Header Ads

Conheça Alicia Vikander, a nova Lara Croft dos cinemas


No dia 15 de março estreia nos cinemas do Brasil o filme Tomb Raider - A Origem, reboot que trará o espírito do reboot nos games para grande tela. A esperança é de que seja o Messias das adaptações de videogames, o vingador dos erros de The King of Fighters e do pastelão de Street Fighter... Ou que seja tão somente um bom filme de uma personagem querida, interpretada por uma ótima atriz. O que é o caso.

Então seguindo a programação de especiais em março, é claro e evidente como água mineral com preço absurdamente caro, que o Cosmo Nerd da vez é dedicado a gracinha linda de viver da Alicia Vikander.


O começo
Meus motivos para gostar da Suécia são basicamente death metal melódico e atrizes. Alicia Amanda Vikander tem 29 anos e guarda várias indicações e prêmios na carreira de atriz, incluindo o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante, maaas e eu falo disso mais pra frente.

Ela começou atuando em peças menores na casa de ópera de Gotemburgo, estudou balé na Escola Real de Balé Sueco, em Estocolmo, e na Escola Americana de Balé em Nova York. Por isso a foto aí em cima, ha. Sim, Lara Croft é bailarina, olha quanto amor? A parte atriz desencantou com pequenas participações em curtas e séries suecas, conquistando a crítica pela primeira vez interpretando Josefin Björn-Tegebrandt em Andra Avenyn, série dramática exibida entre 2008 e 2010.


Mas era só o começo da jornada da heroína, e Alicia Vikander foi ganhando fama com os papeis de Kitty na adaptação do livro Anna Karenina para os cinemas, e da rainha Caroline Matilde no filme O Amante da Rainha, que também teve o esquisito-de-charmoso Mads Mikkelsen no elenco.





Em 2014 e 2015 foram as vezes do reconhecimento global. Interpretando a ativista Vera Brittain em Juventudes Roubadas, e a humanoide de Ex Machina: Instinto Artificial, a atriz foi indicada ao Globo de Ouro e BAFTA de Melhor Atriz Coadjuvante.


Mas coloque a máscara de oxigênio, pois vamos mergulhar mais um pouco no mar da tietagem.


Carreira
Algumas coisas eu citei, mas vale repetir o destaque para Andra Avenyn, que tornou a atriz conhecida na Escandinávia. Mas falemos de outras coisinhas.

A estreia nos cinemas veio em 2010 com Pure. No filme ela é a protagonista Katarina, uma secretária problemática que tenta de tudo para escapar da própria vida. Com o papel, Alicia Vikander ganhou o prêmio Rising Star em 2010 no Festival Internacional de Cinema em Estocolmo, o prêmio Shooting Star no Festival Internacional de Cinema em Berlin, e o prestigiado prêmio Guldbagge de Melhor Atriz.


Ah! O Amante da Rainha também foi indicado ao Oscar 2013 de Melhor Filme Estrangeiro, mas quem venceu foi o filme francês Amour.

E o sucesso? Só aumentou. A atriz entrou na lista de Dez Atores para Observar do vigésimo Festival Internacional de Cinema de Hamptons, e recebeu o prêmio Editor's Choice no Elle Style Awards de 2013.

Fazendo um pequeno salto, em 2015 a atriz teve participação do tipo hm, interessante, quem é você? em oito filmes.


Começamos pela pintora Gerda Wegener em A Garota Dinamarquesa, de Tom Hooper, onde ela não aterrissou de imediato, pelo contrário. Charlize Theron foi a primeira cogitada para o papel, e que honra seria. Mas ela deixou o projeto, e foi substituída por Gwyneth Paltrow... Que também não continuou. Uma Thurman foi cogitada como substituta, e em 2010 até Marion Cottilard entrou na roda.

Correndo por fora, Nicole Kidman foi escalada originalmente para o papel de Einar/Lili, e também produziria o longa através da sua companhia, a Blossom Films.


Entretanto, apesar das envolvidas serem muito boas atrizes, não posso negar agora depois de enfim ter assistido ao filme: Alicia Vikander foi perfeita para o papel. Não consigo imaginar como teria sido melhor do que foi, e foi muito bom.

A Garota Dinamarquesa é incrível em recriar o ambiente da década de 1920 seja nas cores, as roupas tão formais, os penteados (uma das minhas partes favoritas) e o comportamento pseudo recatado. É uma coisa que eu adoro, vide o meu carinho por Agent Carter. O roteiro também é de qualidade, mas eu tive meio errr, discordo com certas coisas feitas pela Gerda. Não por serem erradas, mas porque eu não teria reagido igual. É a magia do cinema, né?

Mas eu entendi e na real até gostei do filme. A experiência é totalmente fora da caixinha de enlatados de heróis, e se você quiser ampliar os horizontes, eu recomendo o filme, muito porque foi com ele que a Alicia ganhou o Oscar. Só que as condições foram um tanto polêmicas...

... A distribuidora do filme, Focus Features, optou por promover a atriz em todos os prêmios onde o filme concorreu, na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante, numa tentativa de driblar a concorrência. Por exemplo: Se fosse o caso, no Oscar ela concorreria a Melhor Atriz com a Brie Larson -nossa Capitã Marvel- e A Garota Dinamarquesa é bom... Mas O Quarto de Jack é fod* demais.

(É outro filme que eu 500% recomendo)

Esse foi o segundo Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante faturado por uma atriz sueca. O primeiro? Foi com Ingrid Bergman em 1974, por Assassinato no Expresso Oriente.

Saindo do drama histórico, vamos para Ex Machina, onde ela viveu a humanoide Ava, marcando a estreia de Alex Garland na direção. Como resultado tivemos indicações Globo de Ouro de Melhor Atriz Coadjuvante, Melhor Filme, e ao BAFTA de Melhor Atriz em Papel de Apoio.

Fazendo um resumão de outros papeis interessantes:

- Vera Brittain em Juventutes Roubadas (2014), que também teve Kit Harington (que já não sabia de nada), Dominic West (Papa Croft!), e Emily Watson no elenco. Rendeu as indicações ao BIFA de Melhor Performance de atriz num filme independente britâncio;
- Alice Deane, a meia humana/bruxa do filme O Sétimo Filho (2015)
- Gabriella Gaby Teller em O Agente da U.N.C.L.E (2015)
- Heater Lee, chefe da divisão cibernética da CIA em Jason Bourne (2016)
- Isabel Graysmark Sherbourne em Light Between Oceans (2016), tendo como par romântico nada menos que Michael Fassbender

Chegamos então em 2018, onde Alicia Vikander é a nova Lara Croft em Tomb Raider - A Origem, e apesar do pedacinho de mim que morreu por não ter sido a Daisy Ridley, Alicia acabou encarnando a personagem muito bem mesmo. Ela ainda é cogitada para viver Agatha Christie no filme-biografia da autora.

Mais detalhes sobre a carreira, recomendo buscar mais conhecimento na página dela no IMDB.


Vida pessoal
Alicia Vikander viveu por algum tempo no norte de Londres, e em 2014 ela começou a namorar ele mesmo, Michael Fassbender. O casório veio em 2017 numa cerimônia privada na Espanha, e o casal mora atualmente em Lisboa, Portugal. Sim, jovem padawan. Lara Croft é casada com o Magneto, porque a vida é uma caixinha de surpresas (dizia o filósofo Joseph Climber).

Do lado mais político da coisa, ela é uma das bonitas que lutam pela igualdade feminina na indústria do cinema:

Eu acabei de fazer cinco filmes em sequência, e [Amor e Tulipas] foi o primeiro filme onde eu tive uma cena com outra mulher... Tem uma mudança acontecendo, e eu quero ser parte disso, Você algo como Jogos Vorazes ou Insurgente, provando que uma mulher pode carregar um blockbuster de forma bem sucedida.

Outro pulo, agora para 2017, Alicia Vikander, foi uma das 584 mulheres que se manifestou contra as práticas de assédio no cinema sueco. Em carta aberta assinada, e publicada no jornal sueco Svenka Dagbladet, o texto relata casos de assédio e estupro sofridos por mulheres na indústria sueca, todos contados anonimamente, um desdobramento fantástico dos movimentos #MeToo e #TimesUp.


Vídeos para você assistir (e continuar o dever de casa)
Eu adoro fazer cada Cosmo Nerd porque é um trabalho da miséria fazer tanta pesquisa e elaborar da forma mais bacana, mas o resultado me deixa baita orgulhosa. Por isso seria mal educado da minha parte terminar o texto sem deixar você com um listão de vídeos para ver e abrir ainda o coração nerd ainda mais, pois a simpatia da Alicia Vikander (se pronuncia Vikân-der, vale registrar) é irresistível.













Sobre Bruna

Descobri o significado da vida quando me tornei uma Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts.™ Sou entusiasta dos jogos de luta, devota de deus MOV e Lorde Daigo e Senhor. Me xinga de qualquer coisa, mas nunca de "jornalista."Aí dá treta.

Siga no Twitter!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.