Um som pra gente curtir: Céline Dion - Imperfections

Numa prova de incompetência minha, o tema que eu havia separado pra essa retrô não tinha nada a ver com um momento muito importante. Por ironia do bem o texto não saiu no final de setembro, o dia certo, para sair hoje, 1 de outubro. E é justamente nesse dia que o Armadura Nerd completa três anos no ar, a segunda data mais importante na minha vida desde 2016. É o meu "aniversário criativo", quando eu nasci para uma das coisas que mais gosto. Então hoje é dia de sermos ainda mais sinceros e redundantes.

Eu me sinto uma pessoa melhor

Vir aqui de segunda a sexta e trazer para você notícias, opiniões, informações sobre o mundo das nerdices, me tornou uma pessoa melhor. Numa jornalista melhor, embora eu seja publicitária por formação. Há anos eu escrevo, pois é o meu hobby predileto, minha forma de expressão predileta, e diariamente eu busco melhorar. Seja na forma de escrever, ou sobre o que escrever, minha filosofia é equilibrar as coisas entre o que você quer saber, o que você precisa saber, e o que você vai gostar de saber. Porque eu sou muito intrometida, sim.

Mas não é fácil

Só que eu mentiria se dissesse que é fácil fazer isso, porque não é. Para umas pessoas acaba sendo, mas mesmo que pra mim também fosse, eu jamais iria romantizar as pendengas que passa o produtor de conteúdo. Para você ter uma ideia: eu trabalho fora do Armadura Nerd, pois o site não me permite focar só nisso. Bruna, como assim você não lucra com tudo isso aqui? Faz tempo desde a última vez, e isso não acontecer é em grande parte culpa minha.

Eu me sinto uma pessoa incompetente

Eu adoro tudo que faço aqui, mas não dá para esconder que muitas vezes bate o cansaço. E olhe que eu me planejo, faço esquemas de horários, tenho planilhas. Parece que você está andando em círculos ao redor de algo simples, mas que você não enxerga. Isso me faz até pensar se eu estou mesmo pronta para chegar onde ainda quero - ou se eu vou aguentar. Em alguns dias a empolgação sobra, em outros dá vontade de sumir. Prova disso foram dois strikes emocionais recentes.

Mais um strike era música no Fantástico

Mais uma vez eu me questionei se valeria a pena continuar com o site. O strike 1 foi leve, quando sondei um site de games brasileiro que pedia colaboradores. Acabei não dando corda por motivos de sexto sentido, deixei quieto. O strike 2 foi bem mais sério. Primeiro pensei em colaborar casualmente com o The Feminist Patronum, um site que eu gosto muito. Depois pensei em ser colaboradora fixa.

É verdade

Foi uma experiência estranha demais. Logo eu, que sempre defendi ter meu próprio projeto, quis desistir dele. Não acho feio, sinceramente. A sociedade criou um medo enorme de falhar e errar, mas você só descobre o que dá bom ou ruim, tentando. Esse momento me deixou absurdamente frustrada. De um lado, eu sabia (como sei) que tenho as ferramentas pra fazer mais. Do outro, eu realmente quis seguir no sistema de outras pessoas, ao invés de criar o meu próprio.

E aí?

Foi bom ter essa crise, porque me deixou consciente dos cantos onde o meu estado de espírito pode chegar. Os bons e os ruins. Eu vou seguindo por aqui com você, em mais um ano de informação e bate papo dos bons, procurando melhorar conforme falei. Seja me sentindo uma pessoa incompetente, uma pessoa melhor, o show não pode parar. Menos ainda as nerdices. Então vem comigo porque eu não desisti, e na próxima quinzena vou explicar o motivo.

Do site

Filmes

Jogos

Jogos de luta

Jogos mobile

Torneios

TV e streaming

Eventos

Outros