Header Ads

Japoneses reagem a estreia de Ghost in the Shell


Pensa que Ghost in the Shell terminou de causar no universo nerd? Se enganou. Na última sexta-feira o longa estrelado por Scarlett Johansson desembarcou no o Japão, e oh quem diria, a terra natal da Major vem reagindo de forma bem mais positiva que o público americano.

O consenso entre os fãs japonês é que o trabalho do diretor Rupert Sanders embora não tenha toda substância da obra original, é excelente no visual. No Yahoo Japan Movies o filme tem 3.5 estrelas na avaliação geral, quatro para os visuais, e três pela história.

"Estava bem legal, eu realmente gostei. Eles não tentaram simplesmente copiar o original, mas vieram com uma história original, o que foi uma abordagem melhor," Tomki Hirano, fã do mangá e anime disse ao Hollywood Reporter após sair da sessão no Toho Cinema em Shinjuku.

"Porque era uma produção de Hollywood, eles puderam usar esse tamanho de orçamento e criar visuais dessa qualidade," Hirano acrescentou. A maioria dos filmes japoneses trabalham com menos de 10% dos 110 milhões do orçamento de Ghost in the Shell, só para se ter uma ideia.

Mesmo com as entrevistas de elenco, todo marketing de promoção e até a benção de Mamoru Oshii, autor do filme de 1995, o ocidente não poupou críticas ao filme de 2017. Entretanto, de reportado como prejuízo para DreamWorks, o longa superou os 120 milhões de dólares na bilheteria global. Fazendo o paralelo, Speed Racer, outro live-action de anime com estreia mundial, teve orçamento de 120 milhões de dólares, e quase 94 milhões de bilheteria global.

"Ela estava muito legal. Eu amei ela em Vingadores, e queria ver esse filme porque ela estava nele. Se eles tivessem feito uma versão japonesa, eles teriam provavelmente escalado alguma idol* boba," disse Hirano, ecoando a opinião de outros fãs, surpresos com a polêmica em terras ocidentais.

(*Idol: as famosas -e polêmicas- estrelas japonesas)

Entretanto, Hirano criticou o filme por ser superficial quando comparado ao material de origem, e por recusar a se engajar nas questões filosóficas e existenciais de identidade, grandes temas de Ghost in the Shell.

"Essa foi a base da história original, onde reside a alma? Isso influenciou filmes como Matrix, mas não foi abordado neste filme," disse Hirano.

Yuki, outro espectador da mesma sessão que não leu o mangá original, concordou com a crítica onde o "estilo venceu a substância."

"Estava incrível. Acho que foram os melhores visuais que eles poderiam ter feito em uma versão live-action. A história foi um pouco superficial, entretanto, não se aprofundou nos temas do anime. Mas é uma versão de Hollywood, então o que você poderia esperar?" disse ele.

Yuki também não se incomodou com a escalação da atriz para o papel principal. "Eu soube que as pessoas nos EUA queriam uma atriz asiática para ser ela. Seria ok se ela fosse asiática ou americana-asiática? Honestamente, seria pior: alguém de outro país asiático fingindo ser japonês. Melhor tornar a personagem branca."

Você já assistiu Ghost in the Shell e tirou as suas conclusões? Vem ler o nosso review do filme, até o original nos resenhamos. E prepare-se, pois Ghost terá novo anime! Enquanto isso, solte o play no nosso Redação:


Sobre Bruna

A loca de todas as coisas. Devota de Céline Dion. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts.™ Eu gosto de romances como eu gosto do meu café.

(Eu não tomo café)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.