Header Ads

 

Vale a pena ler de novo: resumo da quinzena 12/05 a 25/05


UM SOM PRA GENTE CURTIR: Genesis - No Son of Mine

Eae você.

Antes de irmos para mais uma retrô, tem um detalhe que precisa ser dito. Estamos em obras. A retrô vai continuar mudando, como vai ver hoje. O que eu disse na outra retrô, quero repetir em junho: só retrôs quinzenais. Como mantivemos o mesmo feedback, eu sou posso agradecer pelo carinho. Significa muito? Significa.

Mas Bruna, eu tô reparando uns links repetidos? Sim. Na retro anterior eu precisei "errar" a conta dos dias de propósito, assim a lista de links ficaria mais completa. Então hoje eu precisei repetir uma parte deles. Na próxima retrô, entretanto, a contagem entra no esquema certo. Hoje vamos rodar a toalha, pois o assunto é bem... Diferenciado.

A RESPOSTA REALMENTE É 42?


No dia 25 de maio é celebrado o Dia do orgulho nerd, o Dia da toalha. E isso me deixa bastante... Dividida. Eu não odeio o dia, mas também passo longe de amar. O que parece não ter sentido, pois é, cá estou eu escrevendo num site sobre nerdices. Mas é bem isso mesmo: esse arerê por causa do dia dos nerds não me atrai muito.


EM PARTE É PELA PARTE RACIONAL


A formação em publicidade e propaganda foi tudo pra mim. Me deixou vacinada para muita coisa, então não é toda data que me dá o bait - embora eu respeite quem curta. Eu só cedo mesmo no natal, pois é a melhor data, e a páscoa, pois chocolates. Adoro o Dia internacional da mulher, gosto do dia das mães, pois mesmo o dia das bonitas sendo todos, é bom ter um para destacar isso.

Agora datas feito dia dos namorados e do orgulho nerd me deixam... Meh. As datas que eu falei são movimentadas pelo comércio e a publicidade. Mesmo as mais nobres do mundo. Mas é que tem uma parte ranzinza em mim que impede de gostar por causa de uns detalhes.


TUDO MUDOU... OU NÃO


Era uma vez o nerd, marginalizado por ser diferente. Anos depois veio a revolução, em grande parte pelo começo do Universo Cinematográfico da Marvel. O MCU e tantas outras obras quebraram a forma como o "nerd" é visto... Ou quase. Os heróis salvaram Hollywood. A indústria dos videogames gostou, e pegou vários elementos do cinema. Certos livros, HQs, mangás, passaram a circular no país. Mesmo que por um preço temperado com sal a mais.

Se eu gosto disso? Gosto. Um dia o jornal da Globo (ou da Record?) falou sobre a final do CBLoL e eu achei um máximo, pois eu sabia do que se tratava. Eu lembro que foi legal ver um cartaz do filme de Venom num ponto de ônibus. E sim, eu tenho os dois livros de 24 Horas que saíram, apesar de só ter lido um, e nem foi inteiro.

Mas por que a coisa do ser nerd me irrita? Por como encaram isso.


EM PARTE É PELA PARTE RANZINZA


Você pode se enganar que a Disney comprou a Fox para "salvar os X-Men", mas todo mundo sabe que foi por dinheiro, e para expandir o mercado. O povo quer comprar, os gravatinhas querem vender. Lesse fair lesse passe. Não tem problema nenhum nisso. Tem problema é em quando você faz disso um inferno para os outros.

Se você pode e quer encher a casa de bonecos, quadros, DVDs, camisas, posteres, só vai. Tudo com aquele cuidado maroto para não fazer dívidas. Se você pode, mas não quer sair comprando tudo que vê por aí, é um direito seu. Chocante, mas o Brasil ainda é democrático. E se você quer, mas não pode comprar, não se culpe. Nunca.

O que me irrita é alguém discriminar o outro. Quando o agredido vira agressor. Quando você só "é nerd" se ler isso ou aquilo, se assistir todos os filmes de uma saga, e numa certa ordem. Que você só "é nerd" se tiver lido aquela HQ hiper obscura, ou assistido aquele anime com legenda em russo.


GOSTE DAS NERDICES, MAS NÃO "SEJA NERD"


Eu ainda lembro de quando falei "ouça hevy metal, mas não seja metalhead" num texto do Hardmetal Brasil. Deu um buzu maligno, mas eu mantenho o que falei por lá - e trago para cá. Você é mais que um rótulo, um perfil de personagem de Big Bang Theory, uma classe de RPG. Você pode gostar de nada ou de tudo, ou só de algumas coisas. Sei lá, você faz as suas regras.

Pode ser Marvete DCzete? Pode. Pode assistir os filmes de Star Wars em qualquer ordem? Pode. Pode assistir na ordem? Pode. Pode não gostar de Harry Potter? Pode. Pode gostar de Harry Potter? Pode. O que não pode é perder o respeito, nunca jamais.

Tá liberado não achar Dragon Ball o melhor anime do mundo. Tá liberado gostar de Pokémon e Digimon. Pode fazer pose de Jojo's Bizarre Adventure sim, de preferência cantando Sono Chino Sadame.

Eu adoro quando o Mussum diz em Os Trapalhões que "o mé" é uma porção de estado de espírito. O mundo das nerdices é a mesma coisa pra mim. Mais do que ter coisas, seguir regras, é curtir essas obras do jeito que você quiser, e puder. É deixar elas embalarem a sua vida, criar memórias, encher de esperança, salvar da depressão e ansiedade, o que elas hoje fazem por  mim.

Resumindo a prosa toda: não existe regra para "ser nerd". Ou melhor existe uma: vir comigo. Não vai ser uma viagem sem tretas, mas eu garanto que será diferenciada, qualidade top Rogerinho.


DO SITE


LANÇAMENTOS


CINEMA


JOGOS


JOGOS DE LUTA


ESPORTS


MOBILE


TV E STREAMING - EUA


TV E STREAMING - JAPÃO


EVENTOS


OUTROS

    Sobre Bruna

    Publicitária. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts™. Se a Bahia fosse um anime, Ivete Sangalo seria a protagonista.

    Siga no Twitter!

    Nenhum comentário

    Tecnologia do Blogger.