Header Ads

Evo Japan 2018: Em terra de samurai e ninja, quem tem um olho luta taekwondo


Créditos: 4Gamer.net

Embora já estejam rolando alguns torneios como o WNF, você pode dizer que o pontapé inicial dos jogos de luta em 2018 foi com o EVO Japan. Um EVO no Japão! Me fez lembrar de quando o Rock in Rio voltou "pra casa," com a diferença fundamental dos organizadores do EVO, mesmo cientes da popularidade superior dos mobas e FPS nos eSports, seguirem fieis aos jogos de luta.

Eventos de nicho são fundamentais pra se manter uma comunidade. Você cria esse mundinho onde as pessoas sentem segurança em vir e se reunir, divertir, e reforçar o sentimento coletivo. Por exemplo, é perfeito pras piadas de FGC que só a FGC entende, sabe? Eu sei que a moda é transformar tudo numa pseudo San Diego Comic-Con, ainda mais porque dá lucro. Mas eu não sei, o sentimento que isso deixa em mim não é tão bom.

Mas falemos de coisa boa: Esse maravilhoso fim de semana a base de flash kick e vroom vroom.

Créditos: 4Gamer.net
Top 128
O top cinco de tristezas em ser fã da cultura japonesa é o fuso horário. Mesmo pra quem já tem o costume é complicado fazer a agenda casar com o fuso de 12 horas, então eu quase vacilei no dia do EVO começar. Mas aí veio a redenção, e a madrugada de quinta pra sexta foi de matar a saudade que eu vinha em assistir uns bons Street Fighter V.

Geralmente o primeiro dia é o mais morno/dividido, onde os jogadores mais experientes não tem um trabalho absurdo... Exceto se você for o MOV. Tudo na vida de um Chunlizeiro é resumido a dedo no olho e gritaria, e a luta, a primeira dele, contra o Ancho Bibi, deixou meu coração no . Foi incrível de todos os jeitos que não devia porque fortes emoções no primeiro dia tinham de ser p r o i b i d a s.


Mas deus MOV seguiu firme no páreo, a única coisa importante.

Uma das magias do Street Fighter no Japão é que tem muita gente boa numa cena só. Então toda hora tem gente grande se trombando, desconhecido surpreendendo, a mentalidade de união é incentivada, cultural. Não é o canibalismo americano, que só aceita um no topo. A FGC é a melhor comuna dos eSports, mas a japonesa é Top Top.

(*momento Cassia Eller*)

O resultado disso você vê nos números:

Rinta elimina Smug por 2-0
Abao com Ryu vence FChamp por 2-0
Sako elimina Ricki Ortiz por 2-1

Eu até queria defender a Ricki, mas quem roda no top 128 quando duas, duas Chuns chegaram no top 8, merece defesa? O FChamp eu nem me importo. Faz um tempo que tô vendo muita exibição, pouca jogatina. Pelo visto espírito Kbrad contagia, heh. Mesmo o EVO 2017. Não fosse o teatrinho contra o Verloren, duvido que ele avançava na disputa.

Do top 128 ainda vale citar: Ryusei eliminou a Harumy. Ela é a garota nova mesmo que ganhou os holofotes da FGC, e ele é o atual campeão de BlazBlue do EVO. Não sei o qual é a desse pessoal, mas é o segundo jogador de BB que migra para SFV jogando de Urien. Andou de papo com Dogura?



Créditos: 4Gamer.net
Top 64
Passou a primeira foice, e as grandes emoções começaram a aparecer mais. FChamp fez o serviço a humanidade de ser eliminado pelo Kindevu jogando de Sakura, que foi lançada há menos de 1 mêsAngryBird eliminou a lenda de Ryu, mas não é Lord Daigo e Senhor: é o Otani, um dos doidos de pedra favoritos da FGC.

Xian encarou Tachikawa, e vale mencionar o tanto de Kolin nesse EVO. Ela apareceu mais que na Season 2 inteira *risos* Também teve muito Rashid com pitadas de Cammy e Akuma. Apesar dos nerfs sofridos pela Ibuki, notáveis por exemplo na mobilidade, Xian ainda mostra a sintonia que eu gosto, mesmo o Yukadon às vezes conseguindo resultados melhores.

Horas doidas foram várias. Uma delas foi Daigo x Abao. Imagina: Você joga de Ryu, tá num torneio, seu próximo oponente é apenas o cara sabe todas as manhas do boneco como ninguém. Mas é você que o sufoco! Chegou bater o nervoso, pois o Abao é bom, e eu não fui a única nessa vibe.


O top 64 já deu um esquenta bem bom, com briga da casa: Justin Wong x Momochi. É sempre legal ver players que se conhecem, se enfrentando. Foi uma luta dos footsies, outra tradição asiática, com Momochi jogando de Kolin, o que tá muito interessante. Foi-se o tempo do Poongko monopolizar a rainha de gelo.

E numa hora realmente surpresa, Mago apareceu jogando de Rashid! Ele que foi a decepção 2017, risos, quem diria, surgiu jogando justo com um dos melhores bonecos da Season 3. Mas ainda assim não evitou do AngryBird rodar ele por 2-0. Tem que trocar o nome de Mago pra Precisando de um Milagre.


Créditos: 4Gamer.net
Top 32
A regra é clara: O mais você aperta o cerco, melhores as lutas ficam. E mais upsets vamos tendo. É sempre uma tristeza ver um #TeamWaifu eliminado, como foi o caso de Tokido x Verloren, mas o negócio é que o Taquito é um jogador fantástico por 2 motivos que eu digo lá pra frente. Nemo foi outro que caiu, pro Gief do Kichipa-mu, e deu um mixed feels grande ver Daigo perder por 2-1 pro Humanbomb, o outro Chunlizeiro. Torcer pelos asiáticos é infarto todo dia.


Mas do outro lado, MOV marcaria um 2-0 importante contra Justin Wong, e Itazan continuaria indo de Abigail, pra vencer o Gachikun por 2-1. Itazan jogando de Abigail foi Acadêmicos Aí Sim Fomos Surpreendidos Novamente™.

Créditos: 4Gamer.net
Top 16 e Top 8
A essa altura do campeonato era sonho ver Humanbomb e o MOV no Top 16 com a Chun que enfim ganhou uma força na ofensiva, e eu falei disso + outras coisinhas no Papo da Tia Hizaki. Ela sempre será minha waifu pela história e jogabilidade, não posso evitar. E uns humanos tão gente boa feito MOV, que não desistiram dela, e mesmo o Humanbomb, tornando a brilhar com a famosa Chun-Li loira.. Faz bem pro coração ver essas coisas.

Então imagine, falando em coração onde que o meu parou com MOV x Tse4444, que joga de Balrog. E com a vitória dele por 2-1. Contra um Balrog. O couro da cadeira foi mastigado com sucesso. Tse viu a lona mais pra frente ao ser eliminado pelo Tokido.

E falando no diabo, Humanbomb venceu o Xyzzy, player de Birdie -outro boneco ardiloso- por 2-1. Xyzzy seria outro a ver a lona por 2-1 contra Daigo. Ainda no tema, StormKubo venceu MenaRD, e mandou ele pra casa.

Top 16 encerrado, Top 8 fechado! E foi um senhor Top 8, tá:


Sem desmerecer a winners, mas olha essa losers. Olha. Ela foi tudo e mais um pouco do nervoso que eu poderia pedir: Daigo teve muito controle na luta contra o Itazan, mas o Tokido gosta de fazer as coisas do jeito difícil, passou um aperto da miséria contra o StormKubo -que tava se divertindo a milhão com o sofrimento alheio- mas uma coisa fantástica no Tokido é a capacidade de leitura do jogo, mesmo na desvantagem.


Muitas vezes você sente ele menos ofensivo pra ler o padrão de jogo do adversário, por que não, ganhar um round aqui e ali, e quando ele sente que tem informação o bastante pra começar a reagir, vem o comeback que o coração não aguenta. O cara quase foi eliminado, pensa.

Aí nós tivemos rodada dupla de upset:

- Daigo x MOV: É tipo Ruffles, impossível escolher torcer por um só. O upset mais ingrato desde MOV x Bonchan no EVO


- Tokido x Daigo: Um set fantástico, aula pra quem joga, e aula pra quem só assiste. Ambos jogam absurdos, mas de jeitos bem diferentes: Daigo tem a técnica, mas confia muito no coração das cartas. Tokido tem a técnica, mas é estratégico, intimidador. Você ele dropar o combo, dar o dash pra fugir do agarrão, ligar um ataque no outro, usar o shun goku satsu moralizador.

Eu adoro ver o Tokido jogar, é oficial.


A final foi interessantíssima: Takeuchi e Infiltration. Takeuchi, menino novo, dando um show de foco e paciência no EVO Japan, Infiltration fazendo as pazes com a vitória depois de um 2017 bais ou benos. E não foi uma final nada fácil. Takeuchi ficou na cara do gol muitas vezes, mas é nessa hora que a experiência pesa a favor, e o Infil conseguiu o reset.

Mas a melhor parte: Quando ele troca pra Juri!

Perdi um pouco do gosto em ver o povo jogando de Menat. Mas eu adoro quando alguém pega um boneco "impossível de vencer" e dá show, feito MOV. E o Infiltration sabe os caminhos da Juri bem demais, teve controle de espaço, melhor aproveitamento dos EX, fez bom uso das CA... E ganhou! 

Afinal, em terra de samurai e ninja, quem tem um olho luta taekwondo.


O saldo
Por N motivos o EVO Japan não pode ser igual ao americano, tipo cobrar dinheiro pela entrada. Isso podia tornar o torneio num fracasso com pouca gente, ou chamar ainda mais. Vimos os talentos do Japão em todos os jogos, embora o texto seja de Street Fighter V. Fim de semana de torneio é sempre uma delícia, pois eu aprendo e me divirto loucuras. Infraestrutura é ótimo, mas quando a gente gosta mesmo do joguinho, você joga ele na arena ou na locadora da esquina.

Se você não acredita, tá aqui o Majin Obama que não me deixa mentir.

Foi muito bonito pelo Takeuchi também, esse bendito Japão não para de revelar talentos e isso é tudo de bom. Ele teve um grande teste, mas todo Kyabe precisa encarar um Vegeta primeiro. É parte do processo. Ironia que o novato (mais ou menos) de 2017 também foi um Rashid (o Moke).

Seguem os resultados de 2018 e segura na peruca! Em 2019 tem EVO Japan de novo. Puro amor.

Sobre Bruna

Entusiasta dos jogos de luta, indie e mobile. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts™. Publicitária cuja alma foi vendida aos antigos espíritos marketeiros do mal. Praticamente um Mumm-Ra.

Siga no Twitter!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.