Header Ads

 

Waka Talk: precisamos falar sobre a FGC (e dinheiro)

Olá, tudo bem? Mais uma semana se foi e chegou o momento de misturar ideias com improviso e termos algo para falar em mais uma quinta-feira de Waka Talk, e, pode pedir música já que praticamente é a terceira semana falando direta, ou indiretamente, sobre jogos de lutas. E justifica, afinal, o primeiro final de semana de agosto teve o EVO 2019, o maior evento dos jogos de lutas que te falamos sobre ele aqui e os resultados desse ano aqui. Agora vamos a abordagem de hoje.


O que é FGC?

A sigla FGC é de Fighting Game Community, não confundir com fundo garantidor de crédito, a comunidade de jogos de luta. Talvez a comunidade mais simples de você fazer parte, afinal, coisas simples como gostar de jogos de luta, assistir torneios (presencial e/ou online), incentivar a galera da área (como likes e RT), participar de torneios independente do seu resultado (mesmo que seja 0-2, você é importante sim).

Como todo tipo de comunidade existem os lados bons e ruins, contudo, se vermos bem, é um local que há mais aspectos positivos e negativos para você se agarrar se procurar motivações para seguir no meio, mesmo como expectador pois nem todo mundo será um jogador profissional, e nem precisa para se divertir ou aproveitar a FGC.

Os efeitos pós EVO

É muito comum vermos o interesse por jogos de luta crescer nesse pequeno período próximo ao evento como desconto nos jogos que estão no evento em diversas plataformas, alguns ganharem dias grátis para serem jogados, veículos que nunca deram uma atenção decente pro gênero fazendo click bait para ter você por lá, entre outros macetes de farofeiros.

Após ver o último dia acaba sendo comum nascer uma vontade enorme de começar um daqueles jogos e se dedicar, pesquisar mais, entender esse universo e ai vem um lado triste. Infelizmente se não for em sites dedicados a FGC, você vai sofrer para encontrar notícias sobre o tema ou artigos legais de ler. Modéstia a parte, somos um dos raros casos de sites não focados que tratam a FGC com o respeito que ela merece não só nos textos como também em diversos vídeos no nosso canal. Deixarei abaixo um no TBT que será legal rever pelas participações LATAM.

Seria um passo muito bom se as mídias conhecidas começassem a dar mais espaço, nem que fosse ao menos algo simples como resultado de torneios dos circuitos profissionais ao menos o Top 8. Esse aumento de visibilidade seria benéfico para todos, afinal, não é estranho o esports mais simples de ser entendido, mais fácil de ser realizado, ser tão escanteado de mídia e patrocínios?

É mais amor do que dinheiro

Arcades <3 3="" td="">
Não há como negar o crescimento que a cena da FGC vem tendo há pelo menos uns 10 anos quando foi ficando cada vez mais popular o Momento 37, outro tema frequentemente utilizado para dizerem que "falam" sobre jogos de luta por ai, e as coisas não deram um salto como merecia, não apenas comparando com outras modalidades.

Chega ser surreal que jogos que necessitam de equipe sejam mais atrativos para patrocínios em geral e para empresas do ramo apoiarem atletas. Uma vez ouvi ou li que "é mais fácil apoiar um time de moba por trazerem resultados mais facilmente do que investir em algo individual".

Honestamente isso chega a ser surreal pois ao abraçar um time de moba você está patrocinando cinco atletas de uma vez e esse time pode não render o que você espera, basta um cara estar no dia ruim e pronto, adeus vitória. Quem joga moba sabe muito bem como um jogador ruim na partida "entrega" o jogo.


Um torneio com 10 equipes de moba/CS terão "10 competidores" (cada time) reunindo de 50 à 70 jogadores, quando equipes possuem reservas, para jogos que não são simples de serem entendido a primeira vista. Com o mesmo número, ou menos, já é o suficiente para um ou vários torneios de jogo de lutas e ver competidores de potencial.

Pode ser ainda mais fácil escolher um jogador para patrocinar, usando de exemplo Street Fighter que é o jogo mais popular, existe a Capcom Pro Tour e assim que você entra no site rapidamente vê a classificação e que 32 estarão na Capcom Cup.

Será tão difícil assim uma marca olhar o rank, analisar os nomes entre os 40 melhores no geral e oferecer um projeto para apoia-lo com patrocínio? A chance desses ir para a Capcom Cup é grande, e não é possível que só o ramo de energético consiga ver isso!!

Curioso que a Razer vende arcade stick, patrocina um forte competidor de FGC mas esquece disso na brincadeira...

E não apenas no tocante a patrocínio para jogadores, também apoiarem os torneios para terem premiações melhores. Se olhar as premiações que rolaram no EVO 2019 são valores que podemos dizer que foram baixo, olhando que foi premiação de Top 8 e quantos competidores o evento consegue reunir.

A Hori, uma das grandes empresas de controles arcades (e fighting pads), realizou nesses últimos dois EVOs um incentivos simples, mas que deu efeito. Os competidores que utilizassem a tag "HORI" no nick do torneio e alcançasse o Top 100 no SFV, teria uma bonificação. Algo simples e eficaz e isso te explica porque meu perfil ganhou Hori no Twitter desde o ano passado, entrando no embalo com o lado telespectador.

E na terra do Blanka?

Após tudo isso, falar da nossa situação é um pouco difícil pelo que eu venho oscilando de participar e conviver mais na cena. Eu ainda sinto que falta de uma forma mais geral uma união e apoio e menos rage/inveja com os que estão conseguindo competir até fora do país.

Eu acredito que junto disso falte alguém, ou até melhor alguns, para poderem ser porta voz e ajudar a cena local solidificar e sempre crescer. Tivemos torneios importantes por aqui, tivemos por alguns anos as finais LATAM da CPT por aqui e esse ano não teremos. E isso porque temos representante brasileiro na Capcom mas também dá pra entender que Mena fazendo lobby após ganhar a Capcom Cup, e os dominicanos irem bem, ajuda bastante.

O crescimento deles poderia ser vir de exemplo para adaptar um modelo no Brasil, talvez. As dificuldades podem ser similares e o propósito em ambos os países e jogadores é o mesmo: ter uma cena que vive e poder viver dela em um futuro ideal.

Não quero que minha memória me traia, então deixa nos comentários os canais que brasileiros que você costuma ver conteúdo e/ou torneios e vou listando aqui para serem vistos. Isso também é uma forma de você ajudar.

#TBT

Chegou o momento das lembranças e em 2016 foi um puta ano para ter um convívio no meio da FGC. Talvez a maior ironia da minha vida pois aquele momento era o pior que eu vivia e veio muito bem a calhar poder ver as finais in loco, próximo a Avenida Paulista em São Paulo.

Pude conhecer por lá jogadores como Keoma, Brolynho, Didimokof, Tupac, K-Brad, Kusanagi, Sancho Kay, DR Ray e alguns outros que não consegui registrar vídeo mas consegui conversar um pouco, conhecer.

Segue o listão:






Até a próxima semana.

Sobre Renan

Gamer que joga, escreve para gravar e a vida lhe fez fazer tudo que nunca pensou em fazer. Perito na discórdia por ter opinião, Renan também disse que nunca se referir a si mesmo na terceira pessoa por fugir da fama. Renan vem fazendo bem isso ¯\_(ツ)_/¯

Siga no Twitter!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.