Na quinta-feira (28) estreou nos cinemas Dumbo, novo live-action da Disney. Então é dia de Cosmo Nerd! Afinal, o filme adapta outra animação clássica da Casa do Rato, cheia de curiosidades para nós falarmos sobre. Então se você acordou com vontade de ir para 1941, ano de lançamento do Dumbo original, pode chegar e sentar se acomodar e vir comigo. Será uma viagem e tanto.



A ORIGEM DO SUCESSO

Dumbo ficou marcado pela sua simplicidade cativante, e história calorosa

Dumbo foi produzido em parceria da Walt Disney Pictures e a RKO Radio Pictures, um dos cinco estúdios da Era de Ouro de Hollywood. O filme foi a quarta animação feita na história da Disney, e se baseou na história escrita por Helen Aberson e Harold Pearl, com ilustrações de Helen Durney.

O personagem se chama Dumbo Jr., um elefante semi-antropomórfico que recebe o apelido cruel de Dumbo como em referência a dumb - ou idiota, em português. Ele é ridicularizado pelas orelhas grandes, mas consegue utilizá-las para voar como se fossem asas. Durante a maior parte do filme a única amizade -além da própria mãe- é com o rato Timothy, fazendo uma paródia com o estereótipo de elefantes terem medo de ratos.

Dumbo foi lançado em 23 de outubro de 1941, ajudando a Disney a se recuperar do prejuízo com Fantasia. Foi um investimento intencionalmente focando na simplicidade, e na economia. Com uma hora e quatro minutos de duração, é uma das animações mais curtas já produzidas pela Disney. Em 2017 o filme foi selecionado para preservação pela National Film Registry (NFR) dos EUA na Biblioteca do Congresso, por ser "culturalmente, historicamente ou esteticamente relevante".

DESENVOLVIMENTO

Dumbo ensinou que amizades "impossíveis" na verdade são mais possíveis do que parece

A história de Dumbo originalmente foi produzida para um protótipo de brinquedo que se chamava "Roll-a-Book", com apenas oito desenhos e poucas linhas de texto. Dumbo foi trazido pela primeira vez à atenção de Walt Disney no fim de 1939 pelo chefe de licenciamento de mercadorias da Disney, Kay Kamen, que mostrou um protótipo do Roll-A-Book. Disney imediatamente notou o potencial e sua história reconfortante e comprou os direitos.

Dumbo foi projetado para ser um curta-metragem, mas Disney descobriu que a única forma de fazer justiça ao livro era aumentar a duração. Na época, o Disney Studio atravessava sérios problemas financeiros devido à guerra na Europa, que levou aos fracassos de bilheteria com Pinóquio e Fantasia. Assim, o foco de Dumbo era ser um projeto de baixo orçamento para trazer receita para o estúdio. 

Dick Huemer e Joe Grant foram os principais nomes na criação do enredo. Eles escreveram o roteiro em capítulos, similar a um livro, uma forma incomum de escrever um roteiro de filme. Apesar disso, muito pouco foi mudado do rascunho original.

ELENCO

Amor de mãe é amor de mãe sempre, não importa quando e onde

Nenhum dublador de Dumbo foi creditado, como ocorrido em Branca de Neve e Pinóquio. Timothy foi dublado por Edward Brophy, que tirando Dumbo, nunca trabalhou em outro filme de animação, ou em dublagem. O diretor de circo semi-antagonista foi dublado por Herman Bing, um ator famoso por vários trabalhos de comédia.

A matriarca dos elefantes foi dublada por Verna Felton, que também foi a voz da fada madrinha em Cinderela, a Rainha de Copas em Alice no País das Maravilhas, e Flora das Três Boas Fadas em A Bela Adormecida. Outros dubladores incluem Sterling Holloway (Sr. Stork), Cliff Edwards (Jim Crow) e John McLeish, conhecido por narrar o Pateta nos desenhos "How To".

ANIMAÇÃO

A galera que fez originalmente a magia em Dumbo acontecer

Quando o filme entrou em produção no início de 1941, o diretor supervisor Ben Sharpsteen recebeu a ordem que orientou todo projeto: simplicidade e baixo custo. Como resultado, Dumbo não tem os detalhes luxuosos das três animações anteriores da Disney - Fantasia, Pinóquio e Branca de Neve e os Sete Anões. Ao invés disso, os desenhos são mais simples, e os cenários menos detalhados. Apesar de toda simplicidade, os animadores levaram animais de verdade para o estúdio, a fim de estudar seu movimento.

Tinta aquarela foi usada para renderizar os cenários. Dumbo é um dos poucos filmes da Disney a usar essa técnica, também empregada em Branca de Neve e regularmente em outros curtas. Um exemplo de filme recente que utilizou a mesma técnica foi Lilo e Stitch (2002), que se inspirou em Dumbo. 

TRILHA SONORA

Apenas solte o play e deixe a sua criança interior brincar:


RECEPÇÃO DA CRÍTICA

Dumbo ensina que coragem pode vir de qualquer um, mesmo se você "for um esquisitão". Ser diferente não quer dizer ruim

Apesar da Segunda Guerra Mundial, Dumbo foi o filme mais lucrativo da Disney nos anos 40, um milagre para época. O filme custou apenas US$ 16.1 mil, e teve bilheteria de US$ 27.2 milhões no seu lançamento original. Dumbo foi re-relançado nos cinemas em 1949, 1959, 1972 e 1976. As críticas foram largamente positivas, destacando a história, o humor, e mesmo a técnica de animação.

Dumbo recebeu duas indicações ao Oscar em 1941: uma na categoria de Canção Original com "Baby Mine", e outra de Filme do Ano, na qual o filme venceu. O filme ainda foi indicado e venceu o prêmio no Festival de Cannes 1947 na categoria de Melhor Design de Animação.

Para fechar o texto: tem curiosidade de saber como era o poster de Dumbo na época? Confira: