Header Ads

Punho de Ferro quase foi asiático. Quase...


Digam o que disserem de Punho de Ferro, uma coisa é certa: é de longe a produção Marvel/Netflix que mais vem gerando debate, pois enquanto algumas pessoas gostaram da jornada de Danny Rand, outras definitivamente não. Anda bem 8 ou 80.

Os motivos variam, mas o mais falado é que novamente a Marvel teve a chance de driblar a história do "salvador branco," ainda assim mantendo o protagonista como "estrangeiro..." Bastasse escalar um ator asiático. A Casa das Ideias até considerou a ideia quando Lewis Tan fez sua audição para o papel.

Entretanto, Finn Jones tornou-se o protagonista, e Tan -que faz as próprias cenas de ação- tornou-se Zhou Cheng, um vilão que inferniza Rand na metade da temporada. Em entrevista ao Vulture, o ator falou sobre como foi a experiência.

Pessoalmente, acho que teria sido uma dinâmica realmente interessante ver esse cara americano e asiático, que não está em contato com as raízes asiáticas, fazer isso e descobrir esse poder. Teria sido interessante ver essa sensação de estrangeiro. Não tem nada mais estrangeiro que um americano asiático. Nos sentimos como estrangeiros na Ásia e nos EUA. Isso tem sido difícil especialmente para mim.

Tan disse também que audições para a maioria dos papeis é difícil, pois ele é visto como um "cara metade asiático de 80 quilos."

Eles reagem como 'Bem, eu não sei o que fazer com esse cara.' 'Ele não é asiático, não é branco... Não.' É com isso que eu tenho lidado durante toda a minha vida. Então eu entendo essas frustrações de ser um estrangeiro, como Danny Rand. Eu o entendo muito bem.

Mas parece que a Marvel realmente considerou o ator para o papel. O que aconteceu que mudou o cenário? Um dia saberemos.

Eu pensei ter ao menos uma chance - sou parte branco e pratico artes marciais, e poderia facilmente interpretar o papel. Então eu estava animado. Daí eu li as falas do Danny e eles gostaram muito de mim. Eu li de novo e de novo e de novo, foi um longo processo, chegou a um ponto onde eles estavam falando sobre a minha disponibilidade. Esse é sempre um bom sinal sabe? E então eles preferiram Finn e me chamaram para leitura de um vilão duas semanas depois.

Tan deixa claro o desapontamento com o ocorrido, e pudera. Apesar de feliz com a passagem pela série, o ator admite a esperança de que Punho de Ferro pudesse ter mudado o paradigma cultural, abrindo mais espaços para as pessoas de cor e eliminando certas práticas na hora de escalar um elenco.  

O mundo não é preto e branco. O mundo é cinza. Tudo é cinza. Todos são misturados. É 2017. As pessoas querem se ver representadas, e nós queremos ver como as nossas vidas ficam num filme ou na TV.

Não é a primeira, e infelizmente não foi a última vez que a Marvel vira o centro de polêmicas sobre representação das minorias nas suas produções. O caso é antigo: o espaço das mulheres nos filmes, nos quadrinhos, os personagens negros de Agents of Shield, questões de sexualidade... O mundo nerd também está cada vez mais cinza: são fãs de todas as raças, gêneros, formas de ver a vida... Isso é muito bom. Só podemos esperar que a indústria acompanhe pra valer essa mudança.

Sobre Bruna

A loca de todas as coisas. Devota de Céline Dion. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts.™ Eu gosto de romances como eu gosto do meu café.

(Eu não tomo café)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.