Header Ads

Vale a pena ler de novo: Resumo da semana 02/07 a 08/07


Lá vamos nós: meio de julho, você talvez pensando se toda aquela crise Brasília feelings deu um chá de descanso na vida Pessoa que Vos Fala™... Ha. Tente novamente mais tarde. Ainda assim estamos na pista, caminhando, cantando, nerdiando, pois sem nerdices não dá pra viver a vida. A semana foi caótica no offline, continuando a vibe desses dois meses que vem me deixando a beira da loucura. E eu não digo isso brincando.

Mas não dá pra viver essa retrospectiva toda santa segunda-feira só falando de problema, né? Chega uma hora que enche até a minha paciência. Por outro lado, o trabalho aqui sempre rende muita conversa legal entre eu e o Waka, umas meia dúzia de piada ruim, ideias, minhas tradicionais poucas horas dormidas, pois dormir é algo que eu não sei desde 2005, acho. 

O site vem crescendo bem, caminhando para o primeiro ano online. (!) O tempo tá correndo mais que Barry Allen antes de criar o Flashpoint. Mas a experiência tem sido bacana por demais. Mesmo com os contratempos, que são muitos, eu tô adorando. E todo dia eu me esforço pra seja por meio de uma notícia, review, ou dessa retrô, você ver o quanto eu gosto daqui. E ver o quanto eu quero que você se informe, se divirta conosco.

E eu tô enrolando demais, acho. Vamos aos temas da semana.

*sobe a vinheta do Nerdices de Família*

O retorno do Homem-Aranha
Na quinta-feira estreou Homem-Aranha: De Volta ao Lar. O pessoal tem recebido o filme super bem, e eu sempre penso até onde vai o senso crítico da galera, o "poxa vida, foi maneiro mesmo" sincero, e onde começa a tietagem cega, só por ser um filme produzido pela Marvel. Nesse caso, co-produzido com a Sony, mas na cabeça de uma galera, acaba que dá na mesma.

Não sei se verei o filme, confesso. Gosto do Aranha, embora mais por uma perspectiva sociológica que de fã. Acho ele um caso mega interessante de como realidade e ficção se mistura, e de como criar engajamento e empatia tão fortes. Ainda assim, não é exatamente o bastante pra motivar meu gasto de dinheiro, e principalmente, de tempo, pois eu sou bem cricri na hora de escolher os filmes pra assistir.

Mas eu até fico feliz pelo sucesso do filme já na estreia, mesmo sem ser o público alvo dele. Tom Holland é um bom ator, sua estreia em Guerra Civil não dava pra ser mais Homem-Aranha do que foi. E se você quiser me convidar, o que é bem diferente, claro que eu aceito. Você rejeita muita coisa na vida, mas não um convite pra cinema.

Observações aleatórias sobre Overwatch
Semana passada finalmente foi revelado o tão falado Doomfist, e brincadeiras +18 a parte, foi bem legal. O que a Blizzard conseguiu com Overwatch é bem único: criar um nível de engajamento tal, onde mesmo as pessoas que não jogam o game (eu sou uma delas), gostam de ficar em dia com as coisas desse universo, que é muito rico, por sinal. Tinha que ver a minha reação quando eu soube do anúncio, foi bem engraçado.

Isso novamente acende dentro da minha cachola o debate que as vezes surge nos sites:

Overwatch deveria ter conteúdo singleplayer?

É uma faca de dois (le)gumes. Parte enorme do sucesso do game vem justamente do charme de você não saber todos os detalhes num modo campanha, capítulos, de não ver a Crise Ômnica, de não mostrarem a fundo a origem da Tracy, do Winston, ou explorarem mais as interações da Sombra com os outros personagens.

Mas ao mesmo tempo... Poxa. Eu fiquei histérica com o vídeo de origem do Doomfist, você não tem noção. Primeiro, a animação da Blizzard é nunca menos que sensacional, seja 3D ou mais "puxada pra desenho." Segundo, foi outro bit de história acrescentado a esse universo cuja mitologia é tão rica. E eu adoro isso por demais.

Tá chegando o Evo 2017!
Fã de FPS? Já peço desculpas, pois a melhor semana, empatada com a Capcom Cup, chegou: a semana do Evo! A Meca dos games de luta se reúne em Mandala Bay a partir do dia 14 e guenta coração, minha ansiedade nunca foi tanta. Esse ano eu tenho acompanhado bem melhor a FGC, a comuna que mesmo com seus defeitos, é de longe a mais legal dos eSports.

Só que o Evo tem aquele problema de praxe... Um monte de coisa pra assistir simultaneamente, e infelizmente eu só tenho uma cabeça pra lidar com no máximo, 2 fluxos de informação. Então, tem que rolar o uni-duni-tê: quais jogos assistir?

Street Fighter V é de lei. Um americano enfim vencerá o Evo? Eles são bem talentosos, e a chance é grande, mas a tiete asiática em mim, torce contra isso. (#pas) Tem gente em alta (Punk, Smug, Snake), gente ralando pra ficar em forma (Daigo, Infiltration, Xian), e gente contrariando a lógica, e ainda fazendo bonito (Fuudo, Bonchan). Então há potencial de muito rói unha com ótimas lutas.

O outro jogo que eu quero ver é BlazBlue: Central Fiction. Parece aleatório, mas anote: nenhuma escolha minha é mero acaso. (risos) Tudo tem um motivo filosófico por trás. BlazBlue foi o primeiro jogo que eu vi do Evo, naquela final fantástica entre Dogura, e Garireo, com cada comeback que olha. Então ver a entrada do Central Fiction esse ano, me deixou bem animada.

As vezes eu dou uma espiadinha no Melee, pois é um lance inexplicável: o jogo é antigo, eu nem curto a narração tanto assim, mas acaba que é divertido de ver.

Armadura Nerd no Anime Friends 2017
Yep, o menino Wakashimazu esteve lá. Então prepare-se para uma semana com várias coisinhas que ele já está produzindo, e todo um balanço sobre a edição 2017 do tradicional evento da Yamato. Pra adiantar, já deixo os dois primeiros vídeos e o convite: vamos clicar nos links da retrô?



Do site

Especial Homem-Aranha

Cinema

Games

Games de Luta

eSports

Mobile

TV e Web

Colecionáveis

Eventos

Sobre Bruna

A loca de todas as coisas. Devota de Céline Dion. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts.™ Eu gosto de romances como eu gosto do meu café.

(Eu não tomo café)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.