Ok, pequena mudança no especial de março Na Voz Delas™. O som que estava na fila, sai, e entra outro tão bom quanto. O motivo é que, a música de agora me permite contar uma historinha real, e ainda no tema do tema do Dia Internacional da Mulher. Perdeu o Play da semana passada? Corre aqui e ouça a excelente 'Killing Ourselves to Live', do Halestorm.

Novamente vamos de heavy metal, mas com uma nostalgia curiosa: 'The Nexus', do Amaranthe. No fim de semana passado eu trombei com a música nas sugestões do Spotify, e lembrei do quão boa ela é. A ironia? Nesta sexta-feira (13), 'The Nexus' (álbum) completa sete anos de lançamento. E muita coisa ali continua boa, mesmo sete anos depois.

Os metaleiros da pista de dança

Misturar heavy metal com música eletrônica é notícia velha. Do jeito que Amaranthe faz, entretanto, é diferente. É jovem, empolgante, e você pode bater cabeça por ser pesado e dançante, de uma vez só. Eu nem sei mais como descobri a banda, só sei o motivo: meu enjoo com o sinfônico Nightwish-esco. E eu adorei o Amaranthe por causa do jeitão Missão: Impossível meets RBD. Porque é isso: a banda é tipo o Rebelde do metal.

Feliz aniversário adiantado!

O clipe de 'The Nexus' segue a ideia de 'Hunger', do álbum anterior: colocar a banda em algum tipo de perigo, meio cinematográfico. Parede esdrúxulo olhando a primeira vista, mas considerando que a maioria dos clipes de metal é ou banda na garagem (1), ou num cenário aleatório (2), foi uma vitória. É algo que o David Guetta ouviria e diria not bad.

Nessa época aconteceu a historinha que eu quero contar. Que é deliciosamente nostálgica por todos os motivos certos: uma das, se não foi a minha primeira entrevista. Sim, eu entrevistei a Elize Ryd, a vocalista, e foi um choque do começo ao fim. Primeiro, porque o manager dela me respondeu (1), e por ter sido de uma educação absoluta (2). Segundo, porque eu me apaixonei de vez pela Elize, HA.

Sério. Além de talentosa (ela é cantora e bailaria), a Elize é um doce, do tipo que você sente o carinho mesmo através de um e-mail. Ela respondeu todas as minhas perguntas, e bem. Lembro do pavor que foi fazer isso, pois o meu inglês da época era mais triste que doom metal. E mesmo assim eu fui bem tratada do começo ao fim do contato. A entrevista com DragonForce, por eu tô "esperando" resposta há cinco anos*, hehe.

(*Longa história, e um dos motivos pelos quais eu desanimei real com o finado site)

A melhor parte

Quando o Armadura Nerd começou, migramos alguns textos do falecido. A entrevista com a Elize Ryd foi um deles. Você pode correr aqui e ler o texto igualzinho como ele saiu em 2013. Tem até as mesmas fotos e vídeo que eu usei para ilustrar. Mas primeiro, abra a entrevista em outra aba, e leia ao som do Play da semana.



Letra

Right now
I wanna be the enemy
I hide
Empower our remedy
Step up
Get your game on
Get your pride back
Never back down, oh

And as I open my eyes
I see my shadow
Will I return like my self or parted atoms

I have the will inside my mind
(Inside my mind)
There is a voice I can't deny

I break with the past
Set the nexus free at last
As the future will be there to save us
Trapped in my skin
See the nexus in my dreams
But will you bury me within

Yeah, I rise
So you can be a part of me
I hide
As part of the machinery
I've stepped on the wires
Feeding the flames to burn higher

And as the darkness reveals
I see no reason
For me to reach for the cure
I'm my own demon

I kept the secrets in my mind
There is a voice I can't deny

I break with the past
Set the nexus free at last
As the future will be there to save us
Trapped in my skin
See the nexus in my dreams
But will you bury me within

Face it down
I'm the spine in the flame
Just let it out of me
Break it out of the core
To help me breathe

I have the will inside my mind
There is a voice I can't deny

I break with the past
Set the nexus free at last
As the future will be there to save us
Trapped in my skin
See the nexus in my dreams
But will you bury me within