real. É a lógica de Pokémon, sempre focando no valor da amizade e de você se conectar ao outro. Se você não consegue abrir o coração para aproveitar isso, tá perdendo uma experiência muito boa.

Na primeira série eu e meus amigos adorávamos trocar figurinhas e desenhar no meio da aula, heh. Criamos até um "Esquadrão" onde cada um representada uma eevolution, a minha era o Jolteon, e ele é o meu favorito até hoje. Jogar eu comecei pela terceira geração, e chorei com todos os filmes:

- Mewtwo
- O do Victini, que é mais triste do que parece
- O do Genesect chega apertar o coração só de lembrar

A lendária Twitch Plays Pokémon de 2014... A viagem é doida, mas tá valendo a pena.

Feliz #PokemonDay!

Bora terminar com uns vídeos lá do nosso canal, onde ano passado o Renan também abriu o coração nerd. Aproveita e se inscreve pra conferir as outras nerdices :)


Sobre Bruna

Entusiasta dos jogos de luta, indie e mobile. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts™. Publicitária cuja alma foi vendida aos antigos espíritos marketeiros do mal. Praticamente um Mumm-Ra.

Siga no Twitter!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.