Header Ads

 

Vale a pena ler de novo: resumo da semana 24/02 a 02/03

Um som pra gente curtir: Within Temptation - Mad World

Eae você. Por um motivo e outro as retrospectivas têm atrasado um pouco, mas não é por mal. É que nem sempre está sendo fácil, e duas pessoas cuidando de um site inteiro, em alguns momentos pesa. Mas estamos em março, o mês da mulher que deveria ser todo dia, a Pessoa que Vos Fala™ decidiu mudar o pique da retrô um pouco. Com isso, vamos toda semana de março trocar ideia sobre algo do mundo das nerdices, e relacionado às bonitas.

Nessa primeira semana vamos falar de esports




A ORIGEM DA MATEMÁTICA 

Lauren "Williams" Goddess: a primeira mulher a jogar na Pro League de Rainbow Six: Siege, e vencer um título (a DreamHack Montreal)

De acordo com a Interpret, 30% do público de esports é de mulheres. Embora ainda não seja o número que eu gostaria de ver... Foi uma surpresa, confesso. Esse percentual cresceu 6,5% nos dois últimos anos, um sinal de que o cenário está mudando, mesmo que um pouco devagar.

Eu conheci o esporte eletrônico em 2014 por dois motivos. Um foi o Renan, que em algum momento do tempo/espaço falou comigo do EVO, que eu assisti um pouco nesse ano, mas não dei tanta bola. A ficha só caiu mesmo com a final de BlazBlue: Chrono Phantasma, a melhor final que eu assisti em qualquer coisa de esports (junto com o EVO vencido pelo Tokido). O que Garireo e Dogura fizeram não foi de Deus.


O outro motivo foi o mais interessante ainda: eu sou formada em publicidade e propaganda. E o meu TCC foi o mais louco possível: sobre a indústria dos videogames. Eu destaquei alguns segmentos da indústria, entre eles os esports. Foi tanta pesquisa que eu tive de fazer, que ficou impossível não ter uma curiosidade real oficial com que diabos era League of Legends e CS:GO.

O "CATCH" DESSA ESTATÍSTICA

Se-yeon "Genguri" Kim, Flex da Shangai Dragons: ela é a primeira mulher a jogar na Overwatch League

Mesmo o público feminino de esports sendo bom, apenas 20.3% dos 30% de fato acompanham ligas de esports. A Interpret explica que o percentual de 30,4% deles é relativo à mulheres que "assistiram pelo menos um evento/torneio". Assim temos 10,4% que devem ter assistido um jogo, por exemplo, e os 20% que seguem/assistem alguma liga com frequência. Ainda assim é um bom número.

Tirando a Capcom Pro Tour, eu não acompanho nenhuma outra liga religiosamente. Gosto demais da CPT porque os jogos de luta foram bem parte da minha infância, e a FGC é a melhor comunidade. Mesmo com seus problemas. EVO? É um aniversário estendido, agora que ele acontece em agosto e o meu aniversário também é em agosto. Capcom Cup é um natal adiantado, praticamente.

Fora que... Os japoneses de Street Fighter 5 são incríveis. E não aceito debater isso.

Fora isso, eu gosto de quase todo esport, mesmo sem acompanhar religiosamente. CS:GO, Overwatch, Rainbow Six: Siege, Hearthstone, Clash Royale, Apex Legends, PUBG, Fortnite, até Rocket League. É uma pena que os sites de esports pensem que só exista CS:GO e League of Legends, pois o tanto de esport que existe é enorme.

Gosto de CS:GO, mas não dá liga (heh) assistir a Pro League semanalmente. Os eventos maiores, feito um IEM ou uma ESL: One, eu sempre gosto de dar uma espiadinha. O mesmo vale para R6 e Overwatch. São jogos com muita informação, sim, mas são mega divertidos. E a narração brasileira de Overwatch é sensacional, mesmo.

Se você não assiste a Overwatch League, que esse ano tem narração brasileira, vale conferir.

... E OS MOBAS?

É a minha relação de gosto e ódio. Eu sempre odiei MOBAs. Em 2017 comecei a jogar Arena of Valor com o Renan e passei a gostar, mas ainda odeio. LoL? Passo longe. Apoio qualquer mulher que quiser se aventurar, mas eu prefiro distância. O jogo é ótimo, mas a base de jogadores é imatura de um jeito que eu não aguento.

MAIS CRESCIMENTO EM OUTROS SEGMENTOS DOS GAMES

A pesquisa da Interpret cita ainda que 35% dos jogadores de jogos de esport são mulheres. Elas são mais presentes em Overwatch e Hearthstone, com 26% de participação em cada jogo. Um percentual interessante também aparece em CS:GO (24%) e Dota 2 (20%). 

A CONCLUSÃO

Esports é bacana demais. Até tirou um pouco do meu foco do esporte tradicional. Eu gosto muito da Fórmula Indy, mas como tomei raiva da Fórmula 1 e cansei da Nascar, decidi dedicar mais do meu tempo aos esports. Aqui no Armadura Nerd a gente tenta cobrir ao máximo, e a galera das assessorias ajuda muito nisso. Por isso... Estamos aí. Todas nós.

DO SITE

LANÇAMENTOS

CINEMA

JOGOS

ESPORTS

MOBILE

TV E STREAMING

Sobre Bruna

Publicitária. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts™. Se a Bahia fosse um anime, Ivete Sangalo seria a protagonista.

Siga no Twitter!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.