Header Ads

 

O Quarto de Jack: conheça o filme que deu o Oscar a Brie Larson


Na última quinta-feira (7) chegou aos cinemas Capitã Marvel, a estreia de Brie Larson no MCU. E por ter sido na véspera do Dia Internacional da Mulher, a Pessoa que Vos Fala™ obviamente tinha um Cosmo Nerd na mira, para falar sobre antes da menina Brie virar o ser mais poderoso da Casa das Ideias. Até porque tendo um talento inegável e um espírito maravilhoso...Tá errado?

Assim, vamos comemorar a estreia do filme, e o dia das mulheres com uma dose saudável, e não-me-responsabilizo-se-passar-da-conta, de tietagem. Vamos saltar no tempo e lembrar do maior sucesso na carreira da atriz: O Quarto de Jack.


O CONTEXTO PRÉ-QUARTO DE JACK


Brie Larson foi anunciada como Capitã Marvel no final do painel da Marvel Studios na San Diego Comic-Con 2016. Um tempo onde o Armadura Nerd já existia! Até comentamos o assunto. A atriz já era amplamente conhecida fora do Cinema Nerd™, mas dentro dele, Brie Larson ainda era quase que uma total estranha. Então me vi obrigada a estudar a carreira da bonita.

O que mais saltou aos olhos, foi: o MCU ganhou uma atriz vencedora do Oscar. E do Globo de Ouro. E do BAFTA. E do Critics Choice Award. Foi uma coisa do tipo only uau reactions, sabe? No Oscar, "O Quarto de Jack", indicado a quatro categorias. Melhor Atriz, Filme, Diretor e Roteiro Adaptado. O filme adapta o livro escrito por Emma Donoghue, e ele ganhou vários prêmios. Muitos prêmios mesmo, é uma lista respeitosa.

E o tempo passou, até que eu finalmente consegui assistir o tal filme que todo mundo tanto falava.


ASSISTINDO O QUARTO DE JACK


Eu adoro quando uma atriz tem background fora das nerdices. Quando você vive tempo demais nisso, pega tiques e vícios e típicas dos filmes de ação/aventura. É como quando dizem que o Tom Cruise que sabe fazer filmes de ação do cara que salva o dia, sabe? É confortável, mas pode ser limitador. Já Brie Larson vai no oposto disso. Sua carreira é construída por filmes de drama, e eu adoro um drama.

(Literalmente)

Só aprendi a gostar dos filmes das nerdices mesmo com Capitão América: O Soldado Invernal, que é, ainda assim, um ótimo filme tenso/dramático. O Quarto de Jack, entretanto, é daquele filme que vai te virar ao avesso de todos os jeitos, e que deixou uma marca em mim por motivos bastante pessoais.

Na história, Joy e seu filho Jack vivem isolados em um quarto. É quase um contêiner, pra ser honesta. O único contato deles com o mundo exterior é o Velho Nick, o homem que os mantém em cativeiro e os visita de tempos em tempos. Joy faz o possível para tornar a vida suportável, mas quando seu filho completa cinco anos, ela decide elaborar um plano para fugir.

Com a ajuda de Jack, ela tenta enganar Nick para retornar à realidade e apresentar um novo mundo a seu filho. Mas tá pensando que esse retorno vai ser fácil? Heh, prepare o seu lenço. Uma caixinha, se for possível. O filme é uma experiência absurdamente intensa, triste... Você sente as dores, medos e as alegrias da Joy e do Jack. Todos eles.

O AMOR E TRAUMA A PRIMEIRA VISTA


Na época que eu assisti esse filme... A vida estava bem difícil. A ideia de uma pessoa que vivia a vida trancafiada num espaço claustrofóbico, combinava demais com o meu estado emocional: "até onde eu vou aguentar"? Então foi aquele filme que causou dor física de assistir, eu chorei junto, ri junto, fiquei wow junto.

Tem quem goste do cinema por escapismo: conhecer um mundo mágico onde tudo é possível. Tem quem goste por catarse: chorar as pitangas, sentir os sentimentos, literalmente. Isso deixa você mais leve, e eu adoro. Também gosto do escapismo. Mas a ficção de catarse sempre foi mais a minha praia. Foi um filme perfeito para por pra fora toda angústia que eu sentia. E ficar imediatamente apaixonada pela Brie Larson, o que é fácil.

O Cinema Nerd é legal, mas eu gosto de variar os filmes que eu assisto. Assim o meu olhar não fica "viciado", nem a minha cabeça fica "preguiçosa" a só ver filme de ação, ou só filme de aventura. Se você é assim, respeito. Mas comigo isso não funciona muito bem. Em O Quarto de Jack você sabe que a atriz não passou por todo esse perrengue de verdade, mas é uma interpretação tão entregue e tão honesta, que você cai nas graças.

POR QUE BRIE LARSON É A CAPITÃ MARVEL IDEAL


O Quarto de Jack não tem nada a ver Capitã Marvel. Histórias e mundos diferentes, só a atriz em comum. Isso é ótimo. É como eu disse: uma atriz já acostumada nesse meio seria bom? Seria. Mas se você quer algo novo, precisa ir atrás. E a Marvel Studios é o único estúdio que pode se arriscar a buscar uma atriz fora do nicho, para um papel de mega importância num escopo maior.

Brie Larson é uma atriz de natureza doce, risonha e sensível. Ela abertamente se assume introvertida, mas não fugiu do desafio. "É uma vitória para os introvertidos", ela já disse em várias entrevistas, e eu me identifico. O público nerd é machista e resmungão, mas o elenco não se abalou. Também me identifico com isso.

Você deve ter visto a onda de trolls tentando baixar a nota do filme no IMDB e no Rotten Tomatoes. Não que notas importem. Você quer ver um filme? Veja por você. Seja inteligente. Não seja Maria-vai-com-as-outras e dê ouvidos ao que fulano e sicrano disseram. Leitor do Armadura Nerd é melhor do que isso, já que a gente martela isso na sua cabeça toda hora.

Vale ainda destacar o Jacob Tremblay, pois a angústia que o filme te provoca é muito pela atuação dele. É perfeita. Junto com a Brie Larson e um elenco de apoio da melhor qualidade, saiu O Quarto de Jack, um filme ideal para quem gosta de levar um soco cinematográfico no estômago. Outro filme da Brie ótimo nessa pegada drama é Temporário 12, dica.


Feliz dia para você, doida que gosta das nerdices, e que tieta as bonitas tanto quanto eu. Se bem que eu não acredito existir alguém que tiete tanto as bonitas quanto eu. Lá no começo do ano eu falei do quanto me deixou feliz ver o percentual de público feminino crescendo no Armadura Nerd. E essa alegria não só é sincera, como real.

Ah!: PS Free Fire - O Tiroteio dá uma ideia do que a Brie Larson atriz pode fazer num cenário mais de humor, ação e nonsense. Vale muito a pena conferir.

Sobre Bruna

Publicitária. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts™. Se a Bahia fosse um anime, Ivete Sangalo seria a protagonista.

Siga no Twitter!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.