Um som pra gente curtir: Genesis: Follow You, Follow Me

Acabou o ano. Parece que não faz tanto tempo da gente desejando feliz 2019 pra você, torcendo por um monte de coisas boas e aqui vamos nós. Na curva para 2020. Eu sei que a retrô está ausente há um bom tempo, mas eu não poderia quebrar a tradição de fechar o ano sem uma última reflexão. E como eu estou sentindo uma saudade imensa da gente conversar, é juntar o melhor dos dois mundos.

Foi um ano difícil

Agora que eu moro em outro endereço, tenho analisado melhor sobre como 2019 foi difícil. Na esfera pessoal, minha ansiedade e stress atingiram o pico, e transbordaram numa quase síndrome do pânico. Isso me fez ficar incapacitada no mental e no emocional, até mesmo para procurar ajuda. É uma história que influenciou demais a minha qualidade de vida. Não foi o meu melhor momento, e eu sei que não fui a única a me sentir assim.

Você não precisa ser forte todo tempo. Existe uma ditadura que obriga a ser feliz, produtivo e forte todo tempo, mas não. É como a minha professora de psicologia da faculdade dizia. "Tudo bem você se sentir triste. O que você não pode é ficar na tristeza". Se isso acontecer, não tenha medo de pedir ajuda. Entretanto, veja em quem você realmente pode confiar. O mundo está esquisito, e nem todo mundo é mais tão confiável. Até mesmo quem já foi confiável um dia.


Foi um ano esquisito

Perdemos tanta gente boa. A vida foi caprichosa demais, e decidiu que o mundo não era mais digno de ter lendas vivas como Andre Matos, por exemplo. É surreal lembrar que eu entrevistei esse cara, um cara tão inspirador... Que não está mais entre nós. E infelizmente essa lista é grande. O pior? Para quem ficou na Terra, o sentimento é igual: tem muita gente morta, mas viva.

Gente aproveitadora, de caráter mesquinho, arrogante, ignorante, preconceituosa. Gente violenta não só de bater, mas de ofender e humilhar. A mesma gente que veio para internet, para as redes sociais e tornou uma coisa tão legal num inferno. É como a Lady Gaga disse uma vez: as redes sociais são a lixeira da internet. Eu adoro redes sociais, acho a ideia revolucionária, mas a forma como passaram a utilizar de muitos anos pra cá. É complicado.

Foi um ano de trabalho

Fizemos bastante coisa por aqui, mas nem metade do que era previsto. Manter um portal de notícias e artigos com duas pessoas é trabalhoso. É ainda mais porque a gente quer fazer as coisas da maneira honesta, sem enganar você. Ou porque teve gente que tentou entrar pra equipe, achando que era vir e fazer uns textos meia boca e tamos aí.

Tivemos problemas técnicos, entre eu e o Renan, a vida desgastando a gente em off. Só que no fim do dia, é aquilo: só ele me entende, e vice-versa. Nossa amizade não é perfeita, e qual amizade é? Mas a gente tem, sem dúvidas, o King Crimson das amizades: ela simplesmente funciona. Isso que conta. O que eu espero é poder capitalizar mais as chances, e trazermos conteúdos cada vez melhores para você.

Foi uma lição e tanto

Quando dizem que "2019 foi um ano para esquecer", eu entendo a ideia. Só não concordo. Todo ano é uma lição, boa ou ruim, mas é. Você aprende o que fazer, não fazer, como facilitar a sua vida e a dos outros. Você quer ter razão ou quer ser feliz? A vida me ensinou que não dá para ter as duas coisas. E entre um e outro, o que você escolhe? Eu quero ser feliz. Por isso antes de fazer ou falar qualquer coisa, pense: vale a pena?

Não quer dizer que você não deva criticar quando é justo, alfinetar quando é inevitável. A questão é: nem sempre essa é a hora. Nem sempre vale a pena. Principalmente: vamos deixar de ser fiscais da alegria do amiguinho ao lado?

Nos vemos em 2020

Não tenha medo e muito menos vergonha de se afastar do que ou quem te faz mal. Se não der para se afastar, tente cultivar uns momentos só pra você. O ser humano não nasceu para viver sozinho, mas também não nasceu para ficar se torturando de viver na companhia de gente desagradável.

No mais, é isso. Foi um ano difícil, esquisito, trabalhoso e cheio de lições. A gente se vai, e quando voltar, já é no pique da Adele, afinal, bora que 2020 vem aí:


Até lá, relembre as retrôs anteriores para matar a saudade:

A primeira retrô de 2019
As retrôs de: