Header Ads

 

Review: Sega Heroes (Android)


Pode chegar e se ajeitar, pois a leitura de hoje é uma viagem na nostalgia moderna. A frase não fez o menor sentido, né? Mas vai fazer. É que hoje é o dia do review de um dos jogos mobiles mais legais de 2018: o Sega Heroes. Depois de jogar desde a fase beta, explorar todos os recursos e avançar bem no jogo, é hora de conversarmos sobre essa brincadeira.

Oh sim, é um RPG gacha


A essa altura nem surpreende mais. Dois grandes gêneros de jogos mobile atualmente são os de cartas e os RPGs gacha - esses onde você junta recursos para desbloquear e melhorar personagens. Uns até misturam as duas coisas. No caso do Sega Heroes ele é um gacha clássico: desbloqueie personagens, monte um time, faça missões, melhore eles, entre em eventos, rebobine e aperte o play de novo.

Na história, a poderosa e misteriosa Dremagem descobriu o universo Sega, e elaborou um plano para conquistá-lo. Com ajuda do Dr. Robotinik, Dremagen aprisiona Sonic & cia na dimensão negativa dela. Caberá a você juntar-se aos heróis e lutar contra Dremagen, seu exército de clones, Robotinik, Mr. X e Death Adder

Essa premissa faz Sega Heroes ser um desfile das principais franquias companhia. Atualmente o jogo tem personagens de Sonic the Hedgehog, Streets of Rage, Golden Axe, Shinobi, Super Monkey Ball, Jet Set Radio, Phantasy Star. A Sega promete lançar outros periodicamente, veremos. E essas franquias estão presentes não só com personagens que você pode desbloquear, mas com os inimigos que você enfrenta.

Os modos de jogo


A desenvolvedora de Sega Heroes é a Demiurge, responsável por um dos jogos mobile que eu mais gosto: Marvel Puzzle Quest. Entretanto, é um jogo que também me irrita bastante. Então quando eu soube desse ponto em comum, fiquei animada, mas de olho.

A mecânica é mais conhecida que tudo: junte três peças para fazer um ataque, quatro para um ataque mais poderoso. Se juntar duas peças com uma terceira com estrela, ativa o Super Poder. Ao juntar uma quantidade X de mana, você pode usar o especial do personagem. Os times são formados por quatro deles.

E não é que o Sega Heroes tem bastante conteúdo? Ao todo o jogo conta com cinco modos, cada um liberado após você atingir um certo nível. São eles:

Campanha: mais de 200 fases espalhadas por 20 zonas. Cada zona tem uma média de fases: às vezes quatro, seis, sete, oito, varia muito. Em todas você ganha XP e itens, e em algumas você pode ganhar os cristais de herói, que servem para desbloquear os personagens;

Arena: Você pode jogar o PvP três por dia vezes. Subir de ranking rende recompensas proporcionais, a mais básica sendo as Fichas de Arena, que você pode usar para comprar itens ou cristais de herói na lojinha do PvP.

Sobrevivência: é igual a campanha, mas com um detalhe - o time que você começar jogando, não recupera vida. Se der ruim, você pode usar até três chaves para reiniciar o progresso, ou seja, você vai perder ele. Explicação óbvia, mas necessária, heh, Você também ganha fichas para gastar feito a loja da Arena.

Além da Piração: esse também é igual a campanha, mas com a diferença sutil - o primeiro nível já é de uma dificuldade lascada. As energias que você gasta aqui são diferentes das da campanha, assim jogar em um modo não afeta o outro.

Eventos: com os eventos você pode ganhar as mesmas coisas do modo história, mas em quantidades diferentes. E também não dá para avançar direto neles, por uma razão que eu vou dizer mais abaixo.

5 coisas legais em Sega Heroes


Sega Heroes é um jogo do qual você pode falar muita coisa. Para deixar objetivo, decidi destacar três coisas no jogo que são bastante legais, e vão te incentivar a continuar voltando:

- Baús gratuitos: conseguir recursos no jogo é possível, mas não exatamente fácil. Pensando nisso (?) a Sega libera quatro baús gratuitos por dia. Cada baú desbloqueia em três horas, e se você pegar eles dentro do período de 24 horas, o último é um baú com recursos melhores.

- Nostalgia: o grande trunfo de Sega Heroes é a nostalgia. É uma forma de você realizar o sonho de juntar seus heróis e vilões de franquias favoritas, em versões engraçadas e meio cabeçudas - vide o Axel Stone e Ax Battler. É muito divertido ver os golpes deles realmente terem ligação com os jogos originais. Os inimigos, também são familiares: os Crabmeat de Sonic, o Galsia de Streets of Rage, etc.

- Eventos rejogáveis: quando um evento termina, ele não termina. Os eventos voltam semanalmente, ou seja: quando vier um que você já jogou, será possível jogar de novo. Isso é bem bom na hora do farm de recursos;

- Missões diárias: diariamente você tem uma lista de X missões a fazer, rendendo uma quantidade de ouro, XP, Ficha de Arena ou Pedra Espiritual, um recurso muito importante no jogo. E quando vira o dia, ainda tem a recompensa de "Um novo dia". Achei isso bem legal mesmo.

- Não é fácil, mas vicia: como um típico RPG gacha, Sega Heroes não é fácil. Apesar dos problemas, o jogo consegue te viciar com relativa facilidade, e toda empresa quer é isso, certo? Que os jogadores continuem voltando e voltando. Ele até irrita você, mas você não larga o osso.

3 coisas nem tão legais em Sega Heroes


- Escalonamento de níveis estranho: muito estranho, inclusive. Nesse tipo de jogo você espera que a campanha venha por níveis, certo? Personagens do nível 1, 2, 3, ... Não em Sega Heroes. Ao sair da Zona 2, até onde os inimigos são nível 1, os da próxima são nível 5. E assim o jogo vai: uma fase de inimigos nível 10, outra nível 18, outra nível 13, outra nível 20. Você até se acostuma, mas isso vai te irritar muito mesmo.

- Critérios bizarros para entrar nos eventos: além de bizarros, são inconsistentes. A doideira acima acontece até nos eventos. Uns eventos pedem que você tenha esse ou aquele personagem com duas ou três estrelas, mas conseguir os cristais para upar eles é difícil. Então a sua jogatina nos eventos fica inevitavelmente limitada.

- Cristais de herói difíceis de conseguir: antes da primeira atualização era fácil conseguir os cristais de herói. Depois dela a coisa mudou muito. Não é legal porque eles ficaram escassos em excesso, e nas fases onde você pode ganhar, eles nem sempre vem. Aqui a palavra chave será paciência na hora do grind.

- O jogo ainda não foi totalmente traduzido: para algumas pessoas, feito eu, um jogo totalmente em inglês não é problema. Mas para outras pessoas, um jogo em português é fundamental, o que é justo. Mas o Sega Heroes está no meio termo - nem tudo foi traduzido, com vários trechos em inglês e português, misturados.

Mas então... Vale a pena baixar?


Sega Heroes é feito para te frustrar até forçar o gasto de dinheiro, ou seja: se você quiser montar um time competitivo logo de cara, principalmente após a atualização pós-lançamento.. Vai demorar. Os eventos tem critérios bizarros, os inimigos não demoram e ficam muito fortes para você encarar. Mas você tem meios, embora meio lentos, de grindar os recursos e ir melhorando seu time.

É um ótimo jogo para passar o tempo, dedicar uma atenção, ir para vida, voltar e brincar um pouco. A nostalgia dá um gás para te incentivar a ir jogando, e a variedade de modos, apesar dos problemas, é um dos pontos fortes do jogo. Dos mobile que eu já joguei e me aprofundei até hoje, Sega Heroes só não supera o Marvel Future Fight. Esse é o melhor jogo mobile no mercado, então é um baita elogio ficar em pé de igualdade, embora atrás.

Ou em outras palavras: vale o download sim. Ainda tem a vantagem de ser acessível, e rodar em sistemas Android a partir do 4.1.

Ah! Use Joe Musashi com Hibana para ataques mortais e combos efetivos. E assim que você tirar o Death Adder, não tire ele do time tão cedo. Com a habilidade passiva dele, o Death Adder se torna um tanque absurdo, capaz de carregar times mais fracos até eles melhorares.


SEGA HEROES
PLATAFORMAS: ANDROID, IOS
DESENVOLVEDORA: DEMIURGE
PUBLISHER: SEGA
LANÇAMENTO: 15/11/2018

Sobre Bruna

Entusiasta dos jogos indie, mobile e de luta. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts™. Publicitária. Em terra de plagiador, quem tem conteúdo original é rei ou otário?

Siga no Twitter!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.