No dia 10 de Fevereiro de 2009 chegava aos consoles da sétima geração, para Xbox 360 e Playstation 3, a continuação do game F.E.A.R. e esse lançamento teve história até chegar ao nome final, devido a perda momentânea dos direitos do nome F.E.A.R. Vamos entender esse detalhe e mais sobre o jogo para recordar o game.



F.E.A.R. 2: Project Origin é um game de terror de sobrevivência em primeira pessoa, desenvolvido pela Monolith Productions e publicado pela Warner Bros. Games para Microsoft Windows, PlayStation 3 e Xbox 360. É a sequência do F.E.A.R. e é o segundo game no F.E.A.R. Series. Foi lançado em 10 de fevereiro de 2009 e foi disponibilizado no Steam dois dias depois, em 12 de fevereiro de 2009. Uma expansão, F.E.A.R. 2: Reborn, foi lançado em 3 de setembro de 2009.

Desenvolvimento

F.E.A.R. 2 foi inicialmente chamado apenas de Project Origin, devido ao fato da Monolith ter perdido os direitos ao título F.E.A.R. para a Vivendi. Durante esse período, o Monolith realizou um concurso pedindo aos fãs que batizassem o nome da nova sequência, permitindo que os eleitores submetessem escolhas, das quais três foram escolhidas para serem votadas.

As três principais opções foram "Dark Signal", "Project Origin" e "Dead Echo". Foi revelado que o "Project Origin" teve mais votos, e o jogo foi oficialmente intitulado Project Origin. No entanto, com as más vendas do F.E.A.R. da Vivendi. os levaram a vender os direitos de F.E.A.R. de volta para a Monolith, e o jogo foi oficialmente apelidado de F.E.A.R. 2: Project Origin.


A sequência permaneceu no universo existente de F.E.A.R., mantendo o enredo e os personagens originais, embora não reconheça os eventos de F.E.A.R. Extraction Point ou F.E.A.R. Perseus Mandate como parte de seu cânone. O jogo foi exibido pela primeira vez na E3 2007 com uma demo do Xbox 360.

A demonstração mostrou o mecanismo aprimorado do Jupiter EX do jogo e revela os vislumbres da trama, começando com uma cena de Michael Becket passando por uma cirurgia supervisionada por Genevieve Aristide, com complicações inexplicáveis, mais tarde reveladas como causadas por Alma Wade. O jogo apresenta um design de nível mais variado do que em F.E.A.R., no entanto, certos elementos de jogabilidade dentro de níveis, como Medkits, retornam.

História


A sequência de F.E.A.R. continua a história de suspense sobrenatural do ser sobrenatural, Alma Wade, cuja raiva contra aqueles que a prejudicaram a levou a iniciar uma crescente crise paranormal que ameaça devorar e substituir a realidade pela sua. Em vez de jogar como o Point Man, o protagonista do jogo é Michael Becket, um operador da Delta Force cujo esquadrão é enviado para prender Genevieve Aristide aproximadamente trinta minutos antes do final de F.E.A.R.

O jogo começa com Alma balançando em um balanço ao lado de uma árvore, mas antes que Becket possa se aproximar, a tela desaparece e ele experimenta uma alucinação envolvendo uma cidade em ruínas, onde ele vê Alma e passa a segui-la até um buraco que remonta para o mundo real. No entanto, quando ele se recupera, ele ouve música tocando e a forma infantil de Alma o agarra antes de desaparecer repentinamente.

O esquadrão de Becket chega a um complexo de cobertura onde Aristide mora, apenas para ser atacado por uma equipe de mercenários da Black Ops despachada pelo Conselho de Administração da Armacham. Depois de salvar Aristide, Becket descobre dicas de um projeto conhecido como "Harbinger", que envolve ele e vários de seus colegas de equipe.

Aristide afirma que Becket e sua equipe são a única maneira de parar Alma, mas antes que ela possa elaborar o F.E.A.R. O Point Man detona o reator da Instalação de Origem e Becket fica atordoado com a explosão. Antes de perder completamente a consciência, ele capta uma breve conversa entre Aristide e homens desconhecidos, dizendo-lhes para carregar ele e seus companheiros de esquadrão em um helicóptero...

Recepção

F.E.A.R. 2 recebeu na sua maioria críticas positivas. Os sites de análise agregados GameRankings e Metacritic deram a versão para PlayStation 3 79.19% e 79/100, a versão para PC 77.86%, 79/100 e a versão para Xbox 360 77.74% e 77/100. A Eurogamer avaliouo jogo com 5/10. Ao concordar que era um game de tiro muito sólido, a Eurogamer afirmou que a impressão duradoura é "uma lamentável falta de inspiração".

Entre suas críticas estavam o fraco desenvolvimento da história, o design de nível não inspirado e a má execução na tentativa dos desenvolvedores de variar a jogabilidade com a adição de armaduras mecânicas. A revista GamePro classificou o jogo com um 4/5, elogiando o efeito de câmera lenta e a jogabilidade, mas criticou a IA do oponente, os designs de níveis e o jogo que terminou com uma nota simples. A Resolution Magazine concedeu ao jogo 76%. Eles elogiaram o polimento do jogo e o descreveram como agradável, apesar da falta de criatividade.

Curiosidades

Volta aqui, vai comprar cigarro coisa nenhuma pra fugir do Ratinho

  • Como uma piada de Primeiro de Abril, o site oficial de F.E.A.R. 2 anunciou que o próximo jogo seria um prequel para o primeiro F.E.A.R. Críticas de referência aos Quick Time Events em F.E.A.R. 2, eles afirmaram que o novo jogo consistiria inteiramente nessa mecânica e permitiria ao jogador controlar Alma em seu balanço, tentar não adormecer na escola e aproveitar o "Alma Ball".
  • A aparência infantil de Alma mudou um pouco no Project Origin. Seu cabelo é mais longo do que no F.E.A.R. (devido às habilidades gráficas atualizadas que permitem que cabelos mais compridos se movam mais naturalmente do que teriam no momento do desenvolvimento do FEAR), seus olhos mudaram de preto para laranja brilhante e seu vestido e pés são visivelmente mais sangrentos do que nas versões anteriores .
  • Na Europa e na Austrália, F.E.A.R. 2 foi lançado na sexta-feira 13.
  • Antes do lançamento do jogo, vários concursos foram realizados nos fóruns oficiais, nos quais os fãs podiam legendar fotos do jogo, com a legenda vencedora sendo escolhida pelos funcionários da Monolith. Os fãs que venceram esses concursos receberam camisetas, pôsteres, imagens autografadas dos desenvolvedores e flash drives.
  • À medida que o jogador se aproxima do local da explosão da Instalação de Origem, pode-se ver que ainda existem (sem danos) postes de trabalho nas proximidades e em meio aos prédios em ruínas, mesmo que isso não seja realista.
  • Estranhamente, nenhum contato é feito com o coordenador do SFOD-D A. Shepard, apesar de seu papel como consultor dos agentes da Delta durante o primeiro jogo. Da mesma forma, nenhuma outra unidade SFOD-D viva é encontrada, exceto as do esquadrão Dark Signal.
  • Estranhamente, a mira dos jogadores fica vermelha quando mirando em um rato.



A sequência F.E.A.R. 3 seria lançado em 11 de Junho de 2011, e ai, é outra história para o futuro.