Há alguns dias um povo muito bacana nos abordou pedindo divulgação de um projeto. No início eu fiquei honestamente confusa sobre o que era. Depois que eu entendi, adorei ainda mais a ideia de O Bom do Videogame. De forma resumida, é o melhor de todos os mundos: tem nostalgia, tem jogos, tem anos 90. Aquele tempo mais simples, mais trash e inesquecível.

Achou que não daria para reviver os anos 90? Achou errado, otário!


DO QUE SE TRATA?


O Bom do Videogame é um jogo de tabuleiro que resgata a nostalgia das locadoras direto para as mesas. Você e seus amigos serão crianças dos anos 90, se dividindo entre estudar, alugar jogos, pedir dinheiro para os pais, pedir jogos de presente para eles... E finalmente: jogar o máximo que puder.

COMO FUNCIONA?


E não é simples não! O jogo tem uma grade de ações que determina as atividades da criança (vulgo você) na semana. Ela fornece também os recursos para o fim de semana, como pedir dinheiro para alugar jogos, ou comprar uma revista de detonado. O jogo simula até o relacionamento da criança com os pais.

Pedir dinheiro ou jogos de presente geram promessas de estudo, elas atrapalham a jogatina, e força o jogador a estudar para merecer benefícios. Mesmo que precise deixar o videogame de lado para isso.

No fim de semana os jogadores podem ir à locadora, que são as cartas disponíveis no centro da mesa. Quem paga leva um jogo para casa, mas quem paga mais leva um lançamento, pois essa era a prática da época. Quando outra criança chegar à locadora, ela só poderá alugar os jogos que restaram, pois os alugados não estão mais por lá.

A locadora é reforçada por algumas "celebridades" que frequentam o local e são famosas por zerar três jogos, jogar sete jogos da locadora, ou ter revistas de seis gêneros de jogo. Os jogadores devem igualar esses feitos para obter uma reputação parecida. Essa reputação sofre variáveis a cada partida, além de ocorrer em outros locais. A loja de jogos só tem três lançamentos por semana, e o jornaleiro só tem três revistas. Quem comprou, não compra mais.

Existe ainda a mecânica que permite acordar mais cedo para ir à locadora, ou mesmo passar por lá no meio da semana, garantindo o aluguel. Os jogos? Eles são divididos em dificuldades diferentes - fácil, médio e difícil. Nos gêneros, temos Plataforma, Luta, Tiro, RPG, Esportes e Variedades

COMO SER O BOM DO VIDEOGAME?


Após cinco semanas de disputa (no jogo, não na vida real!), o jogo é encerrado e começa a contagem de pontos. Você pode pontuar de quatro formas diferentes:


  • Zerando jogos, onde quanto mais difícil for o jogo, mais pontos ele vale;
  • Jogos jogados, onde quem joga mais, garantem um bônus;
  • Quem está por dentro das novidades garante boa reputação, recursos durante o jogo, e pontos extras;
  • E a reputação, onde cada reputação possui a sua própria reputação, como os jogos.

Quem conseguir mais pontos após a soma é coroado O Bom do Videogame. Bateu a dúvida? Siga o coração das carta (literalmente): faça exatamente o que você fazia na época das locadoras que é sucesso.

CONHEÇA AS CARTAS DO JOGO


As cartas de O Bom do Videogame são inspiradas nos jogos da época, e refletem isso de forma muito gostosa no visual. Gadget Max é um jogo de tiro de um garoto cheio de equipamentos modernos, incluindo um estilingue de energia. É quase um mix de Alex Kidd e Mega Man. Já Bloody Blades é um jogo de luta com armas brancas. Se você lembrou de Samurai Shodown, estamos juntos.

O destaque do conceito é o Neow. O “jogo que vem com o console” foi inspirado em clássicos como: Mickey Mouse, Sonic The HedgehogGato Félix, Michael Jackson, Ayrton Senna, The Flash e Kaneda (Akira). Motivo? São personagens famosos por serem rápidos. A escolha do gato vem pelo mesmo motivo.

IMPORTANTE

Após conhecer o jogo, você deve estar pensando que precisa de experiência prévia... Não precisa! A galera que projetou o jogo pensou nisso. Se você conhece clássicos como War e Banco Imobiliário, tudo bem. Se não conhecer ou nunca jogou, tudo bem também. O Bom do Videogame foi projetado para ser agradável já na primeira partida.

GOSTOU?


Então anote os contatos, encha o saco do povo para comprar as cartas e acompanhe as postagens no Facebook. Sério, elas são ótimas, sempre cheias de bom conteúdo que faz chorar o coração anos 90.

Telefone: (27) 9-8157-2568
Facebook: www.facebook.com/obomdovideogame
E-mail: obomdovideogame@hotmail.com