Header Ads

Criador de PUBG está focado em tornar o jogo num eSport


Após uma chegada meteórica em 2017, PlayerUnknown's Battlegrounds está se preparando para dar o próximo passo: Tornar-se uma força nos eSports.

Em entrevista recente a Eurogamer, Brendan "PlayerUnknown" Greene falou sobre o futuro do jogo e do foco atual da equipe em "investir fortemente na criação de uma infraestrutura de eSports."

"Estamos criando um time de eSports global, entre Estados Unidos, Europa e Ásia, e realmente tentando desenvolver as ferramentas para apoiar organizações de eSports e jogadores, a fim de dar uma boa base," disse Greene. Segundo ele, o plano não é parar por aí. Ele e sua equipe estão olhando três anos a frente no futuro de PUBG como um eSport.

"Quero ver [o jogo] considerado como um eSport, com eventos realizados em grandes estádios e ligas de com um ano de duração, esse tem sido o meu sonho para o battle royale, onde eu quero que nós cheguemos, e observando o que nós fizemos esse ano, eu vejo que temos uma grande chance."

Shroud, da Cloud9, teria um lugar dedicado entre os grandes nomes de uma futura liga

Apesar de viajar muito e passar pouco tempo com a PUBG Corp. (equipe de desenvolvimento) na Coreia, Greene ainda dirige muito do que tem sido feito nos bastidores. A visão de todos é manter PUBG sempre crescendo, e sempre mudando.

"Queremos construir esse game como um serviço," Greene disse a Eurogamer. "Queremos construir como uma plataforma para modos de jogo, não apenas o battle royale, mas para outros modos de jogo que nós colocarmos nos servidores de eventos, ou que sejam criados pela comunidade. Queremos levar nossos jogos personalizados para ainda mais pessoas esse ano, e realmente começar a polir esse sistema. Então para nós é criar uma plataforma, e criar um tipo de base estável para um possível eSport, ou apenas para diferentes modos de jogo."

No curto tempo como eSport, PUBG tem visto pequenos avanços. 

Entretanto, as ferramentas de expectador e sistemas para ajudar os organizadores de torneios a tornar o game num grande show, ainda não estão propriamente desenvolvidas. Felizmente Greene e a PUBG Corp. admitem isso, e essas melhorias são as próximas da lista.

Quando questionado sobre a competição no gênero de battle royale, especificamente com Fortnite, e sobre como algumas pessoas disseram que PUBG estava copiando o novo sistema de Emotes in-game de Fortnite, Greene manteve o bom humor.

"Foi engraçado. Quando liberamos os Emotes as as pessoas diziam 'oh, vocês estão copiando Fortnite' - bem, não," disse Greene. "Gravamos esses Emotes em Praga no ano passado, antes mesmo de Fortnite [Battle Royale] ser anunciado.

"Nós tínhamos a intenção de colocar um meio de comunicação não-verbal no jogo porque realmente acreditamos que você sabe que há algumas pessoas com microfones, pessoas sem microfones, então ter um jeito deles se comunicarem com seus membros é essencial, e é essencial para uma jogabilidade tática. Portanto, tínhamos esses planos desde o ano passado."

E aí, quem vestiu melhor?

Quanto mais games investirem numa estrutura estável, competitiva, e principalmente, um modelo de transmissão atraente para fãs novos e existentes dos eSports, mais os eSports tem a ganhar. Seja a liga de PUBG, seja o torneio de Fortnite, o negócio é termos tantos campeonatos para assistir até dizer chega. (Se bem que 'dizer chega' não é uma opção, risos)

Sobre Bruna

Entusiasta dos jogos de luta, indie e mobile. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts™. Publicitária cuja alma foi vendida aos antigos espíritos marketeiros do mal. Praticamente um Mumm-Ra.

Siga no Twitter!

2 comentários:

  1. Nunca fui muito fã do estilo Battle Royale, mas quando lançaram o PUBG pra celular até joguei, mas não tenho muito jeito mesmo, apesar de estar gostando. Vai ser legal ver torneio disso por aí, mas eu é que não vou competir rs

    Bites!
    Tary Belmont

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Eu acredito muito que eles miraram pessoas como você quando decidiram lançar o jogo pra mobile. Tem um mix da praticidade que traz de ser no celular, a adrenalina já conhecida do battle royale, a casualidade dos jogos de celular que mesmo sem viciar, muitas vezes te dão uma prendida. Eu sei disso porque todo, t o d o dia eu jogo um pouco que seja do Marvel Puzzle Quest haha

      E menine, eu tenho nervoso de jogar essas coisas multiplayer E competitivas, ia dar um ruim federal se eu jogasse haha Apesar de ainda não curtir 100% assistir, a liga seria uma boa, porque eu também não gostava de assistir Rainbow Six Siege e hoje eu gosto :3

      Excluir

Tecnologia do Blogger.