Header Ads

Comentando (com atraso) os vídeos mais legais da E3 2017: Ubisoft/Sony/Nintendo


Fazendo jus a ideia do post, vamos com a segunda e bem atrasada parte dos trailers mais legais da E3, comentados como manda o figurino. Na primeira parte falamos de EAMicrosoftBethesda, e agora vamos de Ubisoft, Sony e Nintendo.

Ubisoft
A conferência: Foi forte, apresentaram muita coisa boa, mas é de novo a mesma história - a Ubi não apresentou tanta coisa que me interessa. No primeiro momento. Mas vendo os trailers, eu ate que balancei legal e não fiquei tão desinteressada assim (vai entender).

Quem chamou a atenção: Mario + Rabbids: Kingdom Battle é "só" um dos melhores crossovers pensados na atualidade. O pançudo da Nintendo tem todo um estilo que propicia isso, mais ainda os coelhos doidos da Ubisoft que eu gosto tanto. Eu amo um nonsense. Além do ótimo uso de música, foi um dos trailers mais divertidos da E3.


Novamente + Confirmando uma tendência da E3 desse ano: vários trailers fizeram um uso ótimo de música, e você vai me ver falando disso bastante nesse post, continuando por Assassin's Creed: Origins. Infelizmente eu não sei o nome da música, mas ela ficou tão boa quanto Champion Sound, de Assassin's Creed: Syndicate.

(Eu me dedico real a conhecer as trilhas de AC)

Não só promete ser um game muito bonito, mas um take diferente na história da Irmandade: como tudo começou? Considerando que a Ubi demorou um pouco até anunciar Origins, chega ser uma ironia com valor poético.


Skull and Bones seria o que Attack on Titan foi pra mim: eu jogaria só por causa desse trailer, que ficou incrível, estilo Black Sails. Deixou aquele "woah, eu quero jogar com a mina pirata que tem o próprio barco dela." E isso vindo de mim, que não tenho todo yada yada com piratas igual a galera, é um baita elogio. Pra não falar de Crazy, do Gnarls Barkley, tocando no vídeo.


A premissa de Far Cry 5 é louca e ao mesmo tempo realista, pois extremistas que se escondem atrás da religião pra justificar atos horríveis, é o que infelizmente mais tem por aí. Então esse trailer ficou muito mais poderoso do que pode parecer, pois Amazing Grace faz isso com qualquer coisa, vide Logan.


Eu adorei esse trailer! Beyond Good and Evil 2 une elementos improváveis, boa dublagem (com um bocado de "fucks," permita dizer), uma trilha sonora ótima que mais parece hip hop meets Bollyhood, reforçando o multiculturalismo do jogo, o feeling cyberpunk/distópico/não sei definir direito, mas que é super aventureiro e divertido. Space Monkey Program time, bitches!


Sony
A conferência: Digo a mesma coisa da Ubisoft - foi sólida, mas não teve quase nada que tenha me interessado tanto assim, pois o estilo de jogo no qual essas empresas investem, geralmente não bate com o estilo de jogo no qual eu gosto. Pelo aspecto estético dos trailers, entretanto, vários foram muito bons.

Quem chamou a atenção: Apesar do que eu falei acima, Detroit: Become Human me deixou encantada. E intrigada. Tá que mais pelo conceito que a jogabilidade em si, pois a ideia é muito boa, e ainda tem essa moda (que eu super aprovo) de moldar o jogo mediante as ações do jogador. Parece um game interessante.


God of War nunca me deixou histérica. Mas eu admito que apesar do clichê imenso, tem todo um apelo comigo você explorar mitologia e coisas mágicas. Kratos conviver com o filho, e pensar que Kratos tem um filho é uma proposta muito inusitada, mas do ponto de vista bom.



Horizon Zero Dawn me deixou intrigada pela combinação de elementos, e como mostrou o uso de tecnologia dentro do game. Animais hi-tech? Loucura. A nova expansão, The Frozen Wilds, é quase um Homens da Montanha, exceto porque a protagonista é a ruivíssima e corajosa Aloy. Gostamos.


Trailers cinemáticos-ou-quase são lindos de ver, mas muito frustrantes, pois são só trailers, nunca viram nada mais elaborado. Ainda assim, dar essa espiadinha em CoD: WW2 foi bem interessante, pois mostra que Battlefield 1 ensinou o caminho das pedras para Sledgehammer, e o retorno as origens pode ter demorado, mas fez muito bem a franquia Call of Duty. CoD passado nas grandes guerras é sucesso (e o que eu mais gosto).

Ah, e a música também foi muito bem usada.


Nintendo
A conferência: Não foi bem uma conferência, mas em menos tempo, a Big N mostrou coisas que me interessaram muito mais em relação as outras empresas. Ironia, logo eu, fã da Sega e que sou super crítica com as coisas que a Nintendo faz (e que não perdoo, critico mesmo).

Quem chamou a atenção: Não tem como você errar comigo ao lançar um game de Kirby. Eu amo Kirby, essa bolinha psicótica-glutona que há anos come de tudo, mas nunca engorda. Esse "retorno as origens" também foi muito bem-vindo, pois o game ficou (pelo menos pelo trailer) adorável.


Esse trailer eu deixo mais pelo valor simbólico. Samus voltando ao bom e velho plataforma, what a time to be alive, nerd. E jogos de plataforma têm espaço VIP no meu coração.


Chegou o game que venceu meu coração na E3 inteira: Yoshi. Não só é uma coisa estúpida de linda e fofa, o tipo de game que eu adoro pra jogar e me desligar do mundo ao redor, mas que traz uma ideia muito, mas muito boa, que quem viveu a era 8/16 bits já deve ter pensado: como seriam as fases "por trás" dos cenários que elas mostram? Tipo bastidores, literalmente.

Então... You go, Yoshi.


Se não tem como errar comigo num game de Kirby, menos ainda num trailer de Zelda. É sempre impecável. A expansão Master Trials tem toda jogabilidade que grita Legend of Zelda. com o traço lindo e meio que diferente de Breath of the Wild. Por que a gente ainda não tem uma série animada dessa franquia, hein?

(Outra que não seja a de 1989, por favor)


Super Mario Odyssey traz um punhado de ideias malucas num monte de gráficos super bonitos, a mesma atmosfera que eu elogiei em Yoshi (de incentivar o "desligamento do mundo externo"), com um trailer ótimo e novamente, com ótimo uso de trilha sonora.

E querida Nintendo: Mario usar o Cappy para "capturar" os personagens, ao invés de "possuir" eles, muda um grande monte de nada. Quem captura, por tabela possui... Achei que Pokémon tinha ensinado isso? Então essa conversa pra boi dormir não me convence. Mario ainda parece um sequestrador sim. #pas

Sobre Bruna

A loca de todas as coisas. Devota de Céline Dion. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts.™ Eu gosto de romances como eu gosto do meu café.

(Eu não tomo café)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.