Chegamos ao terceiro episódio de Shin Sakura Taisen (サクラ大戦) e é hora de comentarmos as impressões com o veredito se a série continuará no nosso, nosso caso aqui o meu, watching do My Anime List. Você já conferiu aqui a prévia e o resumo do primeiro episódio, agora, vamos ao que interessa.



Sobre o anime

Em 1930, dois anos após os eventos de So Long, My Love, a Grande Guerra Demoníaca resulta na aniquilação das Divisões de Flores das Revistas de Combate Imperial de Paris e Nova York. Com a Terra em paz e as ações das revistas se tornando públicas, a Organização Mundial de Revistas de Combate é formada por várias divisões internacionais; foi organizado um torneio bienal internacional das Revistas de Combate.

Dez anos depois, em 1940, o capitão da Marinha Imperial Japonesa, Seijuurou Kamiyama, é designado como capitão da nova Divisão de Flores da Revistas de Combate Imperial em Tóquio, que é formado por: Sakura Amamiya, uma espadachim e nova recruta; Hatsuho Shinonome, uma donzela do santuário e a atriz mais popular; Anastasia Palma, uma atriz grega recém-transferida; Azami Mochizuki, uma prodígio ninja do clã Mochizuki; e Clarissa "Clarise" Snowflake, uma nobre luxemburguesa. A divisão novamente enfrenta uma nova invasão demoníaca e participa do próximo torneio - enquanto tenta manter sua casa no Teatro Imperial aberta.

Tá valendo a pena?

Talvez Sakura Wars, o nome ocidental da série, seja um nome até comum que é desconhecido o que de fato seja. Originalmente a série surgiu como um game para Sega Saturn em 1996 e com o tempo foi ganhando novas mídias, mas os games sempre foram a mídia principal da história. Em 2000 tivemos o primeiro anime baseado no game, que já havia ganho alguns OVAs. Repare que curioso a abertura antiga:


Música familiar não é minha filha? Não foi apenas a música que recebeu uma repaginada como se pode notar pelos visuais dos personagens, especialmente Sakura que ficou ainda mais merecedora dos títulos que sempre aparecem de waifu, best girl, kawaii entre outros.



O anime mantém uma alma clássica com a pegada de cada menina ter uma personalidade distinta e muito bem definida uma da outra como Sakura sendo meiga e um pouco insegura, Hatsuho a garota de força e temperamento mais decidido nas suas ações; Anastasia mais observadora, Azami um pouco mais explosiva colaborando com seu tamanho, Clarissa bem calma e com ar mais culto (tanto que é a usuária de magia e leitora assídua) e a jovem Clara que por enquanto está bem assustada com tudo que vem acontecendo ao seu redor.


Ver por exemplo a ordem delas entrando nos robôs, a entrada dos robôs é tudo muito clássico e nostálgico, contudo, não se prende apenas a nostalgia para te cativar e temos uma boa combinação de toques de "novo" para atualizar o anime sem que ele perca a alma dos seus mais de 20 anos de vida.

Veredito

Sakura Wars me deu um leve dibre pois eu estava esperando um ação no terceiro episódio que nos levasse a começar a ver elas investigando as missões que já apareceram, no entanto, o ritmo foi mais calmo e como ainda não temos o total de episódios, desconfio que teremos por volta de 26 episódios e isso explicaria muitas coisas.

Mas caso Sakura Wars termine com 12 episódios ai terei receio que dê o mesmo efeito de Saintia Sho que foi se desenvolvendo até que de forma interessante, mesmo com baixo orçamento, mas na reta final foi corrido e terminou com a sensação que faltou coisas mesmo eles nos deixando com o quero mais do pós-crédito.

Como tem sido muito agradável esse ar de Rede Manchete dos anos 2020, Sakura Wars segue na lista de animes que estamos vendo, e eu ainda sigo também com Tamayomi também segue na minhas lista mas não teve muitas coisas para poder fazer um vale a pena mais dedicado.

Esse novo anime de Sakura Wars dá sequência à história do game lançado em 2019 para Playstation 4.