E chegamos a terceira semana do Especial Mentiroso™ do Play. Afinal, abril vem se esforçando em ser o mês da mentira, mais do que de costume. É um tanto de coisa acontecendo que realmente, não é fácil de acreditar. Os sons desse mês tem rendido papos interessantes. Hip's Don't Lie da Shakira foi o lembrete: a vida é azeda, você não precisa ser. Liar Liar (Wasteland Monarchy) do Kamelot foi um banho de nostalgia dos tempos adolescentes. Não acredito, mas bateu saudade de quando o metal melódico estava realmente em alta. 

Pra essa semana? A gente tem I'm Not Calling You a Liar, do Florence + The Machine. O papo da vez, entretanto, eu já aviso: é meio triste, meio nostalgia e alegria, meio esperança de dias melhores. Vamos começar pela parte boa.

A faculdade foi a maior experiência que eu tive na vida. Vivi muita coisa que trouxe o segundo fio de cabelo branco? Sim. Mas no saldo, eu me sinto feliz. Principalmente, pelo tempo que a internet vivia nessa época. Era perfeito? Nem de longe. Mas eu conheci gente boa, ou retomei contato com quem eu não falava há um tempo. E teve música boa tipo o Lungs, o álbum da música do nosso Play.

Foi engraçado, porque o Lungs é de 2009, e em 2010 eu e o Renan iniciamos pra valer a nova fase do Hardmetal Brasil. Então os sons que vinham na minha cabeça, eram o oposto do que a Florence faz. E deu certo demais, te falar. A fase de ouvir a dona Florência me fez sentir unida às amigas que me apresentaram a banda, mais ainda. Era uma sensação boa de pertencer a um grupo. Hoje em dia eu não sinto mais isso.

Você talvez sinta isso, né? Antes as reuniões com os amigos eram felizes, cheia de piadas nível Prassa e conversas sobre coisas boas. Mesmo quando os papos eram de assuntos mais pesados, a gente não se atolava neles eternamente. Era uma rede de apoio, mas também de felicidade. Agora o que sobrou foi o ódio, o negativismo, dos dois lados de uma guerra que não devia nem existir. Já viu o tanto de amizades terminando, ou gente se afastando por motivos que daqui uns anos vão ser irrelevantes?

O aperto no coração é real.

Hoje em dia eu quase não ouço mais Florence + The Machine, só resgatei a banda pra entrar no clima do Play. Mas apesar da tristeza, eu guardo um carinho enorme pelas memórias que o Lungs criou com o Ceremonials. Inclusive, recomendo os dois álbuns. E reflita. Essa crise vai passar. O caos político é diário, mas vai mudar. Quem sabe até não alivia? Critique o errado, lute pelo certo, mas seja razoável. Não viva a ferro e fogo. Não se isole dos amigos, e não isole eles de você.

Não é esse o isolamento que a gente precisa agora.

Pra gente não terminar numa nota triste, claro que vamos ter dois vídeos, né. Um é o áudio original, e o outro é um live o qual eu adorava.



Letra

I'm not calling you a liar
Just don't lie to me
I'm not calling you a thief
Just don't steal from me
I'm not calling you a ghost
Just stop haunting me
And I love you so much
I'm gonna let you kill me

There's a ghost in my lungs
And it sighs in my sleep
Wraps itself around my tongue
As it softly speaks
Then it walks, then it walks with my legs
To fall, to fall, to fall at your feet

There but for the grace of God go I
And when you kiss me, I am happy enough to die

I'm not calling you a liar
Just don't lie to me
And I love you so much
I'm gonna let you
I'm not calling you a thief, just don't
And I love you so much, I'm gonna let you
I'm not calling you a ghost, just stop

There's a ghost in my mouth
And it talks in my sleep
Wraps itself around my tongue
As it softly speaks
Then it walks, then it walks
Then it walks with my legs
To fall, to fall, to fall, to fall
To fall, to fall

To fall, to fall, to fall, to fall,
To fall, to fall, at your feet

There but for the grace of god go I
And when you kiss me, I am happy enough