Header Ads

 

Solta o Play: Sabaton - Shiroyama


Nova semana, novo giro pelo especial de setembro que vai meio diferente, meio histórico. Se você chegou agora e não sabe: estamos musicando o mês com Sabaton, e algumas (das várias) histórias de guerra cantadas pela banda sueca. Começamos o mês com ar de Brasil, relembrando a história da FEB em Smoking Snakes. Depois, a Guerra dos 30 Anos proporcionou uma ótima reflexão em A Lifetime at War. Hoje? Vamos resgatar a história japonesa com Shiroyama, e aproveitar para fazer uma crítica social fod* até bem atual.

A verdadeira Batalha de Shiroyama


Shiroyama é faixa do álbum The Last Stand (2016), e a exemplo do antecessor (Heroes), ele fala de batalhas finais em diferentes momentos históricos. Nesse caso, a história é a Batalha de Shiroyama, que aconteceu em 1877 na cidade de Nagoshima, no Japão. O momento marcou o fim da Rebelião Satsuma, onde os samurais liderados por Saigo Takamori foram reduzidos a 500 homens. No monte Shiroyama aconteceu a última luta contra o exército imperial japonês, e 40 samurais ficaram de pé. Eles então puxaram as espadas e "partiram para cima", até que o último deles restasse vivo.

Quando o The Last Standing foi lançado, eu já estava bem desligada de muita coisa do heavy metal - incluindo o Sabaton. Entretanto, algumas músicas como The Lost Batallion e Last Dying Breath me chamaram a atenção, então ficam as dicas. Mais ainda foi Shiroyama, minha favorita absoluta pela vibe, letra, melodia, e por contar a história de um país que eu gosto de aprender mais sempre que eu posso.

A Batalha de Shiroyama no cinema


A Batalha de Shiroyama também inspirou um filme que eu gosto bem, mas eu só liguei alhos com bugalhos agora. Lançado em 2003, o Último Samurai com Tom Cruise é um filme muito bonito, empolgante, e reconta esse momento da história japonesa... Mas com alguns poréns. Os dois maiores: é um filme que sofre fácil do "salvador branco", mas não é um problema pra mim. Doutor Estranho é a mesma coisa, e eu também gosto dele.

O outro é a incoerência história. Uma de várias, mas essa eu sei que realmente aconteceu: os samurais lutaram por altruísmo? Não. Parte razoável deles se juntou à rebelião por não aceitar a modernização do Japão, o que colocaria em risco o status de classe privilegiada dos samurais. Entretanto, aqui é a hora de criticar a crítica: filme não é documentário. Desvios na história vão acontecer, e desde que o filme conte uma boa história respeitosa com o povo que for, eu vou sobreviver.

A crítica social fod*


Eu sempre achei interessante, e até admirei como tradição e modernidade andam lado a lado no Japão - mas agora você vê que nem sempre foi assim, e se esse processo aconteceu, não foi exatamente pacífico. A Batalha de Shiroyama ainda destaca como o país sempre foi alvo da influência Ocidental, de um jeito ou de outro. Mais ainda: o Japão não é, diferente do que muita gente romantiza por aqui, um país perfeito. É um país muito interessante, cheio de aspectos fascinantes, mas que tem sim um lado sombrio, e traços bem particulares.

Recado dado, vamos lá musicar um pouco. Hoje também não tem letra, pois novamente é um lyric vídeo.

Sobre Bruna

Publicitária. Mini Wikipedia de Scarlett Johansson Facts™. Se a Bahia fosse um anime, Ivete Sangalo seria a protagonista.

Siga no Twitter!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.