Header Ads

 

Os 20 anos do Dreamcast, o último console da Sega

O tempo passa, o tempo voa, e a ideia daquela propaganda nunca foi uma boa mas o foco é: 20 anos se passaram desde o lançamento do Dreamcast. O último console da Sega chegou ao mundo com muitos desafios para suceder o Sega Saturn e teve vida curta, mas marcou nossas lembranças.


O desenvolvimento do Dreamcast

Apesar do Sega Saturn ser um video game maravilhoso, a Sega pisou e muito na bola quando realizou seu lançamento. Chegou a adiantar o lançamento e isso fez o console ficar sem alguns jogos e/ou demorar a receber alguns lançamentos, ainda pelo singelo detalhe da sua arquitetura era um novo desafio na criação de seus games. Isso contribuiu para seu fraco desempenho no Estados Unidos

No Japão o console era um sucesso absoluto e rivalizava forte com o Playstation. Com essa antítese e também pela dificuldade inicial na criação de jogos pela arquitetura do console, o final do ciclo de vida do Saturn acabou sendo adiantado, e assim, alguns de seus lançamentos finais acabaram se tornando lançamento para o próximo console da empresa.


Enquanto o time norte americano trabalhava no protótipo Black Belt, o time japonês trabalhava no Dural. Com o projeto japonês sendo escolhido, o protótipo recebeu o terceiro nome e assim ficou conhecido por um tempo: Katana. O nome definitivo do Dreamcast (ドリームキャスト - Dorīmukyasuto) vem de "dream broadcast", transmissão de sonhos.

O console foi lançado no Japão em 27 de Novembro de 1998 e no Estados Unidos no dia 9 de setembro de 1999 (9/9/1999). No Brasil veremos mais abaixo e entenderá.

Uma história curta mas marcante

O Dreamcast mais uma vez foi um projeto ousado da Sega. Sendo um console de 128 bits a ideia era clara e objetiva: ser melhor que os rivais Playstation (32 bits) e Nintendo 64 (64 bits). É curioso como ao mesmo tempo em que ela acabou dando um bom tiro em fazer um console de nova geração e puxar o foco para sí, a vida foi uma caixinha de surpresas para a Sega mais uma vez.

Mesmo lançado muitos anos a frente do PlayStation 2, Game Cube e Xbox, o Dreamcast teve alguns problemas com a Sega enfrentando seguidos prejuízos até tomarem a decisão de encerrar as atividades com consoles e desenvolver jogos para outras plataformas. Curiosamente muitos games do Dreamcast migraram forte pro Xbox, e outra cena surpreendente, vermos Sonic como um game dos seus eternos rivais dos ano 1990.


Nos poucos anos de vida o console recebeu mais de 300 games e recentemente ainda aparecem uns raros lançamentos pelo Japão com games criados por fãs. O console continuava maravilhoso para os games de luta e os esportivos da 2k Games, e marcou com novas franquias e ousadias da Sega.

Sonic Adventure marcou com suas mudanças e com o ouriço parecendo cada vez mais rápido com o poder do console; Shenmue nos trouxe outras perspectivas com RPGs; Ulala colocou geral pra dançar enquanto salvava a galera em Space Channel 5; Crazy Taxi nos deu traumas de andar na vida real mas embalou muita loucura no game.

Dreamcast no Brasil

Com a forte parceria entre a Sega e a TecToy obviamente o vídeo game chegou por aqui. Mas sabe como são as coisas por aqui né? Apesar do lançamento nacional ter sido no dia 20 de setembro de 1999 com uma festa, que poucos se lembram (!) o console só começou a ser comercializado em Outubro.

Revista Ação Games
Existiu certo exito por aqui, contudo, muitas adversidades marcaram o console até seu final por terras tupiniquins em meados de 2004. A TecToy trouxe por volta de 30 games nesse período no qual traduziam os encartes mas não contávamos com legendas em português, o que seria um grande pioneirismo e visão de futuro do que vivemos hoje.

O console foi lançado caro e sem jogo saindo entre R$900 à R$1000 na época e com o país em certa crise (algumas coisas não mudam com o tempo, não disse o que...) e seus rivais saindo mais barato mesmo eles sendo importados, e o Dreamcast com produção nacional.

sdds do Stargames

No ano seguinte fizeram a versão com Sonic Adventure vindo "grátis" e isso sim ajudou ainda mais nas vendas e fez o game do ouriço ser o mais vendido no Brasil também.

Maior embalo que o console teve, e também atrapalhou a TecToy, foi quando conseguiram desbloquear o console e o modo "Luffy player de ser" reinou. A empresa apontava esse ponto com mais um a dificultar uma redução de valores do console, mas, quem estava com ele em mãos aproveitou da brecha ilegal para jogar ainda mais.

Diversos dados no país são confusos, perdidos ou contraditórios, no entanto, estipula-se que foram vendidos em torno de 20 mil unidades do console e segundo a TecToy em 2007, esses foram os games mais vendidos por aqui:

  1. Sonic Adventure
  2. Sonic Adventure 2
  3. Sonic Shuffle
  4. Blue Stinger
  5. Monaco Grand Prix
  6. Tomb Raider: The Last Revelation
  7. The King of Fighters Dream Match '99
  8. Hydro Thunder
  9. Resident Evil Code: Veronica
  10. Virtua Striker 2
  11. Sega Rally II


Nessa montanha russa de emoções, o Dreamcast marcou sua época e corações e segue vivo na memória até hoje? Você tem algumas história, curiosidade ou relato com ele? Conta pra gente nos comentários. 

Sobre Renan

Gamer que joga, escreve para gravar e a vida lhe fez fazer tudo que nunca pensou em fazer. Perito na discórdia por ter opinião, Renan também disse que nunca se referir a si mesmo na terceira pessoa por fugir da fama. Renan vem fazendo bem isso ¯\_(ツ)_/¯

Siga no Twitter!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.