Um som pra gente curtir: Burnout Syndromes - Good Morning World!
Leia a retrospectiva anterior

E voltamos! Hora da retrô da primeira quinzena de agosto, e eu já adianto que ela será bem meta. O começo de tudo é que eu esqueci que essa quinta era dia de retrô. Eu lembrei na segunda, na terça, aí veio quarta e deu cinzas na memória. Rodei mais que Margareth Menezes cantando Dandalunda na intenção de puxar uns temas pra falar sobre e eu decidi - essa quinzena eu vou falar sobre não falar nada.

Uma mistura de ódio com amargura, haha

Honestamente? Tô, com um monte de coisa. Boa parte é offline. Online eu também não tô feliz com a vida per say, então eu pensei em falar de um monte de treta. Por que treta rende, né? E vieram mais ideias que os finais vistos pelo Doutor Estranho. Pensei: 

  • No Bolsonaro mexendo no imposto dos games;
  • Nas entrevistas do Coldzera pra ESPN e o Shot da Caju;
  • No ban que a Gllty levou da Capcom Pro Tour por denúncia (ou denúncias?) de assédio;
  • No fotógrafo que várias pessoas pessoas denunciaram pós-EVO, também sobre assédio.


Nobre camarão, a vida tá muito doida. Pra não dizer que eu vou arregar de falar algo, quero deixar a alegria pela entrevista da Caju. Mesmo. Uma boa entrevista é isso, é você espremer o entrevistado e tirar as melhores respostas, aquelas que ele(a) nunca deu, mantendo obviamente o respeito. No jeito quieto dela, a Caju tocou nuns pontos bem tretosos, e eu fico feliz por isso. Que bom que ainda tem gente não fazendo entrevista nível água de salsicha. Certo, meus amigos da Imprensa Especializada (pfff)?

Que a Imprensa Especializada (pff) tome vergonha na cara

Não é que eu não queira bater papo com você. Eu quero, inclusive adoro. Mas cá entre nós? Eu tô um tanto quanto cansada por esses dias. A sociedade criou essa mania: todo mundo precisa ter opinião sobre alguma coisa, se posicionar sobre algum assunto, precisa, precisa, precisa. O trabalho (e dá pra gente chamar de trabalho?) de influenciador digital só existe por causa disso. Porque as pessoas são fofoqueiras, intrometidas e amam opinar sobre o que não diz respeito a elas.

E também porque o público não sabe pensar sozinho. Não você, claro. Aqui a gente pensa junto, até se desentende, mas no final tudo se ajeita. Não faz sentido eu, profissional da área de comunicação, te incentivar a não falar... Mas na real faz. O que eu quero mostrar é que tá todo mundo falando muito, mas observando e principalmente, ouvindo pouco. Ou pior: ouvindo gente maluca.

Tem uns ~formadores de opinião~ que hoje não, Faro

Acho interessante como todo mundo na internet se posiciona sobre alguma coisa como se fosse uma verdade absoluta. É um monte de voz de autoridade, de gente que não tem conhecimento sobre um tema, ou maturidade mesmo. E quanto tem um ou outro (os dois, tá raro), a pessoa parece que vacila ainda mais feio. Nos dois casos, trago notícias: a sua verdade pode ser sua, mas ela não é absoluta. O mundo não gira ao seu redor! Chocante, eu sei.

Tem horas que bate esse cansaço, daí é legal usar o direito de não dizer nada. Faz bem. Às vezes você não tem opinião formada sobre nada, ou tem, mas não quer falar. Bruna e se eu for um influenciador? Uma youtuber? Faça o seu público pensar junto contigo, e não igual a você. É um voto de confiança que você dá a inteligência do público, igual a gente faz aqui. Que o seu público é melhor do que um "bando de gado". 

Galera que acha que o nosso público é gado, corre aqui

Depois do aniversário eu tô assim, tentando ir mais devagar. Chegar aos 30 anos é estranho. Eu tô, mais do que nunca, filtrando os caminhos e ideias a seguir, e as pessoas pra colar junto. Tem caminho, ideia e pessoa ruim? Muita. Do mesmo jeito que também tem caminho, boa e pessoa boa. O detalhe é que a gente só descobre isso vivendo. E viver tá naquele pique, né?

Não tem jeito. Por mais que "machuque" o meu trabalho, a honestidade sempre vai ser uma bandeira minha. Isso já vem falando no juramento do formando de publicidade e propaganda não por acaso. Afinal a internet acha que gente honesta não tem futuro, mas sempre oh meu Deus, odeia os pilantras. E bate palma pra uma galera aí. Curioso. Esse mundo é mesmo um bizarra aventura de Jojo.

Você achou que eu teria mais uma ideia de meme, mas 

Eu sei que o texto dessa quinzena foi meio curto, e muito meta, heh. Mas tem hora que é bom a gente bater uns papos assim, pra pisar no freio, sentar, respirar fundo. Até eu fico cansada desse corre corre na cidade grande, onde todo mundo no fundo no fundo está só. Então se tem horas que você se sente assim, Yu Yu Hakusho demais, é isso, tamos aí. Você não solta a minha mão, eu não solto a sua, e essa brincadeira vai dar certo. Só confiar. Enquanto isso o Renan abriu as portas do inferno lá no Waka Talk da semana. Confere que a leitura tá melhor que sete páginas de muda.

Do site

Cinema

Jogos

Jogos de luta

Jogos mobile

Esports

TV

Streaming

HQ e mangá

Eventos