Header Ads

Marvel quer produzir jogos ainda mais ambiciosos


O mercado nerd atualmente tem um número OK de jogos da Marvel: os futuros Marvel's Spider-Man, Lego Marvel Super Heroes 2a série de Guardiões da Galáxia, Marvel vs Capcom: Infinite, e o game dos Vingadores que será produzido com a Square Enix. Sem falar dos games mobile, que até são bem bons. Mas a Casa das Ideias quer produzir jogos ainda mais ambiciosos.


Jay Ong, da Marvel Games, falou em entrevista ao GamesIndustry sobre as parcerias firmadas com a Telltale Games, Square Enix, Insomniac Games, Capcom, e do resultado que elas já estão gerando.

"Não é só um alinhamento criativo. Ambição é uma parte enorme disso," Ong disse. "A menos que você queira fazer um sucesso incrível, não estamos interessados em fazer parceria com você. Então, precisamos compartilhar a visão criativa e, você está faminto? Está disposto a investir talento, tempo, e os recursos para criar um grande jogo como Spider-Man, Marvel vs. Capcom Infinite ou The Avengers? Todos esses serão jogos enormes com longos ciclos de desenvolvimento e talentos de primeira linha."

E a abordagem está se mostrando desde o começo. "Até certo ponto, é como se quase todo grande título que as pessoas veem, ou parcerias que nós anunciamos, levam a coisas ainda mais interessantes," Ong afirmou. "Isso basicamente legitima que somos ótimos para colaborar. E, o mais importante, há o resultado. Olhe para Spider-Man - o game fala por si só. Então, a estratégia foi sólida e provada. Você pode ver isso na E3. Marvel vs Capcom é incrível, e Spider-Man será um fenômeno no ano que vem."


Apesar da Marvel ter gostado de trabalhar com a Activision nos games anteriores do Homem-Aranha, a nova abordagem da Insomniac vem sendo muito falada. "Certamente a forma como pensamos sobre nossas parcerias não é tanto sobre a criação de uma construção legal que se prolonga a longo prazo, é sobre a criação de relacionamentos a longo prazo", disse Ong.

"Portanto, não é muito sobre se existe um compromisso legal de fazer X, Y e Z, mas um desejo de dizer: 'Bem, isso é tão bem sucedido, vamos fazer mais coisas juntos.' No final do dia, se um projeto não é bem sucedido, não acho que nenhuma das partes quer ficar na parceria. Isso é lógico e faz sentido."


Por fim, para Ong o processo se resume a paixão dos projetos, não as licenças.

"Nós confiamos menos na obrigação contratual, pois essa é uma ferramenta pobre para determinar o comportamento. É sobre o que é mutuamente benéfico. Essa é uma grande parte do nosso trabalho, para atuar como gerente de portfólio. Como nos certificamos de que os jogos são diferenciados o suficiente para que os parceiros não sejam prejudicados por outros jogos, e que os consumidores não estão confusos?", Ong declarou.

"Algumas gerações atrás, houve um desejo de produzir muito conteúdo. E agora nós fomos para menos e menos. Tem sido uma decisão consciente de aumentar e diminuir, para evitar a saturação ou a confusão do consumidor. Não deve haver confusão sobre qual deles é melhor. Se houver um [game], ele será bom. Essa é a promessa por trás de tudo."

A abordagem é muitíssimo interessante, ainda mais considerando o histórico da Marvel de sambar na hora de produzir jogos para consoles ou PC, ou de produzir algo que realmente deixe um bang nos dias recentes que não seja a série Lego, ou Marvel vs Capcom. Só o futuro dirá o resultado real, mas se depender de esforço, a Casa das Ideias vem para o famoso go big or go home.

Sobre Bruna

A loca de todas as coisas. Devota de Céline Dion. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts.™ Eu gosto de romances como eu gosto do meu café.

(Eu não tomo café)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.