Header Ads

Como Venom vem saindo da sombra do Aranha

Por quase 30 anos do surgimento e crescimento do Venom vimos várias tentativas dele brilhar para ir além de sempre ser relacionado diretamente ao Homem-Aranha. Se faz certa justiça disso, porém, mesmo com uma série própria nesses anos todos e com os artistas que passaram por sua série terem criado um "Venomverse", parece que ainda faltava algo. Isso vem mudando.

Apesar de todo esse tempo e todas essas histórias, Venom nunca conseguiu romper com sua origem. Venom raramente tem sido visto como um anti-herói ou  o personagem em si mesmo, como ele é definido principalmente como um vilão do Homem-Aranha. A mais recente série do Venom, do escritor Donny Cates e do artista Ryan Stegman, reconhece esse problema e está indo muito longe para consertá-lo.

Na sombra do Aranha

Muitos super-heróis fizeram sua primeira aparição nas páginas da série de outro personagem para depois andarem por sí mesmo ou ficar de vez no universo desse herói. O Justiceiro é um ótimo exemplo disso. Ele apareceu pela primeira vez em The Amazing Spider-Man # 129, criado por Gerry Conway e John Romita Sr., mas quase nenhum fã de quadrinhos consideraria o Justiceiro como um vilão do Homem-Aranha ou mesmo membro do elenco desse universo (apesar dele ter suas pontas vez e outra). Ele rapidamente acumulou suas próprias histórias e fandom, quebrando essa parede para se tornar uma franquia independente desta primeira aparição nas HQs do Aranha.

Esse não é o caso de Venom. A cada adaptação notável do personagem, dos desenhos animados aos filmes, colocou Venom como um inimigo ou um inimigo com momentos de ser aliado do Cabeça de Teia. O próximo filme do Venom será o primeiro exemplo a fugir desse tipo de abordagem, e mesmo assim a maior parte das notícias em torno do filme regularmente faz referência à atual franquia Homem-Aranha e a escolha de manter os dois separados. Enquanto o Justiceiro era um vilão em uma edição, Venom foi literalmente parte de Peter Parker por anos de histórias em quadrinhos e usa um traje baseado no Homem-Aranha desde então. O elenco de Venom são principalmente indivíduos com laços estreitos com o Homem-Aranha ou Peter Parker. Começando com Eddie Brock, um fotógrafo ciumento, o simbionte também se ligou a Mac Gargan, o ex-Escorpião, e a Flash Thompson, o valentão do colegial de Parker, por longos períodos de tempo.

A origem e a iconografia tornam os dois quase impossíveis de serem separados e forçaram Venom a sempre retornar à saga do Homem-Aranha. Mesmo quando Thompson e Venom viajaram para o espaço e se juntaram aos Guardiões da Galáxia, o símbolo do Homem-Aranha permaneceu como parte dessa história. Tanto os atuais leitores de quadrinhos quanto o público casual veem os dois como incrivelmente interligados.

Uma nova origem

Em Venom # 4 a edição deu aos leitores, mesmo aqueles que acompanharam Venom desde os anos 1980, muitas novas informações sobre o personagem. Embora tenha sido há muito tempo cânone que Venom é parte de uma raça inteira de simbiontes que vêm do planeta Klyntar, a natureza dessa espécie e planeta foi alterada de uma forma verdadeiramente surpreendente. Cates e Stegman fizeram dos simbiontes algo muito maior do que outra raça alienígena entre muitas da Marvel Comics. Ao fazer isso eles também forneceram a Venom um novo arqui-inimigo, uma luta contínua que beira a guerra santa e uma motivação surpreendentemente simpática. Existe um propósito para a existência do simbionte que não está mais diretamente ligado aos seus anfitriões ou a qualquer vingança contra os super-heróis baseados na Terra. Esta nova história coloca o foco diretamente nos aliens simbiontes e em sua própria consciência, com Eddie Brock desempenhando o papel de um peixe fora d'água que acompanha o simbionte em sua jornada.

O maior problema que permanece é a gigante aranha branca no peito de Venom. Não importa quanto tudo mais mude, este elemento permanece como algo que é inteiramente do Homem-Aranha, uma adição encontrada pelo simbionte durante as Guerras Secretas e nunca liberada. Stegman tem reformulado a iconografia visual em torno de Venom ao longo dos cinco números divulgados até agora, e, sugere que o símbolo da aranha pode não ser longo para este mundo. Uma espiral vermelha de aparência diabólica consumiu muitos dos simbiontes rivais nesta história e a maior disposição do Venom para experimentar seus poderes e aparência pode estar levando a uma reformulação arrojada, pós-Homem-Aranha na aparência do personagem.

As possibilidades futuras

Talvez possa ser cedo para fazer uma avaliação de futuro para Venom, porém, considerando o incrível progresso feito em apenas cinco edições até agora é difícil não ver um futuro onde o Venom seja definido por esses eventos. Muito disso se baseia no fato de que, no passado, o lugar de Venom foi definido por elementos externos a ele mesmo. Seja como um vilão do Homem-Aranha, uma coleção de poderes, ou membro de uma equipe existente, nunca houve uma história em quadrinhos de Venom que pudesse ser considerada definitiva para o personagem como titular. Esta série está claramente procurando fornecer uma história que não pertence a nenhum outro herói da Marvel Comics. Até mesmo a escolha de incluir Miles Morales como convidado de estrelas parece abalar a importância de personagens relacionados ao Homem-Aranha se separarem do legado de sua inspiração inicial.

Cates, Stegman e outros colaboradores também têm muitos planos, com duas novas séries do Venom aparecendo esta semana. Venom: First Host e Web of Venom: Ve'Nam buscam fornecer história para os simbiontes que antecedem qualquer contato com o Homem-Aranha. Eles, juntamente com a série Venom em curso, estão fornecendo uma história e personalidade muito mais rica para o alienígena que é tão próximo de Eddie Brock.

Enquanto isso, Eddie e Venom têm uma história pela frente repleta de possibilidades. Eles estão lutando contra dragões e abrindo suas próprias asas. Não está claro para onde a história vai levar, embora as histórias espaciais e os laços místicos pareçam prováveis, mas essa é a alegria desse novo Venom. É uma história que pertence ao seu protagonista (e simbionte) pela primeira vez, e já está definindo-os sem a necessidade de qualquer wallcrawler incômodo.

Traduzido e adaptado do Comic Book

Sobre Renan

Gamer que joga, escreve para gravar e a vida lhe fez fazer tudo que nunca pensou em fazer. Perito na discórdia por ter opinião, Renan também disse que nunca se referir a si mesmo na terceira pessoa por fugir da fama. Renan vem fazendo bem isso ¯\_(ツ)_/¯

Siga no Twitter!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.