Header Ads

Expectativas para Capcom Cup 2017


Já diria a canção que falta muito pouco ou quase nada para o fim da Capcom Pro Tour 2017 e eu não podia estar mais ansiosa. Histérica? Bastante, mas internamente. Pela primeira vez nesse negócio que a gente chama de vida eu vou acompanhar a Capcom Cup, nesse 2017 maravilhoso pelo contato com os jogos de luta, infelizmente só como "telespectadora," mas quem sabe no futuro também como jogadora e curtidora do sofrimento de ser main de Chun-Li.

Foi um ano mega especial com Street Fighter V, e coroar tudo com lutas do mais alto do alto nível, nada melhor. Então não tem como não abrir a semana sem falar de expectativas, né? Afinal o ser humano tá sempre esperando tudo de todas as coisas.


O Last Chance Qualifier
Pela primeira vez nessa indústria vital a Capcom Cup terá o last chance qualifier, comum nas finais regionais: é a lanterna dos afogados, onde todo mundo vai brigar pela vaga restante bem ali na frente do nariz. Ou não, pois os envolvidos prometem um sufoco.

Citando só inscritos da primeira página, de conhecidos nós temos: 

  • ChrisG
  • Xiaohai
  • Fchamp
  • K-Brad
  • DR Ray
  • Deus MOV
  • GamerBee
  • Brian_F
  • Mono
  • INFILTRATION
  • Samurai
  • Caba
  • PR-Balrog
  • Alex Myers
  • Nemo
  • JB
  • LPN
  • Moise
  • Commander Jesse
  • Imstilldadaddy
  • brenttiscool
  • Stupendous
  • gllty
  • Dieminion
  • Chris Nguyen

Não tá tão mal, né? Minha torcida no LCQ é clara: MOV. O que ele fez com a Chun-Li, condenada por muitos, não é humano. E acontece da Chun ser minha favorita de Street Fighter, risos. MOV tem consciência que pode ser suicida toda hora graças aos nerfs sofridos, então ele se mostrou mestre da paciência, abusou do Spinning Bird Kick/Lightning Kick, e teve momentos mais do que memoráveis como Top 8 do EVO após eliminar o Bonchan numa luta dramática.

No mundo ideal eu vou gritar, vibrar, falar umas besteiras e ver o MOV pegar essa vaga nada sofrida, chegar lá, vencer os 32 e ser campeão. O detalhe é que a competição tá boa:

- Mesmo não tendo se encontrado feito Smug, você nunca pode tirar um Balrog da jogada, então o Eduardinho tá marcado no meu radar;

- Caba foi um ótimo representante LATAM;

- Se o FChamp não tá perdido na vida por causa do tempo dedicado a Marvel vs Capcom: Infinite, é alguém pra deixar outro olho de olho, muito porque ele tem provocações psicológicas que eu não sou besta. Ou vai dizer que o showzinho no EVO na luta com Verloren, que até tirou a luta da stream, não foi pra desestabilizar? #Atenta

- K-Brad quando resolveu falar menos e jogar mais, achou o rumo da jogatina com a Cammy. Se ele ainda tá com o botão UFC desligado? #Descubra

- Infiltration foi uma pena não entrar pelos meios normais, justo ele que se eternizou no EVO com o Download Complete, ha. Gosto dele ser outro guerreiro que alternou o ano entre Nash, Juri, venceu com a Juri, e tem treinado com a Menat. Definitivamente não é carta fora do baralho;

- E outra ausência lamentável na classificação foi o Nemo, com um Urien fantástico. Quem joga de Urien tá bem representado com o Dogura, entretanto, mesmo ambos tendo jeitos diferentes de jogar. Nemo é talvez o nome mais forte que eu vejo nesse LCQ.

ATUALIZAÇÃO (05/12): Foram definidas as pools do LCQ. Haja coração!
ATUALIZAÇÃO (09/12): Nemo venceu o LCQ e vai para vingança contra Punk


Os 32 convocados
Aqui você conferiu as chaves de quem pega quem nas 16 lutas da Capcom Cup. Mas calma, é tudo pegação na broderagem! O famoso sistema de dupla eliminação vai garantir stress extra pros nervos, num mix de gente que venceu eventos da CPT e que não venceu, mas teve boas colocações. É difícil cravar resultados, mas dá pra gente fazer uns destaques:

EUA
Você não vai me ver torcendo pra americano, já aviso. Sou #TeamJapan e comigo o negócio é deixar os EUA mais free que Raul Seixas em Aluga-se. Por mais que existam bons jogadores americanos, o santo não bate. Não vou com a cara desse pessoal, salvo uns que apesar de não curtir, eu respeito.

Os problemas que eu vejo: Justin Wong, velho de guerra que sabe lidar com a pressão, Smug, pela fase, e Punk também pela fase. No caso do Punk, entretanto: Ele é bom? É. Muito bom? Não sei. Punk joga de um jeito agressivo, mas relativamente repetitivo. Exemplo: você pode esperar ele fazer de tudo pra Karin arremessar o adversário N e N vezes. É batata. Mas uma vez neutralizado, Tokido provou que Punk tem certa dificuldade de se recuperar. 

(Fora que: Como não ser o melhor americano quando os jogadores americanos não estiveram lá essas coisas?)

Europa
Eu realmente não consigo seguir a cena europeia. Mas eu sei que o Problem X veio numa parte final da CPT bem empolgada, e com certeza vai usar isso ao seu favor. Luffy com a nada apelona  R. Mika e esses assists ridículos da Nadeshiko sempre são coringa na mão de quem sabe usar.

LATAM
Ah, LATAM. Foi um bom ano, que revelou o louco das ideias do Menard. Ele é um fenômeno. O Birdie da vida real não só tem atitude, mas tem qualidade de jogo, sabe explorar o seu personagem e é muito perigoso. Começamos com o pé errado, afinal zoar Lord Daigo e Senhor não vai conquistar a minha simpatia, mas eu realmente aprendi a gostar do menino Mena.

E esse ano... Tem Brasil em dobro! Enquanto Brolynho entrou pelo ranking normal, DidimoKOF, o cara da melhor tag no mundo, conquistou a vaga na final regional, e tende a ser bem interessante os dois metidos nesse enrosco.

Brolynho é o "rei" brasileiro, não tem como negar. Ele não participou de tantos eventos da CPT, mas onde marcou presença ou venceu, ou ficou no top 5, salvo o EVO. E essa regularidade deu certo.

Didi já foi o caso de não vencer nenhum evento exceto a final LATAM, mas a regularidade deixou ele em boa posição de chegar onde chegou. Com isso o melhor Dhalsim das Américas tá doido pra fazer uns churrascos de boneco, ha.

Ásia
O coração tiete tá dividido na torcida entre tanta gente boa que chega traumatizar.

Tokido é o herói shonen que o mundo precisa. Bonchan começou a CPT a mil por hora, era lindo de ver ele sendo tão agressivo com o Nash, mas depois sumiu. Xian foi outro em crise, mas sobreviveu, o que é bom. Nada contra o Yukadon, mas Xian tem a única Ibuki que eu gosto de ver.

Kazunoko, Mago, Fuudo, Momochi, Dogura são os que você jamais deve ignorar, e o Moke é a revelação do ano. Pense num Rashid doido! É o dele. E apesar de odiar jogar de Zanguief, que me fa sentir ágil feito um saco de cimento, o que o Itazan faz é de tirar o fôlego. Quanto ele tá inspirado, tipo Canada Cup, dá um gosto miserável de ver.

Verloren, o Cammyzeiro mais agressivo, é sempre uma alegria de ver jogar. Ele abusa dos v-triggers, de toda agilidade da personagem, jogou de igual contra o com Bonchan no Bam9, uma das melhores finais da CPT.

Por fim, Daigo. Ele passou num ano meio sabático pela troca Ryu/Guile, e foi inconsistente várias vezes, mas ainda calou a crítica com resultados que mostraram um ano nem tão ruim assim. Daigo entrou na Capcom Cup pelo ranking normal, claro, e dentro do top 20. Era, se não me engano, pra ser top 15, mas deus é generoso, e não competiu em alguns eventos pra evitar fazer gatekeeping.


Lutas pra gente ficar de olho
Todas? Risos. Tirando todas, pode contar comigo meio histérica além da conta com:

  • Punk x Vencedor do LCQ (Caso seja Infiltration, Nemo, ou principalmente, MOV)
  • Daigo x Brolynho
  • Xian x Menard
  • Bonchan x Smug
  • Yukadon x DidimoKOF
  • Verloren x Mago

Isso porque sendo sistema de dupla eliminação, eu nem tô considerando quem cair pra Losers... Então fique com a gente, vamos surtar juntos! O próximo fim de semana tem maldade, Street Fighter V, emoção, é tipo presente de natal uns dias adiantado.

E... Será que vem Sakura por aí? Sagat? Nenhuma das anteriores?

Sobre Bruna

A loca de todas as coisas. Devota de Céline Dion. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts.™ Eu gosto de romances como eu gosto do meu café.

(Eu não tomo café)

6 comentários:

  1. passei a acompanhar a cena competitiva por conta da batalha entre Daigo vs Justin em SFIII, memorável. A partir da ai comecei a acompanhar o Daigo, nao e nem nunca vou desmerecer nossos compatriotas, mas minha torcida sempre vai ao The Beast.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou mais nova em acompanhar os negócios, infelizmente :( Mas eu me diverti um absurdo esse ano, e a minha tendência é seguir a cena de SF ainda mais de perto, ver mais eventos, aprender mais coisas, etc. Jogar ainda não po$$o, mas a gente chega lá haha

      E sim! Os brasileiros são muito bons, sempre tem alguém da LATAM com qualidade, mas o Daigo tem uma história brilhante. Não tem como torcer contra.

      Excluir
  2. que artigo maravilhoso esse em portugues, de alguem q acompanhou a cena o ano inteiro realmente. So tenho acompanhado sites gringos, mas depois desse artigo vou ficar de olho nesse aqui. Curti mto e saquei todas as entrelinhas hahaha massa demais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aw, valeu Blue. Meu 2017 foi super marcado pela FGC nesse sentido. É a melhor comuna dos jogos e dos eSports #pas Segui e aprendi o máximo que meu tempo permitiu, me diverti muito, e a tendência/desejo/plano é ampliar isso em 2018.

      E eu... Não sei fazer jornalismo profissional. Sei ser escrever na sinceridade, dar umas tietadas, jogar umas referências e tamos aí haha Mas fique por aqui mesmo que cê tá no lugar certinho \o\

      Excluir
  3. Eita, que artigo bem escrito, dá pra perceber que é de alguem que acompanhou a cena...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pro primeiro ano acompanhando realmente o competitivo de Street Fighter, tentei equilibrar o máximo da vida offline com a CPT, ver torneio no fim de semana é embaçado rs Mas quando o negócio é bom você até grita de madrugada, acorda o pessoal, ou vira madrugada assistindo as coisas e tamos aí haha Brigada pelo feedback <3

      Excluir

Tecnologia do Blogger.