Header Ads

Japoneses reagem a petição de boicote ao live-action de Death Note


Desde o lançamento do primeiro teaser no dia 22 de março, a Netflix vem atraindo aquele clássico feedback controverso com o live-action de Death Note. Se por um lado o vídeo apresentou o clima dark conhecido, por outro a mostra do elenco deixou os fãs americanos enfurecidos, e muitos correram paras redes sociais a fim de se manifestarem sobre mais um caso de whitewashing.

Entretanto, a coisa chegou a um ponto onde foi criada uma petição para boicotar o filme.

No site Care2 Petition você encontra a "Boycott Netflix's Death Note for Whitewashing!," que possui mais de 16 mil assinaturas e cita que "atores brancos foram escalados para interpretar os personagens dessa adaptação. Death Note não deveria ter um elenco só com atores brancos, pois vai contra a alma da história."


E da mesma forma que o caso Ghost in the Shell deixou os fãs japoneses curiosos, pois eles mesmos não se ofenderam com o trabalho de Rupert Sanders & cia, o caso Death Note gerou a mesma reação: em grande maioria os japoneses não se importaram. Alguns usaram o Twitter para dizer suas opiniões sobre o assunto.

"Se o filme se passa em uma escola americana, então ter atores brancos não é um problema."

"É uma versão de Hollywood, então é ok ter gente branca."

"É como o Godzilla de Hollywood. É a versão de Hollywood, então ter estrangeiros não é um problema."

Enquanto os fãs americanos ficaram muito mais ofendidos, os japoneses encararam o processo com mais calma, dizendo que uma vez sendo a adaptação ocidental do anime, então obviamente tem atores brancos. A única questão que os tweets levantaram foi sobre o detetive L, que será interpretado por um ator negro, Keith Stanfield, o que causou confusão entre eles.

"A coisa que está fora de lugar é o L ser negro."

"Considerando o mangá original, L ser negro é de longe mais estranho."

"Simplesmente não parece que ele se encaixa com o personagem."

Esses casos recentes acabaram lançando uma luz até "inédita" na questão de Hollywood adaptar obras japonesas: a visão geral é que os japoneses ficariam realmente ofendidos se atores asiáticos, mas que não são japoneses, pegassem os papéis de personagens japoneses, alegando que se atores asiáticos fossem escolhidos para os papéis aí sim, eles deveriam ser apenas do Japão.

"Acho que tudo isso é menos problemático do que quando o ator que fez o personagem principal em Speed Racer foi mudado de japonês para coreano.*"

(*Existe um live-action coreano do anime)

"Como pessoa japonesa, eu me ofenderia ainda mais se um asiático sem ser japonês estivesse no papel de um japonês."

"Honestamente, eu preferiria muito mais ter um ator branco ou negro em um cenário americano, do que um ator coreano ou chinês fingindo ser japonês."

E assim acabamos descobrindo coisas interessantes sobre a Maldição da Adaptar Animes Para Filme. Detalhe que mesmo no caso do L foi dito "diferente," e não "ruim." Parece que alguém nesse planeta Terra sabe o que cada palavra realmente significa! O Care2 Petition já tem até uma petição contra petição. Juro. Mas ainda assim, só o tempo dirá se a produção da Netflix vai sobreviver, pois após Ghost in the Shell, não duvide do poder negativo que essa polêmica tem.

Death Note será lançado em 25 de agosto de 2017. Se você ainda não viu o teaser da conspiração, solte o play:


Sobre Bruna

A loca de todas as coisas. Devota de Céline Dion. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts.™ Eu gosto de romances como eu gosto do meu café.

(Eu não tomo café)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.