O Oscar 2020 chegou, premiou todas as categorias e terminou surpreendendo a todos. Mesmo quem apostava na vitória deles, afinal, a Academia costuma ser muito clubista para premiar, e bairrista para "reconhecer" os bons filmes. O cinema sul-coreano tem umas particularidades muitos boas, e muitas que são compartilhadas com o cinema asiático. O feito de "Parasita" foi grandioso e não por acaso, ou pena. Vamos conversar sobre algumas diferenças entre as duas escolas de cinema.



Parasita mereceu suas conquistas


Com quatro Carecas Dourados™, o "Parasita" foi o grande vencedor da maior noite do cinema mundial levando Melhor Roteiro Original, Melhor Diretor, Melhor filme em Língua Estrangeira e Melhor Filme. É marco grandioso para os 92 anos da premiação da Academia e também quebra alguns paradigmas bestas dos ocidentais mente fechada ao olhar para os asiáticos.


Se "Parasita" venceu quatro categorias pesadas e essenciais para um filme, fechar a noite com "Melhor Filme" foi merecimento e não um ato de pena ou um ato de dizer "Oh, mudamos. Por isso o filme asiático ganhou mas ano que vem volta tudo ao normal hihihi". Os grandes filmes sul-coreanos eles se sustentam por serem bons de verdade, alguns master peça, e não por que alguém com influencia no prêmio decidiu ser benevolente com outra praça.

Eu acredito que ninguém que ver seu talento e dedicação de anos melhorando e aperfeiçoando seu trabalho, para ganhar algo por "pena" não é mesmo? Aceitar algo que parece ter sido por dó, é uma forma de sentenciar que seu esforço não merece reconhecimento, e sim um olhar de "ainn, tadinho gente". Merecemos reconhecimento verdadeiro #MondayMotivation.

Diferenças entre os cinemas NA vs KR

Escolas distintas, mas igualmente intensas nessa imagem

Sendo você leitor nosso é provável que o termo "NA alguma coisa" seja conhecido. Talvez nunca seria usado pros filmes de Hollywood por praticamente ser um monopólio mundial os filmes da indústria Norte Americana, fazendo outras escolas parecerem um nicho para o público. Quem nunca viu/ouviu alguém ou um amigo adepto do cinema francês que parece ser alguém de outro mundo. até mesmo o sommelier de filmes argentinos.

A Argentina que vive ferrada por anos consegue manter uma cultura e identidade cinematográfica e união pelos seus produtos, enquanto aqui, estamos presos nos mesmos gêneros, sem mostrar evolução e quando voltamos ao Oscar o filme é um documentário que parece ficção, e no fim, ninguém sabe a real categoria e vamos mais por "barulho dos motivos errados" e não pelo trabalho realizado. F.


Voltando ao nosso foco, temos ao menos quatro pontos fortes para vermos as diferenças entre as escolas citadas. Vale ressaltar que a Coreia do Sul investiu pesado na edução básica e incentivos a cultura, por isso vemos essa evolução toda e qualidade. O Brasil tem o desafio do seu tamanho mas acredito de um dia acertarem um plano para desenvolver os nossos futuros cidadãos e produtores culturais reais.

A principal diferença entre os filmes coreanos e de Hollywood é que, nos filmes coreanos, a estrela são os coreanos, o alívio cômico também é asiático; nos filmes de Hollywood, a estrela é geralmente caucasiana, com os asiáticos como o alívio cômico ou em um papel secundário menor.

Old Boys 2003

Pelos gêneros temos também alguns pontos como:

Ação: 
- Os filmes coreanos são sobre cenas reais e intensas de luta. Por exemplo: "Old Boy".
- Hollywood investe mais em efeitos especiais e sequências com dublês.

Para quem ama artes marciais os filmes asiáticos ainda mantém viva a tradição de termos lutas importantes ou aquela luta final, diferente da ação Hollywoodiana que é primordialmente realizada com armas de fogo e raramente existe uma trocação de carinho facial com mão fechada.

Ultimamente o cinema sul-coreano vem colocando armas nos filmes e ação, contudo, o lado marcial segue muito vivo e sempre vai existir (ainda) cenas de luta tradicionais. Para essa categoria ainda bem que existem os Wuxias chineses pra agradar a agente que curte, mesmo com os exageros do gênero. Um wuxia muito popular no ocidente é "O Tigre e o Dragão".

Eles estão nos galhos finos. O Tigre e o Dragão é bom demais

Apesar do cigarro ser extremamente comum nos filmes coreanos eles começaram com o tempo mudarem alguns detalhes como menos cenas de cigarros dentro dos bares por exemplo, até para reforçar campanhas nacionais contra tabagismo. Tanto homens quanto mulheres se fumarem, nossa, serão aquele Del Rey oitentista com o mesmo consumo de álcool. Drogas são raras de serem vistas ou serem tema de filmes, também como forma de comunicar o não uso pontuando esse detalhe.

Os filmes norte americanos o cigarro tem suas marcas registradas com por exemplo menos fumantes mas sempre presente nas cenas pós sexo. Talvez a série "Resident Evil" tenha batido algum recorde na década com personagens fumando por minuto.

Horror:
- Os filmes coreanos focam em como as pessoas temem o desconhecido. Eles apostam no fato de que o público teme o que não pode ver. Assim, a aparição repentina de pessoas / coisas juntamente com um ruído alto é mais prevalente em seus filmes.
- Hollywood é mais sobre sangue, violência, assassinos de psicopatas e cenas de sexo.

A agonia gerada nos filmes de terror é algo muito bom se você gosta dos filmes do gênero produzido em Hollywood, pois nos filmes coreanos, você provavelmente você sinta novas emoções e olhe desconfiado com o "quão terror é um Annabelle" da vida por exemplo? Um filme/jogo interessante, apesar de ser da industria irmã no Japão, é "Fatal Frame".



Drama, Romance e Comédia:
- Os filmes coreanos têm muito drama intenso, muito pouco auge, muito poucas cenas de sexo e a comédia é divertida.
- Os filmes de Hollywood são um bom amálgama de todas as emoções. Há um certo nível de equilíbrio nos três gêneros.

Vale também pontuar que o cinema coreano ao utilizar algumas coisas que seriam consideradas pesadas, como uma cena de sexo, ela é realizada para ajudar na narrativa e desenvolvimento da história e não apenas como um fan service para chamar atenção. Acredito que Hollywood não teria culhões para fazer uma cena como a que vemos em "A Criada" por exemplo.

Exemplo prático com Old Boys


Existem diferenças nas versões originais e no remake norte-americano que ajudam a compreender visivelmente as diferenças entre as escolas. No remake o protagonista praticamente parece um personagem de vídeo game cheatado e quase ninguém consegue tocar nele nas lutas enquanto no original vemos que ele sente a fadiga e conseguimos ter empatia com seus momentos de sofrimento.

O filme original foi um marco para o cinema local e fazendo-o ganhar fama mundial e muito impulsionado depois com os reviews onlines com a internet crescendo cada vez mais pelo mundo. O plot twits do filme foi algo muito diferente do que estavamos acostumados a ver nos filmes (e plot é uma marca forte deles, mais uma vez "A Criada" é perfeito para isso.).

No remake temos uma releitura do filme com tomadas de decisões das filmagens distintas das originais, e abaixo, podemos ter um exemplo da diferença das "pegada" nas duas formas de dirigir um filme com ação como a cena do elevador de "one shot" contra o plano sequência utilizado:


*Plano sequê não é ruim, é muito bom. Mas nesse exemplo sentimos a diferença no impacto

Mais do que a diferença em como o protagonista é e age, as mudanças de direção e outros detalhes, os filmes asiáticos eles presam muito em trabalhar seus personagens e fazerem com a que gente sinta empatia e crie mais atenção e preocupação com eles assim. No cinema norte americano é comum de mais o "God mode" ou o clássico do personagem começar humilhado, e simplesmente, começa sua ascensão sem freio.

Aproveite esse momento e faça com que ele não seja apenas uma onda na sua vida devido ao Oscar. Como disse Bong Joon-Ho: quando você tirar a barreira da legenda na sua vida, vai descobrir muitas coisas boas no cinema".

O homem foi premiado com Melhor Roteiro, Melhor Direção e duplamente Melhor Filme e fez seu discurso em coreano, ele sabe o que está falando e dizendo. Quebre sua barreira com a cultura asiática e em especial se você olhava torto por ter amigos que curtem animes, que foi a porta de entrada para 98% da nossa população.



Agora é a hora de bebermos até amanhã (sim, Asiáticos também curtem a vida. Não é só video game...)

Material de apoio Link 1, Link 2