Header Ads

Referências, bom humor, aliens e armas: Conheça o badass Serious Sam


Você que for da minha faixa etária dos 20-quase-30, sabe que o mundo dos FPS não se resume apenas a Call of Duty. A popularidade do título da Activision moldou, e muitas vezes de forma errada um dos gêneros mais polêmicos dos jogos, porém a variedade de jogatina quando o assunto é atirar em coisas, existe sim. E eu orgulhosamente volto ao Cosmo Nerd (depois de um bom tempo) para provar o meu argumento com Serious Sam.

Sam I am
Serious Sam é um FPS que foi lançado originalmente para PCs pela desenvolvedora croata Croteam. O que fica meio óbvio pelo nome, risosGame indie. Porém a popularidade crescente do primeiro game resultou em ports para GameCube, PS2, Xbox Live Arcade, Xbox, e Xbox 360, que é de onde sai o assunto da nossa conversa de hoje. Mas antes, falemos sobre esse indivíduo que se você conhece, é difícil odiar, e se não conhece, é bem certo de gostar.

Dividido em três games (ou episódios), vemos as aventuras do protagonista Sam "Serious" Stone em sua luta contra as forças do líder extraterrestre Mental, que deseja destruir a raça humana. Clássico. 


Influenciado por jogos como Doom e Quake, os inimigos spawnam com frequência e atacam em grandes ondas pelo mapa, onde você precisa derrotar um número de inimigos para poder avançar em meio a fases bem elaboradas, interessantes, com combates frenéticos que obrigam a evitar projéteis e ataques na base de pulos, esquivas, ou simplesmente metendo o pé e indo para um lugar seguro. Vida e armadura não se regeneram, mas você pode recuperá-los por meio de itens. Nada do outro mundo.

O visual
A segunda parte mais legal da série é o visual. O estilo é fantasioso e bizarro, misturando planetas alienígenas, florestas tropicais e pirâmides egípcias. 



Entre os inimigos, duas criaturas definitivamente de destacam: 

- O Technopolip, um pólipo monstro que sabe-se como, fundiu-se a um helicóptero apache:


- E o Beheaded Kamizaze, um homem sem cabeça com bombas no lugar de mãos. Ele é um soldado iraniano que foi morto e ressuscitado pelo Mental, que o controla via Life Control Unit (LCU) desse jeito suicida. O Beheaded, aliás, é o personagem mais famoso, que apareceu em todos os jogos.


O humor
A melhor parte de toda série Serious Sam. Se ele se reflete já na parte visual, o roteiro leva isso a outro nível ainda melhor, e muito divertido mesmo.

Sam é uma lenda da Terra, isso você já sabe. E quem é Chuck Norris perto desse cara! Ele é enviado ao Egito para encontrar uma nave enterrada pelos Sírios no planeta Titan, e vai para o planeta Sirius a fim de assassinar Mental, prevenindo a invasão e aniquilação da Terra. Mas nada dá certo. Um Crate Bus repleto de Croteam Heads bate na SSS Centerprice, a nave que está indo para Sirius. Daí ele pega o Santo Graal e ativa a nave reserva.

Daí os magos o invocam e dão outra missão: Ele enfim chega a Sirius, mas Mental escapou logo antes de Sam chegar à Mental Instituição. Que não, não é um sanatório, e sim o esconderijo do vilão, que Sam tem todo prazer em destruir.


O menino Sam é um cara irritado, com trocadilhos nível A Praça é Nossa, e estilo Duke Nukem. A voz fica por conta do dublador John J. Dick, que encarna muito bem o papel. Aliás, Sam devia ter aparecido em Duke Nukem Forever como DLC, mas o máximo que ele conseguiu foi aparecer como uma cabeça cortada com sorriso de Coringa. Em Duke Nukem 3D: 20th Anniversary World Tour, Sam aparece como uma carcaça sem costelas e sem maquiagem de Coringa, quiçá por causa dos famosos direitos autorais.

O visual inicial do personagem transmite a referência a Duke Nukem perfeitamente:


E se é pra falar de referências e trocadilhos, simbora:


Prefere o Sam em modo estressado? Temos também:


Com o tempo, Sam teve o visual alterado para ficar menos na sombra das referências, e ter uma cara mais própria. Embora na última a promessa era de alto bem Nathan Drake feelings:


Vale explicar que o quarto game ainda não existe. Ou se vai. A conversa circula não é de hoje. Mas em 2017 a Croteam lançou o primeiro episódio em VR, na Steam.

Enfim, falemos de Serious Sam HD
Agora que você já sabe um pouco sobre o personagem e a sua história, estamos quase chegando ao que motivou esse Cosmo Nerd. Antes, eu preciso dar uma volta, mas é promessa que não vou enrolar muito.

Serious Sam então foi refeito na Serious Engine 3, e lançado em versão HD, com gráficos, modelos e ambientes obviamente otimizados para alta definição. O remake também introduziu o modo co-op de até 16 jogadores (até 4 na versão XBLA), morte súbita, servidores dedicados, conquistas e o "Coop Tournament" (Torneio Cooperativo).


Em 24 de novembro de 2009 Serious Sam HD: The First Encounter foi lançado para PC (Steam), mas Sam Stone já é conhecido dos PC gamers. Falemos de 13 de janeiro de 2008, mais exatamente há oito anos atrás, quando o remake do primeiro game era lançado para Xbox 360. Bingo. Eis aí o que motivou esse maravilhoso Cosmo Nerd da zoeira.


Já o remake do segundo episódio, Serious Sam HD: The Second Encounter, foi lançado para PC em 28 de abril de 2010, e em 22 de setembro do mesmo ano para Xbox Live. O DLC-fusão do jogo, que une os dois episódios, foi lançado em 23 de fevereiro de 2011 gratuitamente para os jogadores que possuíssem ambos os episódios HD na Steam.


Por fim, um novo DLC do segundo game saiu na Steam em 15 de maio de 2012, com nome de "Legend of Beast." Se foi uma quase referência a The Number of the Beast, do Iron Maiden, só Deus sabe. Esse DLC veio com novos mapas para multiplayer e sobrevivência, e novas missões no modo história.

Eu sei que o lançamento do remake no Xbox 360 motivou o texto, mas não tem como: Independente da plataforma jogue Serius Sam! Gostoso demais. Na PS Store você encontra Serious Sam 3 para PS3, os episódios HD na lojinha da Microsoft, e um super pacotão na Steam para curtir a bizarrice em toda sua glória, ou separadamente.

Aproveito e deixo a gameplay completa do meu favorito da trilogia, o First Encounter:

Sobre Bruna

Entusiasta dos jogos de luta, indie e mobile. Devota de deus MOV e Lorde Daigo e Senhor. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts™. Eu só jogo um MMO, que é o Trove. Me xinga de tudo, menos de "jornalista."Aí dá briga.

Siga no Twitter!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.