Nesta quinta-feira (11) estão entre nós as primeiras críticas do novo Hellboy, e elas estão com sangue nos olhos - mas não pelas razões positivas. Embora um ou dois críticos tenha aparentemente gostado do filme, a grande maioria não teve piedade na hora de queimar o reboot de Neil Marshall. Um texto em especial nomeou Hellboy como "um dos piores filmes de quadrinhos já feitos".
É sem dúvidas um Exagero Jornalístico™, mas você também não vai encontrar muita positividade no tom geral na primeira leva de textos. O ponto positivo, embora isolado, é que a maioria pareceu ficar feliz com a versão de David Harbour para o herói demoníaco.

Então vamos lá! Leia abaixo os trechos das críticas de Hellboy, que estarão com os links para os sites originais (em inglês). Vale registrar que o filme estreia nos EUA nesta sexta-feira (12), mas só chega por aqui no Brasil em 16 de maio. Ah, e Hellboy tem 10% de Tomatometer no Rotten Tomatoes.

(Sabe a vida? Ela não está sendo fácil)



Como dois grandes gostos que de alguma forma não combinam bem, o maior pecado de Hellboy é fazer você desejar pelo que o filme poderia ter sido, porque existe muito dele que funciona. David Harbour absolutamente acerta o charme e os aspectos cretinos da personalidade do Hellboy. Parte das sequências de ação são legitimamente divertidas de assistir antes de voltar ao cansaço do restante do filme.


O Hellboy parece editorialmente picotado, tonalmente desarticulado e criado a partir de perspectivas conflitantes que o tornam no tipo de reboot "sombrio" que não entende por que certos reboots "sombrios" acabam funcionando.


BMD

Hellboy é um cinema muito mal aconselhado, e aqueles que apreciam a perspectiva de desastres cinematográficos provavelmente terão alguma alegria com isso. Todos os outros... Bem, todos sabem onde encontrar a melhor versão.

Hitfix

Passei quase todo o tempo de corrida do Hellboy, encolhido em horror, ou gritando de tanto rir. Tal como o clímax de Hellboy, o subtexto do qual é basicamente o protagonista gritando heroicamente "Credo, garotas!", foi perfeitamente fiel ao espírito de uma grande fantasia de metaleiro adolescente. Acho que é assim que Hellboy sempre foi destinado a ser.


Den of Geek

Uma bagunça barulhenta e desalmada de filme que tem muito mais em comum com sequências menores de Anjos da Noite, ou de Resident Evil, do que com o trabalho de Guillermo del Toro ou Mike Mignola.

The Wrap

Hellboy, de Neil Marshall, é uma fonte de criatividade, um grande filme de super-heróis feito para fãs de terror hardcore, transbordando de humor, ação e sustos. É ambicioso e discreto ao mesmo tempo, sabendo muito bem que seu público-alvo não é o público-alvo de sucesso que exige estrutura ou até sanidade.


Rendy Reviews

Se você assistiu a um filme da produtora Millennium Films, é provável que tenha visto todos eles. Com produções como Dupla Explosiva, Assassino a Preço Fixo 2 e Invasão à Lindres, este estúdio dirigido por testosterona se orgulha de uma ação sangrenta, mas permanece no reino da mediocridade por causa de um roteiro fraco, edição terrível ou efeitos visuais baratos. Hellboy, infelizmente, acerta todos os três!

/Film

Em uma palavra, Hellboy é desagradável. Outros adjetivos apropriados para descrever esse reboot incluem terrível, desnecessário e interminável. Considerando a sombra dos dois filmes de Hellboy escritos e dirigidos por Guillermo del Toro, pode ser fácil presumir que esta nova versão simplesmente empalidece em comparação. Embora isso seja verdade, não vamos atrapalhar o ponto: este Hellboy é muito ruim por si só. Não há necessidade de comparar com os filmes de del Toro, porque isso apenas inspiraria dor.


Time Out

Os filmes de Hellboy com Guillermo del Toro (2004 e 2008) nos proporcionaram um adorável deslocado com grande coração, um grande punho e uma queda por gatos e charutos. Entretanto, apenas o punho sobrevive a esse horrível reboot do diretor Neil Marshall. Onde o cineasta mexicano trouxe um monte de charme, sagacidade e intrincados desenhos de monstros, sua contraparte britânica entrega sangue, cartilagem e um monte de bestas direto do inferno da computação gráfica. Tem duas horas de duração, mas parece uma eternidade, se equilibrando de forma incoerente de uma parte barulhenta para outra.

Screen Rant

O filme tem seus méritos, e o espetáculo de fantasia pode valer a pena ser visto em uma tela grande, mas é um filme de fantasia e ação meio termo; não é ruim o suficiente para ser tão ruim, é bom e não é bom o suficiente para ser muito atraente. Ao invés disso, Hellboy parece fadado a ser um tiro pela culatra que rapidamente será ofuscado por blockbusters maiores que chegam nas próximas semanas.

Via CBM