Header Ads

 

Review: ToeJam & Earl - Back in the Groove (2019) (PC)


Abril começou, e as novidades não são mentira! Hoje por exemplo, É dia de review. Vamos viajar pelo mundo louco de velhos conhecidos ainda mais loucos, mas em nova versão. Lembra de ToeJam e Earl? Pois eles voltaram, foi um longo caminho: anunciado em 2015, só em 1 de março desse ano ToeJam and Earl: Back in the Groove viu a luz do dia. O resultado? Você confere comigo agora.



A HISTÓRIA

ToeJam, Earl, Latisha e Lewanda nos momentos antes do deu ruim

Tudo começa numa viagem espacial tranquila, com ToeJam querendo apresentar a Terra à Lewanda, que achou o planeta "tranquilo. Como companhia ele traz o inseparável Earl e a Latisha, claro, afinal segurar de vela não é legal nem aqui, nem em outra galáxia. ToeJam então decide animar com uma dose de funk, e pede para Earl acionar o subwoofer dos auto falantes da nave. Entretanto, o grandão se enrola, e aciona por acidente o "Gerador de Buraco Negro", sugando os personagens com nave e planeta.

A Terra é então remodelada em "camadas", e a nave dos protagonistas se quebra em dez partes. Aqui entra a sua missão: explorar a Terra mais uma vez e recuperar os pedaços da Rapmaster. Só assim vocês poderão voltar ao planeta natal, Funkotron.

JOGABILIDADE

O Earl das antigas é um dos meus personagens favoritos nesse jogo

Logo de cara você pode escolher um dos seis personagens disponíveis: são duas versões de ToeJam e Earl (antiga e nova), Latisha e Lewanda. Temos ainda três personagens desbloqueáveis. E todos, incluindo os bloqueados, possuem uma habilidade especial. A Latisha dá dano extra com todos os tomates, por exemplo. O de Back in the Groove é igual ao do jogo de 91, o eu não digo como crítica, pelo contrário. 

Jogando mais um pouco você consegue desbloquear o modo aleatório. Vai encrar?

O jogo também faz jogar em níveis sobrepostos, indo do menor para o maior, onde não é coletar as peças da nave. Ao começar um novo jogo, ele vai apresentar algumas opções: normal ou tutorial? O jogo normal tem 25 níveis, sem dicas. O tutorial é mais curto e tem dicas do que fazer. Tem ainda o mundo aleatório, que gera os terrenos aleatoriamente a cada partida.

Seguindo, você quer um jogo privado ou multiplayer? No privado, ele é seu. No multiplayer, seus amigos poderão jogar com você, ou só ver. Desde que eles tenham o jogo, claro. Dá para interagir no chat e tudo.

Começando, você deve explorar o cenário, encontrando itens e interagindo com os personagens. Os itens são os presentes, mas eu falo deles daqui a pouco. Ou então você pode ignorar todas as árvores e moitas e ir direto para o elevador que te leva até a fase seguinte.

O QUE SÃO OS PRESENTES?

Os "colecionáveis" mostram quais presentes você já encontrou ao longo do jogo

Os itens especiais são os presentes, que você consegue interagindo com moitas e árvores, pode achar no chão ou obter interagindo com certos terráqueos. Às vezes os presentes são identificáveis, mas na maior parte das vezes, não. Às vezes eles são amplificados (efeito ampliado) ou quebrados (não funcionam ou causam efeito diferente). 

Você pode consertar presentes quebrados achando o terráqueo que faz isso (se eu bem me lembro), ou encontrando o presente que conserta presentes. Você também pode fazer isso para identificar os que estão com (???) ao invés de nome. No geral, cada presente dá um recurso diferente: comida, asas, botas que pulam, tomates para atirar nos inimigos, etc. É preciso pensar na melhor hora de usar um presente, para não fazer isso a toa.

A DINÂMICA JOGADOR X CENÁRIO

Com quantos girassóis se esconde um Earl? apenas três

Mantendo o bom humor do original, Back in the Groove é cheio de bom humor nos personagens que traz, e na forma de interagir com eles. Se você se aproximar do Troll, ele joga uma placa cheia de !@#$% na sua cabeça, deixando tonto e invertendo os controles por um tempo. Já a dançarina hula te faz dançar quando você chega perto dela.

Mas os meus favoritos são o Ghandi e o campo de girassóis. Tem uns girassóis perto de onde você está, onde também tem inimigos? Se esconda nas flores que eles não te acham. O Ghandi faz você levitar, espalha flores, e no raio delas, ninguém pode te atacar. Ah! Tem um duende (?) maldito que de vez em quando surge correndo feito doido com um presente na mão, dizendo "você não me pega".

Existem ainda os mini games de dança, onde você dança a música do jogo, ou cria a sua própria batida e depois dança ela. E a fase especial que é muito doida mesmo.

PONTOS ALTOS DO JOGO


Se você gosta de jogos bem humorados e com ótima trilha sonora, temos ambos aqui. Você não pode correr, e se o seu forte forem jogos rápidos, Back in the groove vai ser estranho. O jogo também não é jogo lento, vale dizer. Ele evolui num ritmo agradável, bem ao jeitão anos 90 mesmo.

E escolher um dos personagens lá no começo muda tudo. Além das habilidades especiais diferentes, cada um deles tem atributos em quantidades diferentes. Isso influencia o ritmo do jogo de um jeito diferente e bacana. Ainda é possível ganhar melhorias aleatórias quando junta XP suficiente, e pede ao Espertalhão para te promover de classe.

Outro ponto alto realmente alto é que o jogo tem opção de idioma em português. É um "detalhe", mas faz toda diferença.

PONTOS BAIXOS

A falta de mais opções de gráfico fez a diferença (negativamente)

Mesmo sendo um jogo muito divertido, Back in the Groove não foge dos problemas. O que mais me incomoda é o carregamento lento no começo do jogo. Outro problema é que você pode configurar a resolução da tela, ou se quer o jogo em tela cheia ou não. Entretanto, você não pode configurar algo simples: se quer os gráficos baixos, médios ou bons. A ausência faz a diferença negativamente.

E AÍ... O JOGO VALE OU NÃO VALE?

Chegou a hora do ban hammer, galera

ToeJam and Earl: Back in the Groove é um jogo bem divertido para quem tem paciência, ou não perdeu o costume com os jogos dos anos 90. Repetindo: a simplicidade aqui é cativante, dá vontade de explorar cada moita atrás de cada segredo e item possível. As interações com terráqueos são bem legais, e o conjunto da ópera é divertido. O jogo não deve te prender a longo prazo, mas toda vez que você voltar para jogar, vai se divertir.


Lançamento: 2019
Plataformas: Nintendo Switch, PC (Steam), PS4 e Xbox One
Desenvolvedor: Humanature Studios
Publisher: Humanature Studios, Limited Run Games

Mais em: www.tjebackinthegroove.com

Sobre Bruna

Entusiasta dos jogos indie, mobile e de luta. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts™. Publicitária. Em terra de plagiador, quem tem conteúdo original é rei ou otário?

Siga no Twitter!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.