Header Ads

 

Coringa: a bizarrice sombria e fantástica do primeiro trailer


O mundo ficou um pouco mais sombrio - e feliz! Na quarta-feira (3) saiu o primeiro e super esperado trailer Coringa, dando uma visão bizarramente sombria -e fantástica- desse personagem tão icônico da DC Comics. Infelizmente não conseguimos publicar o texto no dia, mas nada tema! Apenas sorria: hoje é dia de comentar um pouco do que tem tudo para ser um dos melhores filme de 2019.

Primeiro, começamos por ele:




NADA ASSUSTA MAIS QUE UM PALHAÇO TRISTE (E RAIVOSO)


O trailer explora um dos elementos mais apavorantes da cultura pop: o palhaço. Um palhaço por si só me colocaria para correr, e It: A Coisa é uma boa prova. Isso piora se pegarmos um palhaço triste, indo na contramão da ideia do seu trabalho - que é alegrar. Sabe a música "Sonhso de um Palhaço" da Vanusa? É uma ideia mais ou menos na mesma linha.

Aqui o Coringa ainda é o Arthur Fleck, e só. É um raro momento em décadas de história do vilão. Nós maquiagem garranchosa, a insanidade, o sadismo, a violência, mas o que levou ele a ser quem é? Arthur é um comediante de stand-up fracassado, um esquisitão sem sorte que passa a ficar louco e vai abraçando a vida de crime e caos.

Escolher a vida criminosa não tem justificativa. No caso do Coringa, entretanto, é muito bom espiar uma perspectiva diferente da sua jornada. É um recurso que enriquece a narrativa, perfeito para fugir do clichê do "vilão que vive para fazer vilãozices". Tudo na vida tem razão de ser e existir. Bônus por fazerem isso num filme onde a estrela não é o Batman, outro momento raro. 

SE VOCÊ TIRAR O CONTEXTO "NERD", NÃO É UM "FILME NERD"


Quer provar a fragilidade de um filme das nerdices? Tire contexto "super": trajes, poderes, monstros, e veja o que sobra. Muitos não têm esse "miolo", que faz ir além do estereótipo. Os que conseguem, entretanto, não por acaso são lembrados como sucessos.

Capitão América: O Soldado Invernal é um suspense de ação e espionagem, nos moldes de Missão: ImpossívelMissão: ImpossívelVingadores: Guerra Infinita é um quase Operação ValquíriaPantera Negra é um drama político e familiar, não deve em nada a West Wing: Nos Bastidores do Poder. Logan é um clássico western, um drama maravilhoso.

E Coringa

Coringa é um drama muito real da importância da saúde mental, e de como responder da forma errada às dificuldades da vida, leva você por um caminho tenso. Nós já vimos na TV a crueldade da qual pessoas desequilibradas são capazes. É uma coisa que assusta, e deixa a reflexão triste: e se ela tivesse recebido ajuda?

Arthur até busca ajuda, mas entramos em outro problema: quando a pessoa já fez a transição entre ser normal, e ser insano. Ele passa a usar a violência de forma consciente, como resposta à violência que sofreu no passado. Isso leva a outro problema: como nós somos babacas com as pessoas, sem notar o quanto isso as afeta. 

Assim quebramos outra noção que o mundo das nerdices difunde muito: vilões sempre mauzinhos, e mocinhos sempre bonzinhos. Não existe preto e branco, o mundo é cinza.

A VANTAGEM DE NÃO CITAR NENHUM PERSONAGEM ALÉM DO CORINGA


Se o filme é do Coringa, nada mais justo ele ser a estrela. Aqui, entretanto, cabe o parêntese: há uma linha muito fina entre analisar a história, e glorificar a violência. Não me parece ser o segundo caso, o que me anima demais. Com Novos Mutantes sem sinal de lançamento, o mundo das nerdices estava muito carente disso: um filme para chocar. Eu adoro uma boa história provocante, com um toque de bizarrice sombria. É sensacional.

E tinha como não ser assim com o Coringa? Por isso foi perfeito o trailer destacar ele, pois assim já colocamos os pingos nos Is: se você está procurando o Batman, veja O Cavaleiro das Trevas. Quer boas vibes, assista Mulher Maravilha. Quer diversão, Shazam! estreia nesta quinta-feira (4). Agora se você quer algo que promete ser algo fantástico de um jeito bem estranho, vem que o Coringão te espera.

JOAQUIN PHOENIX!


Fechamos os destaques com o óbvio: é Joaquin Phoenix, porr*. Nada mais maravilhoso que fugir do clichê do bombadão ala Chris Evans, por mais que eu adore ele. O filme do Coringa precisava de um tipo fora da curva, e o ator de 44 anos, parte americano/porto-riquenho mostrou-se uma pedida ideal. Seus trabalhos reforçam a qualidade da escolha.

Joaquin Phoenix já recebeu indicações ao Oscar, Globo de Ouro, BAFTA e MTV Movie Awards. Seu currículo de filmes vem desde 1983, e alguns você deve conhecer: Gladiador, Hotel Ruanda, Johnny e June, O Mestre e Vício Inerente. O meu favorito? Ela, que se você não assistiu, não sabe o que tá perdendo. É até bem nas linhas de Coringa: Theodore é um homem solitário, introvertido e deprimido, que cria uma relação bem próxima com uma assistente virtual ao estilo da Siri.

(Dispensaria dizer, mas fica dito: mesmo "aparecendo" só por voz, a atuação da Scarlett Johansson é impecável)

Coringa tem estreia prevista para outubro desse ano. Até lá, você fica de olho daí, que nós ficamos de olho por aqui. Confira o primeiro poster:

Sobre Bruna

Publicitária. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts™. Se a Bahia fosse um anime, Ivete Sangalo seria a protagonista.

Siga no Twitter!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.