Voltamos! Infelizmente o Play não saiu na segunda-feira, pois a vida pediu horas da minha atenção num mesmo problema. Um amontoado deles, mas. Vida de pseudo adulto é doideira, imagine a vida de adulto brasileiro em tempos de pandemia. É um try hard nem tão maravilhoso, mas impossível de escapar.

Seguimos com o Especial Mentiroso™, que iniciou com a maravilhosa Hip's Dont Lie da Shakira. Afinal, as pessoas mentem, mas os quadris não. De quebra, rolou um bate papo sobre como a vida ficou azeda, e as pessoas consideram crime tentar ou querer ser feliz. Hoje a gente vai virar o disco, e musicar Liar Liar (Wasteland Monarchy) do Kamelot.

Por causa da pesquisa que eu fiz pro especial de abril do Play, entrei numa onda de escutar coisas que há anos andam esquecidas. Ou que eu conheço há anos, mas nunca ouvi, per say - tipo Iron Maiden. O Kamelot é uma dessas bandas, e uma bem nostálgica, pois foi daquela "base" que me jogou de cara no metal. Ainda era a fase Roy Khan, mas era uma banda que eu gostava bem. Daí entrou o Tommy Karevik, eu curti um pouco e depois esqueci.

O Tommy é ótimo cantor. Mas eu entrei numa fase onde virou um porre ouvir letras sobre medieval, fantasia, filosofia e amor. Hoje, cá estamos nessa nostalgia curiosa. É interessante, pois mesmo com a mudança de vocal, a banda manteve a base prog/power/sinfônica. Eu acho que eles agora são mais pseudo góticos sofredores, mantendo a lista de temas. 

Aí eu ouvi o Silverthorn e pensei quer saber? Bora tocar Liar Liar nessa canoa furada. A música é boa demais, bem Kamelot de qualidade, com aquela bateria ala When the Lights Are Down. E tem o excelente feat da Alissa White-Gluz, atual vocalista do Arch Enemy, que virou figurinha carimbada no Kamelot era Tommy junto com a Elize Ryd. Ambas maravilhosas.

Em tempo: recomendo ouvir o Haven! Sim, a primeira vez ouvindo o álbum é para fazer o Play. Se você curte tudo o que eu disse acima, é só vir comigo. Ah! Extra bacana e dica quente: vou deixar só o instrumental da música, vale muito conferir.



Letra

Would you pray if I said you were dying?
Would you be a little stronger
Or fall down on your knees?
Would you stay with me
If you knew that I was lying?
Would you walk away
Or turn the other cheek?

I tremble where I stand
My wish is your command
The nature of a truly desperate heart
Give me something real
That I can truly feel
Liar liar on the wall

Whisper whisper in the dark
Tell me what you see
Poisoned by your fly infested poetry (poetry)
Liar, liar on the wall
Give the world to me
A wasteland or a monarchy
Liar liar
Tell me what you see

Now I'm here and my pain is my companion
Now I know it wasn't meant to heal
The cut is way too deep
No more wasted years of sacrificial bleeding
I'm the master of the war inside me

But still... I tremble where I stand
My wish is your command
The yearning of an undiscovered soul
Give me something real
So I can truly feel
Liar, liar on the wall

Whisper whisper in the dark
Tell me what you see
Poisoned by your fly infested poetry (poetry)
Liar, liar on the wall
Give the world to me
A wasteland or a monarchy
Liar liar
Tell me what you see

I cry when the sun is down
And carry this heavy crown
I won't compromise
Release me

Whisper whisper in the dark
Tell us what we are looking for
Make us see the truth
Liar, liar on the wall

Whisper whisper in the dark
Tell me what you see
Poisoned by your fly infested poetry
Liar liar on the wall
Give the world to me
A wasteland or a monarchy
Liar, tell me what you see

Whisper whisper in the dark
Tell me what you see
Poisoned by your fly infested poetry (poetry)
Liar liar on the wall
Give the world to me
A wasteland or a monarchy
Liar liar
Tell me what you see