Header Ads

Presidente da Lucasfilm pede medidas enérgicas para lidar com os abusos em Hollywood


Em meio ao escândalo de Harvey Weinstein e seus assédios sexuais, muitas mulheres conhecidas em Hollywood sentiram que era a hora de compartilhar parte da sua via crucis e mostrar umas as outras que infelizmente elas não estão sozinhas nisso. Mas Kathleen Kennedy está entre um seleto grupo de pessoas com poder real de mudar essa maré.

A presidente da Lucasfilm sugeriu apenas punições severas aos culpados em casos de assédio sexual, durante o Elle's Women em Hollywood:

"Uma demanda está crescendo por ação a fim de evitar futuros abusos de direitos civis e humanos no futuro," disse Kennedy. Ao abordar a controvérsia de frente, ela acrescentou que "uma maior conscientização sobre o desprezo, a objetivação e a predação sofrida pelas mulheres que trabalham no cinema certamente será um resultado da exposição do que Harvey Weinstein fez."

Kennedy disse que "os predadores devem sentir que não podem contar com poder ou riqueza ou fama para protegê-los," e elogiou as mulheres que vieram a público nas últimas semanas.

Ela então pediu por "políticas de tolerância zero para o comportamento abusivo e um sistema seguro, confiável e irrepreensível em que as vítimas de abuso possam relatar o que aconteceu com expectativa confiante de que serão tomadas medidas, sem colocar seu emprego, reputação e carreira em risco."

Kennedy sugere para que a cultura mude, devem ocorrer fortes repercussões.

"Nos últimos dias eu conversei com amigos e colegas, e quero usar meus poucos momentos de fala esta noite para propor algo," continuou. "As organizações que constituem a indústria cinematográfica americana - estúdios, sindicatos, associações e agências de talentos - devem convocar imediatamente uma comissão encarregada de desenvolver novas proteções em todo o setor contra o assédio e o abuso sexual."

A comissão proposta ganhou o apoio de atrizes como Jennifer Lawrence. E com ainda mais apoio, o objetivo de Kennedy pode se tornar realidade.

"A comissão deve ser totalmente financiada por nossa indústria, a fim de abordar a tarefa em questão de forma abrangente", disse. "O objetivo dessa comissão seria transformar nossa indústria em relação ao assédio sexual e ao abuso no local de trabalho."

Com Kennedy e outros nomes poderosos em Hollywood apoiando a comissão, e tantas outras figuras famosas que têm sido tão vocais sobre o respeito as mulheres na indústria do cinema (Meryl Streep, Patricia Arquette e Patty Jenkins as primeiras que me veem a mente), que não só atrizes, mas todas com algum emprego relacionado a sétima arte, possam ver dias melhores.

E que esse exemplo, uma pessoa pode sonhar, pudesse ser seguido por outros segmentos da vida.

Sobre Bruna

A loca de todas as coisas. Devota de Céline Dion. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts.™ Eu gosto de romances como eu gosto do meu café.

(Eu não tomo café)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.