Header Ads

G2 Esports vence FaZe Clan e fica com título da oitava temporada da Rainbow Six Pro League

As finais da oitava temporada da Rainbow Six Pro League foram marcadas por muita emoção na Jeunesse Arena, no Parque Olímpico do Rio de Janeiro, neste fim de semana. A europeia G2, antiga Penta Sports, levou a melhor na final sobre a brasileira FaZe Clan e ficou com o título da competição, que teve premiação total de 275 mil dólares.

Foram dois dias de jogos e dezenas de milhares de fãs presentes na Arena. Immortals e FaZe Clan foram as equipes que representaram o Brasil. Enquanto a primeira foi eliminada nas quartas de final, a FaZe chegou à grande decisão, mas perdeu por 2 a 0 para a G2 e viu o título escapar.

QUARTAS DE FINAL
Oito equipes entraram na disputa pelo título da oitava temporada da Rainbow Six Pro League. Evil Geniuses e Rogue (EUA), G2 Esports e Mock-it (Europa), Nora-Rengo e Fnatic (Ásia-Pacífico) e FaZe Clan e Immortals, representantes brasileiras, se destacaram nas etapas regionais e foram ao Rio e Janeiro em busca do troféu.

As quartas de final começaram quentes no Parque Olímpico no sábado (17). O primeiro jogo foi marcado pela virada impressionante da FaZe sobre a europeia Mock-it.

O primeiro mapa da partida foi Oregon, cenário da grande reação da equipe, que perdia por 5 a 1. A FaZe, escalada com Leonardo “Astro” Buzzachera, Gabriel “cameram4n” Hespanhol, João “Yoona” Gabriel, Rafael “mav” Loureiro e João “muringa” Deam, conseguiu levar o jogo para o overtime, com grande apoio e incentivo da torcida presente, e fechou em 7 a 5 a partida.

Na sequência, entretanto, viu a rival vencer o mapa Casa de Campo por 6 a 2, deixando tudo igual no jogo.

O Banco foi o palco da decisão. Com calma e precisão, a equipe da casa conseguiu a vitória por 6 a 3 e fechou o jogo.

Do segundo confronto de sábado saiu a adversária da FaZe nas semifinais. De virada, a japonesa Nora-Rengo venceu a Rogue, dos Estados Unidos, por 2 a 1.

No terceiro duelo, a australiana Fnatic surpreendeu a todos e não deu moleza para a até então favorita Evil Geniuses. No primeiro mapa, Fronteira, conseguiu um resultado tranquilo e fechou o mapa em 6 a 2. Em Oregon, escolha da rival, conseguiu abrir uma vantagem de 4 a 0, mas viu a norte-americana deixar tudo igual. Porém, a reação não foi suficiente. Resultado: 2 a 0 para a equipe australiana e vaga na semifinal garantida.

O confronto que fechou o dia das quartas de final colocou frente a frente a Immortals, brasileira, e a europeia G2 Esports.

Daniel “Novys” Coelho, Matheus “pX” Freire, Jaime “cyb3r” Ramos, Leone “oNe” Oliveira e Lucas “yuuK” Rodrigues entraram com raça e jogaram de igual pra igual com a rival. O primeiro mapa, Consulado, foi disputado ponto a ponto. Os brasileiros conseguiram chegar ao match point, mas de virada perderam por 7 a 5. No mapa Banco o equilíbrio continuou, mas apesar do incômodo causado, os imortais não conseguiram o resultado positivo e foram derrotados por 6 a 4, com placar final de 2 a 0 para os europeus.

SEMIFINAIS
FaZe Clan e Nora-Rengo fizeram a primeira partida das semifinais da Rainbow Six Pro League.
Buscando uma vaga na final, a brasileira contou com o apoio do sexto jogador: a torcida. O primeiro mapa da partida, Banco, foi equilibrado. Os times trocaram rounds até a FaZe fechar o placar em 6 a 4 .

No mapa Fronteira, a equipe foi liderada por Rafael “mav” Loureiro atropelou e não deu chances para a rival e abriu uma vantagem de 5 a 0. Depois, a rival até venceu um round, mas viu a vaga para a final ficar com os brasileiros.

No outro jogo da semifinal, a G2 não tomou conhecimento da australiana Fnatic. Tanto no mapa Banco quanto no mapa Litoral, a equipe europeia não deu a menor chance para a rival: 6 a 0 em ambos e garantiu com facilidade a vaga na decisão.

GRANDE FINAL
Após derrotarem nas semifinais Nora-Rengo e Fnatic, respectivamente, FaZe Clan e G2 entraram na grande final com muita força em busca do título da oitava temporada da Rainbow Six Pro League. Além do público presente na arena, centenas de milhares de pessoas puderam assistir à decisão de casa, pelo Sportv 3 e pelos canais do Rainbow Six Esports Brasil.

De um lado, os europeus estavam escalados com Niclas “Pengu” Mouritzen, Joonas “jNSzKi” Savolainen, Daniel “Goga” Romero, Fabian “Fabian” Hällsten e Juhani “Kantoraketti” Toivonen. Do outro, a brasileira foi para o jogo com Leonardo “astro” Buzzachera, Gabriel “cameram4n” Hespanhol, João Gabriel “Yoona” Nerici, Rafael “mav” Loureiro e João “muringa” Deam.

O primeiro mapa da partida foi Banco. Disputado ponto a ponto e incendiando a torcida presente na Jeunesse Arena, a FaZe chegou ficar à frente, mas viu a vitória escapar por pouco: 6 a 4 para rival.

No mapa Litoral, a disputa continuou acirrada nos primeiros pontos, mas a FaZe tropeçou e ficou estacionada no placar com dois rounds. A europeia tomou conta da situação e com destaque para Kantoraketti, fez 6 a 2 e fechou o jogo em 2 a 0.

Com o resultado, a G2, antiga Penta Sports, ficou com seu primeiro título da Rainbow Six Pro League (a antiga Penta já havia conquistado três), totalizando três grandes títulos no ano para a lineup: Six Invitational, Six Major e Pro League. A final da última edição da Rainbow Six Pro League havia acontecido em maio, em Atlantic City (EUA) , e teve como vencedora a brasileira Team Liquid.

“O primeiro mapa foi de nossa escolha. Jogamos de igual pra igual. Tivemos algumas falhas e perdemos nos detalhes. O segundo mapa foi o Litoral. Fomos no padrão e improviso, tentamos tudo, mas a G2 trabalhou muito bem. É uma equipe muito estratégica. O terceiro mapa seria um bom cenário para nós, mas infelizmente não conseguimos chegar. Estamos felizes com nosso desempenho geral. Cumprimos nossa meta, que era chegar à final e enfrentar a G2. 

Conseguimos provar para todos que nós podemos. Tivemos que moldar toda a equipe em três meses e atingimos nosso objetivo. Agora, vamos focar no calendário, que tem o Brasileirão e o Invitational no começo do ano que vem”, ressaltou Leandro “TGK” Portela, Coah da FaZe.


Portela exaltou ainda a participação da torcida no torneio.

“Com certeza a presença do público foi fundamental para a confiança deles, além de afetar o psicológico do rival. O apoio foi fundamental e a torcida brasileira é especial. Todas as equipes ficaram entusiasmadas”.

Após pausa de duas semanas, as equipes brasileiras voltam a jogar pelo Brasileirão Rainbow Six, no dia 9 de dezembro, pela continuação da quarta rodada. A nona temporada de Pro League retorna apenas no início de 2019. O próximo campeonato mundial já tem data e local para acontecer: o Six Invitational 2019 acontecerá em fevereiro, em Montreal, no Canadá.
RESULTADOS

QUARTAS DE FINAL
FaZe Clan (Brasil) 2 x 1 Mock-it (Europa)
Nora-Rengo (Japão) 2 x 1 Rogue (EUA)
Fnatic (Austrália) 2 x 0 Evil Geniuses (EUA)
G2 (Europa) 2 x 0 Immortals (Brasil)

SEMIFINAIS
FaZe Clan (Brasil) 2 X 0 Nora-Rengo (Japão)
G2 (Europa) 2 x 0 Fnatic (Austrália)

FINAL
G2 (Europa) 2 X 0 FaZe Clan (Brasil)

Novo calendário competitivo de Rainbow Six
Dirigindo-se para o quarto ano de Rainbow Six Siege desde o seu lançamento, a Ubisoft colocou em vigor, em junho deste ano, o novo calendário de competições profissionais da franquia com o intuito de auxiliar no crescimento do cenário competitivo.

Com a consolidação de grandes competições anuais como o "Six Invitational" e o "Six Major Paris", o cenário segue em crescimento exponencial com o aumento do número de jogadores e a entrada de organizações organizações internacionais tradicionais no competitivo de Rainbow Six Siege, como a Cloud9, Ninjas in Pyjamas, Fnatic, entre outras.

Além dos Majors, a Ubisoft também mudou o formato da Rainbow Six Pro League. Após uma transição na sétima temporada, a Pro League está sendo disputada anualmente em duas temporadas de seis meses e segue ativa em sua oitava temporada, atraindo grande público e interesse da mídia.

Por fim, o Brasileirão Rainbow Six estreia seu novo calendário com disputas anuais de junho a setembro (modelo europeu) a partir da temporada 2019.

Veja o calendário completo de competições na imagem abaixo:


via Press FC

Sobre Renan

Gamer que joga, escreve para gravar e a vida lhe fez fazer tudo que nunca pensou em fazer. Perito na discórdia por ter opinião, Renan também disse que nunca se referir a si mesmo na terceira pessoa por fugir da fama. Renan vem fazendo bem isso ¯\_(ツ)_/¯

Siga no Twitter!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.