Header Ads

Redação: Protagonista de anime pode ser bom mesmo que seja apelão?

Você pode gostar ou odiar, no entanto, é regra do shonen: algum personagem será apelão (overpower). Em muitos casos o protagonista assume o papel de todo poderosos, e obviamente, dependendo do enredo e carisma criado no personagem, temos sua aceitação. Vamos à alguns pontos que isso gera no shonenzão da massa atualmente e ao longo dos anos.

É muito comum vermos críticas ao personagem apelão nos animes justamente pelo nível absurdo de sua força, sendo comumente, desproporcional aos demais personagens do resto do anime. Muitas das críticas são que além da força, o personagem não gera interesse ou graça quando existem seus conflitos, afinal, dificilmente será derrotado.

Mas será que essa crítica é sempre válida?

Prós

Personagem apelão podem sim terem boas histórias, carisma e ser aceito pelo público mais facilmente. Essa apresentação definirá muito, e dependendo de quem assiste, logo de cara pode não render caso seu desenvolvimento venha com tempo. As motivações e conflitos que o personagem carrega na sua história de fundo (background) fazem funcionar em dois pontos com o personagem.

O primeiro ponto é fazer com que ele de alguma forma crie uma conexão mais fácil com o telespectador, ou seja, que quem assista consiga pensar "esse tipo de luta eu teria/tenho na vida". Obviamente não falo em bater em monstros gigantes, alienígenas e afins, mas sim, o lado dos conflitos mais emocionais.

Saitama
Aquele que se encaixa perfeitamente nesse ponto é o Saitama do One-Punch Man. Ele carrega tudo que em geral muitos não gostam no protagonista apelão mas é ai que ele reverte o jogo a seu favor. O carequinha simplesmente não é forte pronto e acabou. Ele treinou por anos até chegar nesse ponto de vencer todo mundo com um soco apenas. E antes disso, o Saitama de saco cheio com a vida e sem motivações é o primeiro ponto de empatia com uma parte do público.


Ao vermos que agora ele pode derrotar geral com um soco só, ou um tapa se for mosquito, isso não torna a vida dele melhor. Muito pelo contrário, ele se sente ainda mais entediado porque não encontra desafios a sua altura e isso faz a história andar muito bem até vermos quando ele terá um desafio de "dois socos" ou mais. Sem esquecermos claro, que ele ainda lembra que precisa ir no mercadinho aproveitar as ofertas do dia.

Nesse ponto a ligação que Saitama cria conosco é da eterna luta que temos, as insatisfações e a busca por melhorar. Isso é muito a vida real. Se tudo isso não fizer com que você perceba isso, ai entra o mercadinho pra reforçar esse lado e criar empatia maior com o público adulto. Então tudo isso, suas lutas contra seus demônios, superações e afins, nos inspiram a superar nossos obstáculos na vida mesmo que vá além de um soco para isso.

Edward e Ken
Outro ponto disso está na dificuldade de fazer uma série baseada nos conflitos interno ser interessante. Os shonens que conquistam um público mais rápido geralmente possuem conflitos externos como rival ou grupos que rivalizam e a história gire em torno disso. No entanto é possível uma história com conflito interno ter sucesso e ai temos os exemplos de FulMetal Alchimist: Brotherhood e Tokyo Ghoul.

O tampinha do Edward Elric se culpa sempre pelo incidente que fez seu irmão, Alphonse, perder seu corpo e teve que ir aprendendo a si perdoar por isso. Já com Ken Kaneki vemos que ele tem de se entender como é, ou seja, um monstro que precisa de carne humana. A chave para isso funcionar é bem simples: clareza e foco. Sendo bem executado isso faz com que a gente se sinta parte da jornada do personagem e o vínculo que se cria com o apelão é maior do que poderia ter sido criado com os mais "normais".

Contras

Embora não seja impossível para um personagem apelão ser também um personagem agradável de assistir, ou um que o público goste, ele não pode ser inerentemente uma boa história devido à natureza de um personagem apelão. Um personagem assim geralmente serve como uma "fantasia de poder" para o público.

Um personagem destinado a ser uma fantasia de poder é um meio de fuga para o público. Eles estão lá para o público projetar-se como uma forma de se sentir forte e imbatível de um jeito que eles não sentem em suas vidas cotidianas. Não há nada de errado com esse tipo de personagem, mas eles se prestam a problemas quando se trata de construir uma forte estrutura narrativa por dois motivos.

Uma razão é que geralmente não há outro motivo para ter um personagem apelão além dele servir como aquela fantasia de poder para o público. Para fazer que um personagem assim funcione facilmente como uma fantasia de poder, isso geralmente envolve tornar o personagem um pouco plano. Um personagem apelão certamente pode ser legal e divertido de seguir, mas isso não leva a ser um bom personagem. Um bom personagem é estratificado e complexo, o que não é um requisito, ou a mesma coisa, como sendo um entretenimento.

Achou mesmo que o Goku seria eliminado aqui? achou errado, baka!

O personagem apelão geralmente deve ser apenas distinto o suficiente para parecer poderoso e heroico para o público, porém, suficientemente genérico para que qualquer um possa facilmente se imaginar no lugar do personagem. O problema em traduzir isso em uma boa história é que o personagem geralmente não é interessante e normalmente não tem a profundidade necessária para ser o protagonista. Um exemplo desse tipo de personagem é Goku de Dragon Ball. Ele é uma máquina de treinamento, simplesmente "nivelando" para vencer novos inimigos. Ele não tem a luta interna e profundidade de um forte protagonista.

Se pensarmos nisso, talvez FullMetal Alchemist: Brotherhood ou mesmo Tokyo Ghoul, teriam sidos tão bem sucedidos se seus protagonistas Edward e Ken, respectivamente, fossem fantasias de poder? Provavelmente não pois o motivo da sua força seria apenas por ele existir para isso, ser o poderoso, ser a roupa de poder da série. Esses personagens são amados justamente por terem suas lutas internas, e assim, criarem seus elos conosco, mostrarem que tem o lado "humano". Se a série não tiver um personagem interessante, não terá porque ter sua audiência interessada no anime.

Segundo ponto para o personagem apelão não carregar uma boa história é justamente por sua história de fundo ser muito rasa, plana, sem criar vínculos ou interesse na audiência. Para ilustrar esse ponto, dê uma olhada neste gráfico da Scriptmag.

O gráfico é uma representação visual de um arco narrativo, indicando ação crescente e decrescente ao longo da história. Em um arco narrativo padrão, há uma ação crescente, pontos de virada e o clímax final antes da ação e resolução de queda. A maioria das histórias segue essa estrutura até certo ponto, já que uma história geralmente precisa ser construída dessa forma para engajar apropriadamente o público durante toda a série e mantê-los investidos no pico eventual, ou clímax, à medida que a ação aumenta e diminui, construindo tensão.

Personagem apelão por natureza poderá vencer qualquer obstáculo que apareça, e como público, estamos ciente disso. Já com o personagem "normal" ou com poderes menores, seus confrontos geram dúvida em nós se ele poderá vencer ou mesmo se conseguirá passar pela luta. Se a vitória é garantida pro protagonista, perde o sentido colocar qualquer sentimento nela.

O apelão típico tem o problema por carregar a fantasia de poder, e assim, qualquer luta real perde o sentido pois ele vencerá fácil. Por outro lado se um personagem assim sofre uma derrota, acaba quebrando o vínculo que pode conquistado com as pessoas que gostaram do seu estilo apelão. Ao ser derrotado quebra sua magia e interesse, afinal, ele foi feito para nunca ser superado, diferente do personagem normal que vai crescendo na trama.

A luta do personagem normal gera mais atenção pois independente do plot, vencedor ou derrotado, gera alguns sentimentos e expectativas. Se ele ganhar, vem a alegria dele ter superado esse momento. Se ele perder, fica no ar se ele poderá ser capaz de se superar para vencer esse desafio.

E para você um protagonista precisa de uma história que você compre e siga com ele? Mesmo que seja o apelão industrutivel pode render uma boa história? Conte para nós sua opinião.

Traduzido e adaptado do MAL

Sobre Renan

Gamer que joga, escreve para gravar e a vida lhe fez fazer tudo que nunca pensou em fazer. Perito na discórdia por ter opinião, Renan também disse que nunca se referir a si mesmo na terceira pessoa por fugir da fama. Renan vem fazendo bem isso ¯\_(ツ)_/¯

Siga no Twitter!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.