Header Ads

 

Waka Talk: Jornalismo "gamer" querendo matar a indústria mais uma vez

Olá, tudo bem? Chegamos a mais uma semana e hoje o que seria um pouco mais reflexivo, tornou-se uma voadora em um tema que vira delicado devido a era do mimimi e nomes que citarei, então, preparado já para receber alguns elogios que possivelmente possam ser estendidos a senhora minha mãe.


Parafraseando um grande pensador contemporâneo, Rogerinho do Ingá, "o jornalista gamer tem que acabar".  O jornalismo vem sofrendo e passa pelo período onde menos se pode confiar nos noticiários, inclusive os de grandes nomes, no entanto o nicho gamer/nerd já sofre disso há muitos anos antes, e só piora.

O que é jornalismo gamer?

Na teoria o jornalismo de games existe justamente para cobrir a área onde temos as notícias relacionada aos jogos (lançamentos, novidades, furos, dicas, etc), analise dos games, coberturas dos eventos relacionados a área e outras coisas.

Com o crescimento da internet o que vimos foi praticamente essa área morrer aos poucos, no lado profissional, enquanto muitos trabalhos de fãs com seus blogs começavam a ser mais sérios e até melhor informativo, especialmente os sites dedicados a um game só.

A área chegou a esse ponto especialmente com alguns escândalos envolvendo plágios por sites grandes. É inocência demais nos dias de hoje acreditar que simplesmente traduzir um conteúdo de fora e não creditar, para parecer autoral, nunca será descoberto pelos Sherlock Holmes das interwebs...

Parcialidades e a ditadura das regras

Você diria não para esse homem?
O tempo passou e nada melhorou e agora o que seria do universo gamer, tornou-se fã clube de uma marca e você sabe qual foi a escolhida em azul. Tudo parece ser uma propaganda para todos terem o mesmo console e não apontar prós e contras e qual poderia ser melhor de acordo com seu perfil.

Sendo isso pouco, começa a ganhar força a imposição de uma ideia como algo que deveria ser visto como lei e obrigação para os desenvolvedores. É aqui que nossa treta começa. A "regra do momento" é dizer amém a tudo que Hideo Kojima fizer ou dizer, mesmo que ele não saiba o que tá fazendo no seu próprio jogo.

Death Stranding será seu próximo jogo após anos sem criar algum game, após o tempo que criou sua Fox Engine e ganhou o direito de sacar seu FGTS acumulado na Konami, e a última notícia com gameplay, não ajudou em nada sobre o game mas garantiu a existência do modo Very Easy para delírio de influenciadores e jornalistas da área #pas

Very Easy deveria ser obrigação agora...

Dificilmente vemos algum game chegar ao mercado sem opções de dificuldade para o jogador escolher, e assim, é até surreal como foi comemorado a confirmação de um modo very easy de modo a parecer uma novidade revolucionário nos games, por vir de Kojima.

Não é uma regra, contudo, da sétima geração de video games para cá, ficou muito convencionado nos games existir sempre um modo easy (as vezes, very easy) para quem não tem muito tempo para jogar e quer aproveitar o game para ao menos terminar e ver a história.

Nada de errado até aqui, afinal, cada um joga como deseja aquilo pelo qual gastou seu dinheiro para se divertir. Inegável que hoje em dia ter tempo para jogar tem sido difícil para boa parte pois a vida seguiu e com isso, emprego e família são prioridades no dia a dia. Mas em algum momento vai sobrar aquela horinha pra ligar o game.

Todos juntos, perdidos e Shallow now
Um lado curioso para pedirem tanto que agora seja incluído sempre o modo muito fácil é apontarem a onda de jogos muito difíceis, que ironicamente caro leitor, foram jogos extremamente aclamados pelos mesmos devido a série Souls e os que surfaram essa onda. A hipocrisia é forte nesse nicho.

Kojima não apresenta um trabalho impactante há anos (P.T. foi mais o lado cineasta dele, já que o jogo morreu sem ser lançado) e a expectativa de algo bom e impactante vem muito do seu trabalho com a série Metal Gear. Talvez se ele olhasse alguns elementos utilizados e criados na série, encontraria pontos para explorar em Death Strandig como um game, em vez de fazer um filme disfarçado de jogo por enquanto.


Voltando aos jornalistas eles precisam lembrar de um singelo detalhe: dizer que algo deveria virar regra por gosto ou idolatria, é uma forma de restringir e censurar a liberdade criativa dos produtores dos games. As únicas pessoas que podem exercer essa função, se for necessário para manter o foco dos projetos nos trilhos, virá de dentro da própria produtora por meio da supervisão do projeto.

Manual de como ser gamer moderno

Aproveitando o gancho vamos falar como um valor fundamental se inverteu na área. Hoje quanto menos você jogar, menos se informar, falar besteira de modo convincente, você é um gamer de verdade. Sim, jogar é detalhe sendo que o jogar é o pilar que move a área.

A dica para você começar seu canal ou site nessa área: jogue menos, ou apenas um jogo (tipo GTA o dia todo e seja ruim nele ainda assim) e solte sua voz seguindo as noticiais mais tendenciosas e sempre falando de Playstation, pois é pecado ter e falar de Xbox nessa área seguindo a "escola diplomada gamer".

Corra risco de ser chamado de minion ou influenciado por galera Mil Grau se você não seguir essas dicas, talkei.

PS: vale ter computador que não roda nem campo minado e dizer que é master race também.

#TBT

Após abrir o coração e dar umas voadoras e já armar meus pés pra segurar eventuais voadoras nos comentários, a lembrança de hoje vem para dar uma suavizada nesse ambiente animada e descontraído que foi o Waka Talk de hoje, sem a parte animada e descontraída claro.

Vamos voltar em 2015 quando rolou o Stunfest na Europa valendo pela Capcom Pro Tour daquele ano. Na final chegaram Daigo Umehara contra Yusuke Momochi. Essa final foi um dos sets mais eletrizantes e impactantes da era Street Fighter IV.

Preste atenção para o que acontece quando alguém dá um perfect no The Beast.


Até semana que vem.

Sobre Renan

Gamer que joga, escreve para gravar e a vida lhe fez fazer tudo que nunca pensou em fazer. Perito na discórdia por ter opinião, Renan também disse que nunca se referir a si mesmo na terceira pessoa por fugir da fama. Renan vem fazendo bem isso ¯\_(ツ)_/¯

Siga no Twitter!

2 comentários:

  1. Sinceramente por mais que sua forma de escrever não me agrade, eu gosto da forma que vc pensa e por abordar um tema tão "chato" de uma forma corajosa sem abrir mão da sua real opinião . Particularmente gostaria de ver mais posts assim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se todos não tivessem medo de dizer sua opinião real quando fazem postagem do tipo, seria muito melhor e interessante independente das divergências que sempre existirão entre o redator e seu público ao fazer isso.

      Excluir

Tecnologia do Blogger.