Header Ads

 

Vale a pena ler de novo: resumo da semana 06/01 a 12/01



Um som pra gente curtir: Sabaton - Gott Mit Uns (meu atual toque do celular! :D)

Tô gostando de retomar a retrô, mesmo se ainda não for do jeito que eu tinha planejado. Uma coisa que eu aprendi no fim de 2018, é que tá difícil pra mim viver a vida sem organização. Só que 2019 já me jogou do cavalo, e eu precisei aprender uma coisa na marra. Chega uma hora na vida, diz muito que bem a sábia mamãe, onde o caminho é viver um dia de cada vez.

Planejar não é bom, é essencial. Só que se você fica no apego exagerado a isso, mesmo a sua intenção sendo a melhor, isso te cega para o que eu acabei de dizer, e que a gente conversou ontem. Viver um dia de cada vez, por si só, fazendo o melhor deles, um por um, sem a preocupação paranoica com o amanhã. É tenso, mas eu tô tentando. Adoro quando mamãe fala as verdades.

Achar um caminho na vida leva tempo, e muita paciência. Às vezes você ouve/vê/lê uns negócios e pensa: "Deus, por que o Senhor não deixou o mundo quieto depois do dilúvio"? Era mais negócio.

A Pessoa que Vos Fala™ gosta de puxar a briga aqui e ali, como você espera de alguém que joga de Gildur. Então vamos a uma treta? Andei lendo umas besteiras recentemente, e elas levantaram uma discussão que eu odeio. Não é bem assim como o pessoal diz que é.




A VISÃO DO(A) AUTOR(A) NÃO É UMA VERDADE ABSOLUTA

Você pode dizer que Dragon Ball Super foi um sucesso, e foi.
Mas que tem ideia do Akira Toriyama na qual eu odeio, isso tem. E é um direito do qual eu não abro mão.

Vira e mexe o povo diz isso. E até onde eu vejo, quem diz isso é justamente que concorda com uma potencial m*rda feita pelo(a) autor(a). Tem quem pense que a visão do autor é uma verdade absoluta, você não pode discordar e muito menos questionar. Olha.

Seja o que for: anime, jogo, filme, série, etc. A visão do autor não é uma verdade absoluta. É a visão dele(a), claro, e essa pessoa que manda nesse universo. Ou às vezes nem isso, porque ela recebe ordem de gente maior, e aí mesmo que a verdade deixa de ser absoluta. Mas se você quer criticar, tem que criticar sim, é o seu direito.

O entretenimento é arte, e arte a gente consome, se diverte, emociona, vibra, mas também critica se não gostar por um motivo e outro. É que as pessoas andam caçando motivos pra odiar coisas que dá uma séria vontade de morrer. Se a turma do lacre é um saco por adorar caçar polêmica onde não tem, a turma do anti-lacre também não fica atrás. Aliás, essa turma consegue ser até pior.

Goste do que tiver que gostar. Critique o que tiver de criticar. Nesse caso só pense: "eu tô criticando por um motivo honesto, ou só por que eu quero ser um pé no saco?" A diferença é importante.

COMO QUE A GENTE SEPARA O AUTOR DA OBRA?

A franquia Missão: Impossível é melhor que o MCU? Uma certa Pessoa que Vos Fala™ dirá que sim

Resposta curta: eu não sei. Resposta longa: eu nem sei se existe uma resposta definitiva. Discordo em parte que autor e obra são duas entidades diferentes, pois a obra é, de certa forma, um reflexo do autor, ou de algo que ele pensou. Então inevitavelmente, um é reflexo do outro, e existem sim essa ligação. Então como que a gente reage quando um autor começa a ser bosta como pessoa?

Cada caso é um caso. Uns realmente é difícil de perdoar, então se você para de consumir o que aquela pessoa produz, é normal. Um direito. Mas tem outros onde você vê: a pessoa errou, errou feio, mas cresceu e se tornou alguém melhor. Todo mundo tem direito! Isso não exclui o erro, mas reforça que o fulano/sicrano teve a coragem de admitir o mesmo.

Sou bastante fã do Tom Cruise, e se você tá comigo no Twitter, já viu tietagens casuais. Se não está, corre lá no @bruhrj_. Eu adoro a franquia Missão: Impossível, me marcou de um jeito pessoal. O mesmo vale para a saga Jack Reacher e Oblivion, mas eu gosto muito de No Limite do Amanhã.

Preciso rever Operação Valquíria e comprar o DVD de Feito na América, pois o DVD de A Múmia eu tenho. Só Guerra dos Mundos que não me desceu.

Mas voltando... Mesmo admirando o profissionalismo dele, que é uma inspiração, eu nunca esqueci a era bosta da Cientologia. Foi feia, e muitas vezes eu questionei comigo mesma se era certo gostar de alguém assim. Dá pra ver que ele hoje mudou... Ou se afastou disso por estratégia? Tem uma leitura muito boa nesse link sobre o assunto, recomendo.

"ISSO NÃO INFLUÊNCIA NINGUÉM A NADA"

Carol é aquele filmão de natal que você respeita. Pena que eu ainda não achei o DVD pra incluir na coleção. Ainda.

Essa conversa corre muito no mundo dos jogos, o famoso "um jogo violento não transforma ninguém em assassino". Concordo e discordo. Uma obra de ficção influencia sim, agora é ver o quê.

Você não "vira gay" assistindo Carol. Mas o filme te leva sim a ver de um jeito diferente o dilema da mulher reprimida, do membro da comunidade LGBT, do cinismo da sociedade. E você não "vira negro" assistindo Pantera Negra, mas não dá pra ignorar a revolução que o filme causou. Ele fez o negro ver que pode ser rei, que a negra pode se rainha, ou f*da pra caramba. (Okoye, sua linda)

Jordan Peele vem virando Hollywood ao avesso com isso. Pôs o negro no protagonismo de Corra!, e pôs o negro no protagonismo de novo, com Us. Aqui é melhor ainda, pois ele declarou que "é um filme de terror com gente negra porque tem gente negra, e não porque é algo sobre racismo". Digno.

Lembra de quantas meninas, mulheres, garotas, até garotos, reagiram tão bem a Mulher Maravilha? O filme não transformou ninguém em feminista da noite pro dia, mas influenciou sim o público a ver que mulher tem capacidade pra muita coisa.

O mesmo vale ao contrário. Você tanto sofre influência boa de coisas boas, como influência ruim de coisas ruins. Então se a tua cabeça é fraca, e você tem contato com um filme ou jogo violento... Não é a melhor das coisas. O Nautilus tem um episódio de podcast sobre "Lados esquecidos de debates saturados" que é f*da, vale ouvir.

Recado dado, começamos mais uma semana depois dela já ter começado! Bora lá clicar:


Do Site

Lançamentos

Cinema

Jogos

Jogos de Luta

Esports

TV e Web

HQ e Mangá

Tecnologia

Sobre Bruna

Publicitária. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts™. Se a Bahia fosse um anime, Ivete Sangalo seria a protagonista.

Siga no Twitter!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.