Header Ads

Terceira temporada de Supergirl estreia com tom diferente do usual


SPOILERS A SEGUIR.

Das quatro séries do Arrowverse, Supergirl permanece sendo a mais leve e otimista, resultado direto da perspectiva que Kara Zor-El/Danvers tem da vida. Desde o começo a personagem tem sido um ponto de esperança para National City várias vezes - optando por soluções não-violentas sempre que possível. Entretanto, o final da segunda temporada deixou um efeito... Complicado.

No final da segunda temporada, Kara foi forçada a decidir entre salvar National City e todo planeta Terra da invasão Daxamita de Rhea, ou salvar seu relacionamento com Mon-El, o príncipe de Daxam. Entretanto, no fim do dia ela tomou a decisão certa: salvou a Terra ao dar a seus amigos a chance de lançar o dispositivo que liberou na atmosfera do planeta uma substância que tornou o ar irrespirável para os Daxamitas - incluindo Mon-El. Forçado a fugir, os dois se separaram, e a terceira temporada mostra Kara ainda lidando com a perda.

Muito de "Girl of Steel," episódio de estreia da terceira temporada, foca em quão distante Kara tornou-se dos amigos e família - e o quanto ela continua a se distanciar de todos a medida que eles tentam confrontá-la sobre o seu processo de encarar a perda. Alex e James Olsen estão preocupados em particular com esse comportamento uma vez que Kara vem deixando de lado sua vida civil, e se dedicando mais e mais em patrulhar as ruas de National City como Supergirl.

Kara, por sua vez, perdeu a noção do por que ela tornou-se uma heroína em primeiro lugar, e usa sua persona como Supergirl na tentativa de diminuir a culpa que ela sente por sacrificar Mon-El. Com isso, seu estado emocional é muito mais diferente do que o visto anterior - você pode até dizer que dark. E essa mudança é repetidamente apontada por todos em volta da personagem. 


Entretanto, apesar da mudança de atitude, a série não exatamente perde o foco do otimismo e bom coração. Ao invés disso, mudam os papeis: Kara sendo a Danvers séria e sem tempo para nonsense, Alex tem a chance de ser o ponto de esperança, especialmente agora, em meio aos preparativos do casamento com Maggie Sawyer. E essa diferença cria um atrito entre as duas, bem com na amizade com James, agora dirigindo a CatCo.

A única amizade relativamente não afetada é com Lena Luthor, porém Lena não conhece a identidade heroica de Kara... Vai saber o que o futuro reserva.

E você até achar uma motivação boba (e realmente é), mas quem sabe? É visível que os roteiristas não pretendem seguir as lições de obscuridade do Arrowverse, mas porque não, uma razão superficial pode ser a base de um questionamento maior sobre o que é ser humano, e o que custa para ser um herói, sobretudo um do tipo otimista. 

Uma pessoa pode imaginar.

E aí?

Na próxima semana vai ao ar o episódio "Triggers," com a estreia da vilã Psi (Yael Grobglas). Uma ladra com poderes psíquicos, Psi ataca National City usando sua habilidade em paralisar as pessoas ao acessar os seus piores medos. Enquanto isso, James (Mehcad Brooks) e Lena (Katie McGrath) se veem num impasse, e Samantha começa seu novo emprego na L-Corp. Vamos de vídeo!


Sobre Bruna

A loca de todas as coisas. Devota de Céline Dion. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts.™ Eu gosto de romances como eu gosto do meu café.

(Eu não tomo café)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.