Header Ads

O Nômade já existe no MCU, você é que não percebeu


Alô você. Há alguns dias começamos o esquenta para Vingadores: Guerra Infinita falando sobre a Bleeding Edge, armadura que o Homem de Ferro vai usar no filme. Hoje o Cosmo Nerd é dedicado a outro bonitão na Treta Infinita: Steve Rogers, que numa fase da vida deixou de ser Capitão América. O Barba de Lenhador™ também já foi, nos quadrinhos, o Nômade.

Mas a história não é tão simples assim. Muita gente falou dele assumir no filme a identidade do Nômade, mas... Tecnicamente ele já é. Sim! Essa resposta começa com um salto no tempo.


"Esse escudo não te pertence"

Uma das cenas mais marcantes de Capitão América: Guerra Civil, foi a briga direta do Capitão com o Homem de Ferro, e por um momento sincero eu pensei que Steve, o defensor da justiça, enfiaria o escudo no peito do Stark e mataria ele ali mesmo. Não seria o caso, pois as mortes virão mesmo em Guerra Infinita, mas foi nesse filme que o Capitão América morreu mais um pouco.

Steve Rogers simboliza o "Sonho Americano," e esse estereótipo é chato que só a morte. Muita gente tem implicância com isso, então é fácil não gostar do personagem. Eu achava ele um saco, só passei a gostar mesmo a partir de Soldado Invernal, onde os irmãos Russo fizeram algo ótimo: Desconstruíram o personagem.

Ao invés de ser o Sentinela da Liberdade™, Steve vira um herói trágico. Reforçaram o choque dele vir de um tempo conservador vs viver num mundo liberal, onde tudo passa muito rápido e quase todo mundo que ele conhece, morreu. Peggy Carter está idosa, doente, não é mais a Peggy que ele pensou de curtir o primeiro amor junto. Bucky Barnes, supostamente morto, viveu. Mas foi pego pela Hydra. Pensa num cara sortudo?

Mas então surge a nova família. O Falcão entende a perda causada pela guerra, e a Viúva Negra se torna a melhor amiga e uma aliada improvável. É a melhor dinâmica do MCU, fight me. #pas

Essa família aumenta em Guerra Civil, mas quando ele abadona o escudo, única parte presente nos três filmes, sai o Capitão América e fica só o Steve Rogers.



Quem é o Nômade?

Pela fama dos filmes, você pode pensar que Steve Rogers é o único Nômade, mas tivemos outros.

Jack Monroe
Criado por Steve Englehart Sal Buscerna, o Nômade mais famoso das HQs é Jack Monroe, o "terceiro Bucky," e o primeiro a usar a identidade de Nômade na edição #153 de Captain America (1972). 

Steve Rogers só assumiria a identidade na edição #180 de Captain America, lançada em 1974. 

Ela foi revivida em 1981 com J.M. DeMatteis nas edições #261 a 263 da mesma HQ, onde o Caveira Vermelha deu a Edward Ferbel o traje e equipamento do Nômade para tentar desmoralizar o Capitão América.

Jack Monroe voltaria com a mesma identidade na edição #283 de Captain America, lançada em 1983.

Rikki Barnes
Outros dois Nômades inusitados são Rikki Barnes, versão feminina do Bucky que apareceu no arco Heroes Reborn (1995-97), e Ian Rogers, filho adotivo de Rogers após resgatar o filho real do Zola na Dimensão Z. #AíSimFomosSurpreendidosNovamente



Steve Rogers como Nômade


Se bater no Homem de Ferro é algo que Steve Rogers pode fazer o dia todo, mudar de identidade foi uma constante na sua vida, e finalmente chegamos na parte de como diabos ele vira o Nômade! 

Achou a história boa até aqui. Pois ela ainda fica mais interessante. A mudança de hábito identidade acontece após os eventos de Império Secreto, um nome que soa familiar pros leitores atuais das HQs da Marvel, mas se você não conhece as histórias antigas... Tem ainda mais coisa de onde veio o que você leu.

Voltamos a 1974, onde os americanos viviam o escândalo do Watergate, com o presidente Richard Nixon sendo acusado de vários crimes. Ao mesmo tempo, Steve Englehart e Sal Buscema estavam trabalhando na HQ Captain America and The Falcon e decidiram que um momento desses não podia passar batido, afinal, o Capitão América sempre teve ligação com a política.

O momento do suicídio
Na trama de Império Secreto, o Capitão América descobre uma grande conspiração, e sofre tentativas de impedir que ele continue sendo o Sentinela da Liberdade. E a história termina de um jeito bem... Chocante. O Capitão persegue o líder da conspiração -O Número Um- pelo Salão Oval, onde ele é desmascarado e comete suicídio. 

Apesar da identidade do Número Um não ser revelada, é fácil ligar os pontos: O equivalente Marvel do presidente Nixon era líder do Império Secreto, numa metáfora de Watergate muito bem elaborada, onde o presidente dos Estados Unidos é desmascarado como vilão e morre dentro da Casa Branca. Referência é uma coisa doida, né?

As HQs de Captain America pós-Império Secreto levaram o herói numa jornada de auto-descoberta, onde Rogers, desiludido, abandonou a vida de combater o crime como Capitão América e assumiu a identidade de Nômade. As histórias após analisaram a linha que separam o patriotismo da lealdade ao governo, como tantas histórias do personagem já fizeram.

Nômade, o homem sem pátria, tinha uma ideia bem boa, até bem atual mesmo em 2018. Mas dizem que de boas intenções o inferno está cheio, e não é por acaso. Ele foi um herói deveras azarado pelo motivo mais básico:

Ninguém sabia quem era Steve Rogers, então ninguém sabia quem era o Nômade. Ninguém sabia se ele era confiável, qual eram as suas intenções. Por isso apesar de toda poesia, para o povo de Nova York o Nômade era só mais um besta mascarado. Ainda mais com o super decote em V do traje feito por ele mesmo. Risos.

A ideia só durou quatro edições, mas voltando ao MCU, dá pra ver bem de onde os Russo tiraram suas inspirações. Ou pelo menos supor.



O Nômade já existe no MCU... Você é que não percebeu


Passam os filmes, os trajes do Capitão ficam menos vibrantes, pra combinar com ar sério que ele ganha. Você precisa manter uns elementos que deixem a roupa familiar, claro, mas eu acho incrível o traje de Soldado Invernal: é traje tático com estrela e só. E é justo esse filme que introduz o Nômade sem você perceber.

A queda da Shield mudou todo MCU, deu brecha pra criação de Agents of Shield. E essa queda é o ponto de virada na história do herói, pois faz ele questionar tudo que achava saber sobre liberdade, luta pelo que é certo, mocinhos, vilões, segurança, em quem pode confiar... Mais ou menos como foi em Império Secreto.

O filme separa o Steve Rogers humano do Capitão estereotipado que não combina mais com o tempo onde ele vive. Novamente ele tem coisas tiradas dele, mesmo que (felizmente) apareçam os aliados. Ao invés de ser o soldado, o herói, o Capitão do MCU assume o papel de vigilante, pois sem a Shield pra decidir as coisas por ele, ele é quem toma as decisões.

Daí vem o problema de Guerra Civil. Parece egoísta ele criar o caos por causa do Bucky? Parece. Parece loucura ele defender as ideias que defende? Parece. Mas pensa: O cara já perdeu tudo mais de uma vez, ele não quer ver isso acontecer... De novo.

Steve fica meio cego, até ignora o fato que apesar de ter sido quando era controlado pela Hydra, Bucky Barnes matou os pais do Stark. Mas eu gosto disso! Deixa ele menos bom moço perfeito, dá um ar crível, menos irritante, mais passional e sujeito a erros. 

Capitão América criminoso? Com outro escudo além do clássico?

Pois é.

"Nossa abordagem para [Steve Rogers] foi desconstruí-lo, levá-lo em uma direção diferente", disse Joe Russo no começo de 2018. "Obviamente, você não pode lidar com um personagem chamado Capitão América sem lidar com as temáticas por trás disso, então queríamos uma relevância para ele, e queríamos colocá-lo em uma posição onde ele estivesse questionando a cadeia de comando."

E ele continua: "Algumas pessoas suspeitam que ele pode ser o Nômade em Vingadores 3. Eu não diria que ele é exatamente o Nômade, mas ele é o espírito desse personagem."

Receita pra ficar bem na foto: Barba, tomar muito Whey, e ganhar dois escudos do Pantera Negra

É um saco pra quem conta histórias, pegar uma trama e jogar ela crua na TV/cinema, sem mexer um pouco que seja, pra tirar, acrescentar, trocar a ordem dos fatos, etc. Nisso Agents sempre mandou bem demais. Mesma coisa os irmãos Russo fizeram em Guerra Civil, adaptando a ideia da HQ ao contexto do MCU.

(O mesmo fez James Mangold de forma brilhante em Logan)

Não sei do futuro pós-Guerra Infinita, mas Chris Evans deve deixar o MCU após Vingadores 4. Graças aos deuses da nerdice que o personagem "caiu" nas mãos de dois diretores conscientes, e dois roteiristas de visão: Christopher Markus e Stephen McFeely levaram o personagem numa jornada doida, mas ela foi bem boa.

A saudade? Já é real. Mas o sentimento de #ÉTetra (Ou...Treta? Heh) também. Os serviços prestados à comunidade das nerdices foram e sempre serão mais do que apreciados.


Textos traduzidos/adaptados de: CBR, Wikipedia, Polygon (1), Polygon (2)

Sobre Bruna

Entusiasta dos jogos de luta, indie e mobile. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts™. Publicitária cuja alma foi vendida aos antigos espíritos marketeiros do mal. Praticamente um Mumm-Ra.

Siga no Twitter!

Um comentário:

  1. "Ironicamente" toda essa mudança do Cap dos filmes vão de mãos dadas com o Evans e sua carreira (e atuação da sobrancelha lol).

    Os 3 Chris foram certeiros, quando saírem deixaram sdds tanto quanto o impacto que RDJR deu pra podermos ver tudo isso real e em expansão.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.