Header Ads

Game & Música: A trilha sonora de Ultra Street Fighter II (Review)


Desde que começaram as segundas dos jogos de luta, uma coisa eu tinha em mente e ainda não fiz aqui no site: um Game & Música dedicado a isso. Muito porque faz uma pequena eternidade que não publicamos um Game & Música, embora não seja o retorno triunfal pra todo sempre amém, vale explicar. É só um revival tiro único mesmo. Surgiu a chance, então falemos da super cativante trilha de Ultra Street Fighter II: The Final Challengers.

O game é a coisa mais simples da história: uma versão atualizada de Street Fighter II: The World Warrior, com jogabilidade baseada em Super Street Fighter II Turbo + ajustes no balanço do jogo, e opções moderninhas tipo multiplayer. Lançado em 26 de maio para Nintendo Switch, o game foi o abre-alas da Capcom com o console da Big N, e pode ser a porta de entrada para outros títulos.

No momento o Switch conta com fighting games antigos como:

  • Garou: Mark of the Wolves
  • The King of Fighters 98/99/2000
  • Samurai Showdown
  • Fatal Fury
  • Fatal Fury Special (remix do segundo game)

O Polygon diz que lançar jogos de luta para o Switch será complicado, mas o Polygon diz muita coisa que só a misericórdia de Deus Umehara. Fica o link do artigo. Entretanto, não seria/será surpresa ver IPs clássicos desembarcando no console, afinal, é uma opção segura, mais atrativa, e digamos até que com melhor custo-benefício. Imagina a loucura de por exemplo, portar Tekken 7 para Switch, sendo que a procura é muito menor em relação a PS4/Xbox One?

Fora que a essa altura as empresas já sabem como é levar jogos antigo até para os smartphones, vide a SNK com KOF 97, 98, 2012, Samurai Showdown II, Garou: Mark of the Wolves, e Fatal Fury Special. Ta-da: praticamente os mesmos títulos do Switch.

Mas vamos de vídeos pra você conhecer e/ou reforçar a ideia do que é o game:




USFII tem dois modos de jogo: o "clássico," que usa gráficos pixelados, tela em formato 4:3, música original, enquanto o "nova geração" usa gráficos atualizados a la Super Street Fighter II Turbo HD Remix (2008), tela em formato 16:9, e músicas remixadas.

É fantástico por si só quando você pensa na tecnologia limitada dos anos 90, mas que mesmo assim a Yoko Shimomura compôs a trilha eternizada do game original. Sim, a música de Street Fighter II foi feita por uma mulher. Mas agora, pra 2017, o dilema: manter o charme original, aquelas partes clássicas, mas atualizar pra deixar moderno e ainda mais bonito. Resposta em duas partes:

Primeiro, você precisa de instrumentos reais, claro. Bonus points se forem muito bem tocados igual em USFII. A trilha sonora do game é feito a "irmã mais nova" da trilha Street Fighter V, o game com as melhores músicas da franquia, se não o melhor. Ambas têm em comum a pegada rock, com outros instrumentos que ambientam bem ao estilo de cada personagem.

Mas segundo, e um ponto muito importante: arranjos bem feitos. O arranjo precisa tirar vantagem das coisas atuais, porém manter o que lembra os clássicos: o sininho da bicicleta no tema da Chun-Li, o tanananana do tema do Guile, nostalgia é fundamental.

Entretanto, como a ideia é dar esse ar ao mesmo tempo antigo, vão os truques como usar muitos teclados, pois teclado = instrumento básico da música nos anos 80 e 90. Lembra muito Super Hang-On e Streets of Rage, inclusive. E ainda tem as pequenas orquestrações (tema da Cammy), momentos dançantes (Dee Jay), tradicionais (Ryu, Dhalsim). Se você quiser um exemplo prático, já ouça logo o tema do Zangief, ele traduz perfeitamente tudo isso que eu estou dizendo.



Resumindo: a trilha sonora de USFII tem o equilíbrio perfeito entre velho e novo, tem a dose certa de energia pra ouvir indo estudar/trabalhar, na hora da academia, faxina, mesmo aula de dança, se fosse o caso. Segue a trilha sonora completa, pois em seguida vamos aos destaques:


Cammy
Ele traduz bem a natureza da Cammy: viva , e cheia de energia para dar o Strike Back, se preciso. Os teclados dão um ritmo que me lembra Pinball Wizard do The Who. Analogias que só fazem sentido na minha cabeça.



Ryu
O tema dele em SFV é o melhor, e um dos mais bem feitos da game music em geral. A versão USFII também é muito boa, faz mais uso da atmosfera japonesa, criou uma dinâmica bacana. A paradinha aos 57 segundos é demais! Som digno do guerreiro errante.




Dee Jay
O jeitão festivo e dançante casa bem com o fato do Dee Jay ser jamaicano, ter o humor sempre para cima, e dele mesmo lutar no ritmo da música. Não é uma música super complicada, mas eu adoro por ter essa pegada divertida, Shakira feelings.




Vega
Gosto muito do tema do Vega em Street Fighter V, e aqui não foi diferente. E eu amo qualquer música nesse estilo, seja de série, filme, jogo, ou mesmo música música, feito Spanish Guitar da Toni Braxton. Todo ser humano tem uma fraqueza, né? A minha é as vezes, gostar de pieguice. O velho-novo tema do Vega tem toda elegância e classe do assassino narcisista.


Guile
Yep, o clichê é real: o melhor fica pro final mesmo. Como falar das trilhas de Street Fighter e não citar o tema do Guile? É heresia. A original dispensa comentar, todo mundo na casa dos 20 e poucos anos conhece, e vale um estudo científico real, pra tentar entender como tantos elementos tão bons caíram no mesmo som. A versão USFII é impecável, cheio de groove, parece música de big band. Pra você ver que eu não minto:


Então vamos lá, musicar mais um pouco e aproveita pra dizer qual tema você mais gostou na versão USFII e tudo mais.



Sobre Bruna

A loca de todas as coisas. Devota de Céline Dion. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts.™ Eu gosto de romances como eu gosto do meu café.

(Eu não tomo café)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.