A segunda-feira (8) está mais bonita para se viver: saiu o segundo trailer de Malévola: Dona do Mal, que chega nos trilhos do primeiro trailer de Mulan. Depois de muita espera, o primeiro trailer nos deu um cenário intrigante, embora confuso do que esperar. Agora temos um pouco mais de respostas, mais perguntas, e tietagem na dose certa para aquecer o coração. Então se você achou que teríamos o comentário do trailer... É, você acertou. Vem comigo.




Anos depois, a resposta


Desde quando eu assisti Malévola pela primeira vez, fiquei imaginando que ela não iria reagir com a maior das positividades ao pedido de casamento do príncipe Phillip a Aurora. Heh, não precisava ser muito sagaz para ver isso. Malévola conhece o poder do amor, e deixa isso muito claro, mandando a real de uma coisa que é muito ignorada: o tanto de merd* que as pessoas fazem "por causa do amor". 

Um sentimento tão legal passou a ser desculpa pra gente fazer um monte de coisa absurda e torta, e as pessoas reagem da forma mais normal. Aí fica difícil dizer que a Malévola está errada. A parte boa é que isso estabelece uma dinâmica muito interessante, embora caótica, que tem tudo para nos oferecer muito mais que o seu conto de fadas padrão. Não por acaso esse é o slogan, e bem esperto.

Um "felizes para sempre" menos irritante


O primeiro filme estabeleceu Malévola como muito mais interessante, e indo muito além do clichê da bruxa má, fazendo mázices contra seres humanos. Eu odeio isso de coração, e bato demais nessa tecla aqui no site - e na vida. Até falei sobre isso no comentário do primeiro trailer: o problemão de histórias contadas pela estrutura do preto x branco. Porque a vida não é isso.

Tudo bem, às vezes você só quer sentar, pegar a pipoca e ver os mocinhos vencendo. Entretanto, as possibilidades de narrativa agradecem quando a gente vai do ponto A-A1-A2-A3-B, ao invés do puro e simples A-B. Não é algo que todo estúdio pode bancar, mas a Disney pode. Agora ela quer bancar, é diferente. Me admira, do jeito bom que a Casa do Rato, sempre tão conservadora, esteja realmente fazendo isso.

Eu não quero saber do conto original (ou das versões)


Sempre que uma obra é adaptada para outro meio, logo surge a historinha do "será que vai ser fiel ao original?". Isso me mata. Uma boa adaptação não deve fugir da inspiração, mas ela também não pode ficar totalmente presa a inspiração. Essa falta de visão fez o live-action de Ghost in the Shell ser tão criticado, por exemplo. É uma longa história, mas da forma resumida... É isso.

Nesse tipo de situação eu tento não me prender a obra original. Eu até evito saber sobre, ou se eu já sei, tento manter em mente que em outro meio, a obra funciona de uma forma diferente. Ou deveria. Se a gente não fizer isso, dá uma limitada, mesmo que sem intenção, no que você se dispõe a aceitar. Então eu entendo (só não aceitando) o hate do "bruxa má que ficou boa". Só que não é bem boazinha. E é justamente esse tipo de coisa que eu tento evitar.

Estabelecendo um ponto muito importante


Um ponto bem polêmico de Malévola talvez te surpreenda, ou não. Existem pessoas que enxergam a relação entre a Malévola e Aurora do ponto de vista romântico. Claro que a base da relação entre as duas é a relação de mãe e filha, mas... Tem quem defenda isso. Então foi muito bem-vindo o novo trailer de Malévola: Dona do Mal ter estabelecido, de fato, a relação de mãe e filha entre as duas.

Foi bem-vindo por duas razões. Uma é pela reação da Malévola ao ver a rainha -e mãe do Phillip- "adotando" a Aurora como filha dela. É bem coisa de mãe, com a diferença que essa mãe é uma fada mega poderosa e ciente da real natureza dos humanos. "Quem é você pra chegar aqui, depois d'eu ter criado a minha filha, pra dizer que vai cuidar dela melhor do que eu"? Foi o resumo de toda reação da Malévola, basicamente.

A outra razão é melhor ainda: assim a gente não cai na pegadinha que o filme já vem tentando evitar há anos. Amor não se resume a romance. O amor como sentimento vai muito além disso, ele é base de toda relação onde as pessoas se importam minimamente umas com as outras. E poucas relações são tão bonitas (e fortes) quanto a de uma mãe com uma filha.

... Espera aí!


Assim como trailer de Mulan teve um momento para deixar deixou a Pessoa que Vos Fala™ espera aí, o novo trailer de Malévola: Dona do Mal também teve. E ele é ainda maior, me causou um mini pânico real. Calma lá, a Malévola não é a única da sua espécie? O trailer termina deixando no ar essa dúvida cruel, e muito boa. Ela vai deixar os fãs falando, e manter o filme no radar até outubro.

Não que precisasse disso, afinal tem Angelina Jolie. Qualquer ser humano com bom senso já ficaria de olho só por isso. E ainda vai ter Michelle Pfeiffer, então imagine só a tietagem que vai ser.

Malévola: Dona do Mal estreia em 17 de outubro. Infelizmente ainda tá longe demais.