Ele chegou, passou, e deixou a gente falando. No domingo (24) aconteceu a entrega do Oscar 2019, uma que será falada por toda série de motivos, incluindo o principal! Seus vencedores. Após 2018 ter sido bem tumultuado para a Academia, com ideias como a categoria de Melhor Filme Popular, nós vimos Hollywood arregaçar as mangas. Com a audiência caindo, algo tinha de ser feito.

E NÃO É QUE DEU CERTO?

Spike Lee e Samuel L. Jackson, friendship goals com 200% de certeza

Depois do Kevin Hart dizer um monte de besteira e cair fora do posto de apresentador, a cerimônia acabou ficando sem um apresentador. Nem todas as músicas da categoria de Melhor Canção Original seriam performadas. A categoria de melhor filme popular morreu, mas foi uma ideia pavorosa. Tudo podia dar bem errado, confere? Mas foi uma das melhores edições do Oscar em muito tempo.

Bizarro dizer isso. Bizarro mesmo.

Cortar o tempo de apresentação, focando a transmissão da TV para exibir o "miolo" deixou tudo mais ágil e agradável de assistir. Gostei de não ter tido apresentador. Todo mundo foi direto ao ponto, fez a sua parte, até fizeram graça (Melissa Mccarthy, morta estou), mas nada descabido demais. Tomara que mantenham esse formato daqui em diante.

Dessa forma, a brincadeira se concentrou em quem realmente deveria: os indicados.

AÍ SIM FOMOS SURPREENDIDOS NOVAMENTE

Roma e Pantera Negra conquistaram carecas dourados e históricos

A corrida pelo careca de ouro foi mais aberta do que nunca. Após anos, anos, anos e anos de críticas, a Academia mudou sua postura... Estrategicamente. Por mais que eu tenha adorado os três carecas de Pantera Negra e Roma, Oscar é feito eleição de político. Quem panfleta mais, melhora as chances. Nem sempre o melhor ganha, quando/se ganha. Mas para entrar nas graças do público de novo, vimos uma mudança muito bem-vinda.

O motivo real dela a gente talvez nunca saiba, mas que ela foi maravilhosa, isso foi. E por sua vez, deixou a cerimônia muito mais prazerosa. Ver tantas mulheres ganhando coisas, ver um filme sobre menstruação ser premiado, ou ver um filme mexicano, de um diretor mexicano, sendo um destaque de uma premiação norte-americana, foi bonito. Alfonso Cuarón, a melhor pessoa possível.

MELHORES MOMENTOS

Regina King escoltada pelo Steve Rogers, que nas horas vagas é o Chris Evans

Entre looks lindos, abrir a noite com Regina King sendo premiada e escoltada pelo Chris Evans até o palco, não teve preço. Esse vive num eterno contrato com o cavalheirismo do Capitão América. E a Krysten Ritter, a Jessica Jones, apareceu gravidíssima. Quanto tempo foi que eu dormi e perdi isso? Eu nem sou de dormir, quem dirá a esse ponto. Me senti pessoalmente ofendida por não ser a Emily Blujnt cantando Where the Lost Things Go. E Charlize Theron. É isso, essa é a frase.

A noite foi cheia de mulheres vencendo coisas, o que me fez questionar ser era de fato o Oscar, uma das cerimônias mais brancas e masculinas do entretenimento. Domee Shi venceu na categoria de Melhor Curta animado com o ridiculamente fofo Bao. Sério. Chega doer do quão amorzinho é esse curta.

Ruth E. Carter e Hannah Beachler fizeram as honras como as primeiras negras a faturarem Oscars, os primeiros do MCU. E diziam que filme com negros não daria em nada, h e i n? Elas foram as melhores em design de produção e figurinos. Rayka Zehtabchi foi só emoção com "Absorvendo o Tabu", melhor documentário de curta metragem sobre os estigmas da menstruação na Índia.

Nem mesmo a Olivia Colman acreditou ter levado o careca de melhor atriz. Pena pela Glenn Close, mas A Favorita vem no radar das premiações há algum tempo. Essa categoria é a pior, pois todas as bonitas indicadas mereciam, mas só uma poderia vencer. Era uma estatueta que ficaria em boas mãos até com a Lady Gaga, sim.

Ah! E Homem-Aranha: No Aranhaverso levou outro prêmio de melhor animação, surpreendendo a zero pessoas.

E A LADY GAGA?

Nem o Thanos aguentaria uma porrada dessas no coração, Lady Gaga a Capitã Marvel da música

Não sou tiete, mas também não odeio a Lady Gaga. A mulher tem um talento que até cego enxerga, é difícil ignorar. A menos que você curta briga entre fãs de divas pop, um negócio tão infantil e besta que eu passo. E nem precisaria ser fã, fã, para encher os olhos e o coração de feels coma performance de "Shallow" no Oscar. Quem esperava uma performance muito boa, não teve. O negócio foi além de bom, foi lindo.

Lady Gaga e o Rocket Raccoon Bradley Cooper tem uma química incrível, que mesmo a namorada do ator deve ver e ficar caramba. Muito justo. A performance de Shallow tirou umas lágrimas até do coração da Pessoa que Vos Fala™, o que não é tão difícil, mas também não é tão fácil.

Assim, surpreendeu a zero pessoas que a música ganhasse o prêmio de melhor canção original. Lady Gaga, a beira de um treco, foi ao palco receber o prêmio. Mesmo nervosa e tremendo por demais, a cantora fez um discurso maravilhoso, quase Rocky. "Há disciplina na paixão". Essa lição eu tenho aprendido há algum tempo, e a minha vida nunca mais foi a mesma. Positivamente falando.

Por pouco eu não terminei de ouvir esse discurso no chão, morta nos feels

POLÊMICAS, AH AS POLÊMICAS

Spike Lee causou na noite por finalmente vencer um Oscar, e por meter a boca no trombone ao falar de "Green Book"

Tivemos concorrentes polêmicos, claro. Sem isso não seria o Oscar, que estava tranquilo demais. De um lado, Green Book não vinha sendo tão mal visto. Entretanto, declarações da família do pianista Don Shirley azedaram o pagode dias antes da premiação. Segundo eles, o filme foi uma "sinfonia de mentiras". Em sua defesa, o roteirista Nick Vallelonga disse que o próprio Shirley, falecido em 2013, pediu para ele não falar sobre o longa com ninguém.

Fica difícil questionar esse argumento agora que a outra parte da conversa morreu, certo?

Do outro lado, a Rapsódia Boêmia foi indicada a melhor filme. Bohemian Rhapsody não fez mais que a obrigação de ganhar prêmios nas categorias de som, afinal é um filme sobre o Queen. Já a parte de montagem, na qual o filme levou, foi engraçado. O filme é quase tão picotado quanto a exibição de Samurai X na Globo, mas deixe estar.

Não tenho nada contra o Rami Malek ter levado o premio de Melhor Ator. Do pouco que eu vi de Mr. Robot, realmente gostei dele. Mas também não foi uma vitória que fez bater aquele empolgou. Talvez porque eu estivesse ocupada gritando de felicidade com os prêmios de Roma e Pantera Negra, e de todas as mulheres. Talvez.

Agora, concorrer a melhor filme, foi bem pretensioso. Roma merecia muito. Mas daí um filme de um diretor mexicano, vencer o prêmio máximo do cinema norte-americano... A Academia está tão mente aberta assim. E eles sabiam do juju ruim que seria entregar o careca para Bohemian Rhapsody. Então a opção mais segura (mas não menos tretosa) foi Green Book.

HABEMUS OS VENCEDORES

Foi um Oscar divertido! Apesar das tretas que aconteceram, não lembro de uma premiação tão legal quanto a desse ano. Eu nem esperava escrever esse Comentando inteiro sobre nada, a ideia era de só noticiar os resultados. Então já que trocamos umas ideias, agora sim, vamos a eles:

Melhor filme
  • "Bohemian Rhapsody"
  • "A Favorita"
  • "Green Book - O Guia" - VENCEDOR
  • "Infiltrado na Klan"
  • "Nasce uma Estrela"
  • "Pantera Negra"
  • "Roma"
  • "Vice"

Melhor diretor
  • Spike Lee - "Infiltrado na Klan"
  • Alfonso Cuarón - "Roma" - VENCEDOR
  • Pawel Pawlikowski - "Cold War - Guerra Fria"
  • Yorgos Lanthimos - "A Favorita"
  • Adam McKay - "Vice"

Melhor ator
  • Bradley Cooper - "Nasce Uma Estrela"
  • Christian Bale - "Vice"
  • Rami Malek - "Bohemian Rhapsody"  - VENCEDOR
  • Viggo Mortensen - "Green Book: O Guia"
  • Willem Dafoe - "No Portal da Eternidade"

Melhor atriz
  • Lady Gaga - "Nasce uma Estrela"
  • Glenn Close - "A Esposa"
  • Olivia Colman - "A Favorita" - VENCEDORA
  • Melissa McCarthy - "Poderia Me Perdoar?"
  • Yalitza Aparicio - "Roma"

Melhor ator coadjuvante
  • Mahershala Ali - "Green Book: O Guia" - VENCEDOR
  • Adam Driver - "Infiltrado na Klan"
  • Sam Elliott - "Nasce Uma Estrela"
  • Richard E. Grant - "Poderia Me Perdoar?"
  • Sam Rockwell - "Vice"

Melhor atriz coadjuvante
  • Amy Adams - "Vice"
  • Marina De Tavira - "Roma"
  • Regina King - "Se a Rua Beale Falasse" - VENCEDORA
  • Emma Stone - "A Favorita"
  • Rachel Weisz - "A Favorita"

Melhor animação
  • "Os Incríveis 2"
  • "Ilha dos Cachorros"
  • "Mirai"
  • "WiFi Ralph"
  • "Homem-Aranha no Aranhaverso" - VENCEDOR

Melhor filme estrangeiro
  • "Nunca Deixe de Lembrar" - Alemanha
  • "Assunto de Família" - Japão
  • "Cafarnaum" -  Líbano
  • "Roma" - México - VENCEDOR
  • "Guerra Fria" - Polônia

Melhor roteiro original
  • "A Favorita"
  • "Roma"
  • "Vice"
  • "Green Book: O Guia" - VENCEDOR
  • "No Coração da Escuridão"

Melhor roteiro adaptado
  • "The Ballad of Buster Scruggs"
  • "Poderia Me Perdoar?"
  • "Se a Rua Beale Falasse"
  • "Nasce Uma Estrela"
  • "Infiltrado na Klan" - VENCEDOR

Melhor trilha sonora
  • "Pantera Negra" - VENCEDOR
  • "Se a Rua Beale Falasse"
  • "Ilha dos Cachorros"
  • "Infiltrado na Klan"
  • "O Retorno de Mary Poppins"

Melhor canção original
  • "All The Stars" - "Pantera Negra"
  • "I'll Fight" - "RBG"
  • "The Place Where Lost Things Go" - "O Retorno de Mary Poppins"
  • "Shallow" - "Nasce Uma Estrela" - VENCEDOR
  • "When a Cowboy Trades His Spurs For Wings" - "The Ballad Of Buster Scruggs"

Melhor documentário de longa-metragem
  • "Free Solo" - VENCEDOR
  • "Hale County This Morning, This Evening"
  • "Minding the Gap"
  • "Of Fathers and Sons"
  • "RBG"

 Melhor mixagem de som
  • "Pantera Negra"
  • "Roma"
  • 'Bohemian Rhapsody" - VENCEDOR
  • "O Primeiro Homem"
  • "Nasce Uma Estrela"

Melhor edição de som
  • "Pantera Negra"
  • "Bohemian Rhapsody" - VENCEDOR
  • "O Primeiro Homem"
  • "Roma"
  • "Um Lugar Silencioso"

Melhor curta de animação
  • "Animal Behaviour"
  • "Bao" - VENCEDOR
  • "Late Afternoon"
  • "One Small Step"
  • "Weekends"

Curta-metragem live action
  • "Detainment"
  • "Fauve"
  • "Mother"
  • "Marguerite"
  • "Skin" - VENCEDOR

Melhor documentário de curta-metragem
  • "Black Sheep"
  • "End Game"
  • "Lifeboat"
  • "A Night at the Garden"
  • "Period. End of Sentence." - VENCEDOR

Melhor edição
  • "Infiltrado na Klan"
  • "Bohemian Rhapsody" - VENCEDOR
  • "A Favorita"
  • "Green Book: O Guia"
  • "Vice"

Melhor direção de arte
  • "Pantera Negra" - VENCEDOR
  • "A Favorita"
  • "O Primeiro Homem"
  • "Roma"
  • "O Retorno de Mary Poppins"

Melhor fotografia
  • "Cold War - Guerra Fria"
  • "A Favorita"
  • "Roma" - VENCEDOR
  • "Nasce uma Estrela"
  • "Nunca Deixe de Lembrar"

Melhor efeitos visuais
  • "Vingadores: Guerra Infinita"
  • "Christopher Robin - Um Reencontro Inesquecível"
  • "O Primeiro Homem" - VENCEDOR
  • "Jogador N. 1"
  • "Solo: Uma História Star Wars"

Melhor figurino
  • "The Ballad of Buster Scruggs"
  • "Pantera Negra" - VENCEDOR
  • "A Favorita"
  • "O Retorno de Mary Poppins"
  • "Duas Rainhas"

Melhor maquiagem e penteados
  • "Border"
  • "Vice" - VENCEDOR
  • "Duas Rainhas"