Header Ads

Solta o Play: Phil Collins - Take Me Home


Com o dia um tanto quanto corrido me passou realmente batida uma notícia que eita: Phil Collins anunciou três shows no Brasil. Pra garotada com menos de 20 anos e sem noção de música, não dá pra entender o motivo da histeria do pessoal. Mas quem saca um pouquinho que seja do pop rock anos 80, até do 90, e já passou dos vintões (eu tenho 28), Phil Collins é um nome bem familiar.

No meu caso: Ele é um dos heróis da minha vida. Atualmente eu não tenho tantos quanto ante, pois a gente cresce e fica meio amargurado, super seletivo com as pessoas. Ou pelo menos eu fico. Mas Phil Collins é um dos meus heróis por toda sua história de dedicação a algo que se gosta, do multitalento, da superação das dificuldades e principalmente, das críticas.

Quem nunca presenciou mesmo que no virtual, a rixa entre os fãs (heh, sempre essa raça) do Peter Gabriel vs Phil Collins, ainda não passou pelo ritual de batismo.

Fora que eu tenho o vinil do Invisible Touch, apenas o melhor álbum do Genesis, dado pela minha mãe. E não é porque ela comprou, o vinil era dela (presente do meu pai, época de namoro), e eu fiquei tão fã dele que ela me deu o vinil. Dali pra frente eu desenvolvi toda minha paixão pela música anos 80, a música em geral como forma de arte, e resumindo, foi uma das "coisas" que me fez chegar aqui.

complica que eu tive de escolher só uma música pra gente abrir a semana, então vamos com uma que eu tenho ouvido bem: Take Me Home. Todos (eu digo, t-o-d-o-s) os clipes do Phil são muito legais de se assistir (do lendário In The Air Tonight, Easy Lover, ou os ótimos Illegal Alien e I Can't Dance do Genesis), e Take Me Home não é diferente. É de um tempo mais simples, onde a gente não tinha nem metade da tecnologia de hoje, então a galera resolvia esse problema do jeito que eu mais gosto:

Com criatividade.

Daí você vê hoje em dia muita gente disfarçando clipes sem criatividade com explosões, dançarinos quase nus e etc.. Ou com imagens da banda tocando. Não tem clipe que hoje em dia me provoque mais ódio que mostrar a banda tocando do começo ao fim, salvo poucas exceções.

Enfim.

Take Me Home é daquelas músicas que eu adoro ouvir nos momentos onde eu preciso respirar e juntar as ideias de novo, relaxar e pensar um pouquinho na vida. Então vambora dar play nessa beleza:



Take that look of worry, I'm an ordinary man
They don't tell me nothing, so I'm finding out all I can
There's a fire that's been burning right outside my door
I can't see, but I feel it, and it helps to keep me warm

So I, I don't mind, oh I, I don't mind

Seems so long I've been waiting, and I still don't know whatfor
There ain't no point in escaping, no, I don't worry anymore
I can't come out to find you, I don't like to go outside
They can turn off my feelings like they're turning off thelight

But I, I don't mind, oh I, I don't mind
Oh I tell you I don't mind, oh I, I tell you I don't mind

So take, take me home, 'cos I don't remember, take, take me home
'Cos I don't remember, take, take me home, oh, Lord

'Cos I've been a prisoner all my life, and I can see you

Take that look of worry, mine is an ordinary life
Working when it's daylight and sleeping when it's night
I have no far horizons, I don't wish upon no star
They don't think that I listen, ah, but I know who they are

But I, I tell you I don't mind, oh I, I tell you I don't mind
Oh I, I tell you that I do not mind, oh I, I don't mind

So take, take me home, 'cos I don't remember, take, take me home
'Cos I don't remember, take, take me home
'Cos I don't remember, take, take me home, oh, Lord

But I've been a prisoner all my life, and I can see you
But I don't remember - take, take me home

You know, 'cos I don't remember - take, take me home

Take me home (take me home)

Just take me home, take me home

Sobre Bruna

A loca de todas as coisas. Devota de Céline Dion. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts.™ Eu gosto de romances como eu gosto do meu café.

(Eu não tomo café)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.